All Blacks são tricampeões do mundo em jogo espetacular!

ARTIGO COM VÍDEOS – A maior da história! Nova Zelândia e Austrália protagonizaram uma final de Copa do Mundo para ficar na memória viva de todo rugbier no mundo. Os All Blacks pareciam que construiriam uma vitória larga no começo da disputa, mas a Austrália reagiu espetacularmente e, no fim, os neozelandeses arrebataram o título com Dan Carter destilando sua genialidade com um drop goal de 40 metros e um penal de 50 metros para os conduzirem ao panteão dos imortais da história dos Mundiais. No fim, os All Blacks fecharam o placar com mais um try e soltaram o grito de tricampeões mundiais. 34 x 17, para tornar a Nova Zelândia a seleção mais vencedora da Taça Webb Ellis.

 

O embate começou com domínio neozelandês, imprimindo um ritmo muito forte e dominando a posse de bola por completo. Acuada, a Austrália mostrou cedo sua qualidade defensiva. Logo aos 2′, Ma’a Nonu rompeu a defesa aussie e, na sequência, o primeiro scrum do jogo já pendeu a favor dos All Blacks, mas Drew Mitchell afastou o perigo. Aos 5′, foi a vez de Milner-Skudder levar perigo na arrancada e Aaron Smith inverteu o jogo, arrancando penal logo na sequência. Dan Carter não titubeou e inaugurou o marcador, 3 x 0.

 

Após o começo de dominação kiwi, os aussies cresceram no breakdown, com Michael Hooper e David Pocock falando mais alto nos rucks e garantindo turnovers importantes para os Wallabies. Aos 13′, o primeiro penal australiano foi conquistado e Bernard Foley empatou a peleja. 3 x 3. Aos 17′, foi a vez dos All Blacks ganharem penal e apostarem no lateral. O jogo rápido neozelandês fluiu, mas Michael Hooper garantiu novo turnover, espetacular, barrando os Homens de Preto, que já acumulavam 71% de posse de bola.

 

Mais um turnover de Hooper, aos 21′, fez a Austrália crescer, mas um tackle alto aos 25′ deu mais 3 pontos para a Nova Zelândia, com Dan Carter guardando penal certeiro. Aos 31′, foi a vez da Austrália ganhar penal e apostar no lateral, mas o alinhamento neozelandês se provou melhor. Aos 34′, lance polêmico, com Nigel Owens não vendo o passe para a frente da linha kiwi e, na sequência, a Nova Zelândia ganhou penal, que Carter bateu com precisão. 9 x 3.

 

Os dois penais seguidos tiveram impacto sobre os Wallabies, e os All Blacks cresceram, mantendo o controle territorial. Aos 38′, Conrad Smith ganhou a marca e deixou com Dan Carter, que passou para Richie McCaw servir Milner-Skudder na ponta. Try lindo, digno de final. 16 x 3 no intervalo. 71% de posse de bola e 79% de território para os All Blacks, com os Wallabies perdendo 17 tackles no primeiro tempo.

 

O segundo tempo começou com a Nova Zelândia fulminante. Com um minuto de bola em jogo, Ma’a Nonu fez mágica, correu 35 metros rompendo a defesa dourada e mergulhou para um dos mais lindos tries do ano. 20 x 3. The game was over? Nada disso.

 

Tudo parecia perdido para os Wallabies, mas os bicampeões do mundo reagiram. A Nova Zelândia seguiu mostrando seu poderio e superioridade nas formações, com um atropelo aos 49′, mas Kurtley Beale recuperou a bola e emplacou belo contra-ataque para os australianos, que esboçavam levar perigo. Aos 51′, Bernard Foley apareceu, quebrou a linha de defesa e Will Genia trabalhou as fases com maestria até a outra ponta até Drew Mitchell levar um tackle “pilão” de Ben Smith. Resultado: amarelo para o neozelandês e chance para a reação aussie.

 

Com um homem a menos e uma terceira linha “mordendo”, a Austrália se agigantou nos dez minutos seguintes. Aos 52′, a Austrália trabalhou o lateral com inteligência, emplacou um maul e David Pocock cravou o try que deu vida aos cangurus. 21 x 10. E tinha mais antes de Ben Smith voltar. Will Genia deu um kick box mágico para a ponta, com a cobertura neozelandesa desguarnecida e quem recebeu foi Foley, entregando para Kuridrani, que deixou Milner-Skudder para trás e fez ferver o estádio de Twickenham. Nova Zelândia 21 x 17 Austrália, com jogo pela frente.

 

Aos 65′, a Austrália novamente teve um lateral a seu favor, mas dessa fez a Nova Zelândia se defendeu bem, já em igualdade numérica. Aos 68′, a resposta neozelandesa veio com os pés de Dan Carter, que chutou inteligentemente para o fundo do campo, mas Beale pediu um mark com sabor de try. Qual a ação seguinte de Carter. Mágica. Aaron Smith conduziu as fases no meio campo e abriu para Carter chutar um lindo drop goal, de 40 metros, o mais importante dos apenas 8 de sua carreira, jogando um balde de água fria nos Wallabies. 24 x 17.

 

Os dez minutos finais foram ainda mais tensos, em mais um fim de Mundial sensacional. Aos 72′, os All Blacks venceram o scrum e ganharam um penal de 50 metros. Carter virou mito. Pediu para os paus e deu o título aos All Blacks. O maior pontuador da história do rugby mundial termina sua carreira com a maior seleção do mundo como campeão, ironicamente em sua única final de Copa disputada.

 

Os aussies ainda jogaram os minutos finais pela honra, mas no lance final os All Blacks roubaram a bola e o contra-ataque foi letal, com Beauden Barrett dando números finais com o terceiro try. Nova Zelândia 34 x 17 Austrália. Os All Blacks são os primeiros tricampeões mundiais da história e quebram o tabu de jamais terem até então vencido uma Copa do Mundo fora de casa. A Austrália foi dominada por boa parte da partida, teve nada menos que três laterais perdidos e nada linhas suas quebradas a mais pelos neozelandeses, mas ainda assim foi gigante, caindo de pé.

 

Vencem os melhores do mundo, mas em um jogo que quem vence foi o rugby mundial. Épico.

 

all blacks%281%2934versus copiar17Wallabies copy

Nova Zelândia 34 x 17 Austrália, em Twickenham, Londres

Árbitro: Nigel Owens (Gales)

Assistentes: Jérôme Garcès (França) e Wayne Barnes (Inglaterra) / TMO: Shaun Veldsman (África do Sul)

 

Nova Zelândia

Tries: Milner-Skudder, Nonu e Barrett

Conversões: Carter (2)

Penais: Carter (4)

Drop goals: Carter (1)

15 Ben Smith, 14 Nehe Milner-Skudder, 13 Conrad Smith, 12 Ma’a Nonu, 11 Julian Savea, 10 Daniel Carter, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read, 7 Richie McCaw (c), 6 Jerome Kaino, 5 Sam Whitelock, 4 Brodie Retallick, 3 Owen Franks, 2 Dane Coles, 1 Joe Moody.

Suplentes: 16 Keven Mealamu, 17 Ben Franks, 18 Charlie Faumuina, 19 Victor Vito, 20 Sam Cane, 21 Tawera Kerr-Barlow, 22 Beauden Barrett, 23 Sonny Bill Williams.

 

Australia

Tries: Pocock e Kuridrani

Conversões: Foley (2)

Penais: Foley (1)

15 Israel Folau, 14 Adam Ashley-Cooper, 13 Tevita Kuridrani, 12 Matt Giteau, 11 Drew Mitchell, 10 Bernard Foley, 9 Will Genia, 8 David Pocock, 7 Michael Hooper, 6 Scott Fardy, 5 Rob Simmons, 4 Kane Douglas, 3 Sekope Kepu, 2 Stephen Moore (c), 1 Scott Sio.

Suplentes: 16 Tatafu Polota-Nau, 17 James Slipper, 18 Greg Holmes, 19 Dean Mumm, 20 Ben McCalman, 21 Nick Phipps, 22 Matt Toomua, 23 Kurtley Beale.

 


 

Lista de campeões da Copa do Mundo de Rugby

1 – Nova Zelândia  – 3 títulos (1987, 2011 e 2015)

2 – Austrália – 2 tútulos (1991 e 1999)

África do Sul – 2 títulos (1995 e 2007)

4 – Inglaterra – 1 título (2003)

Comentários