Copa do Mundo: Grupo B

Hoje é a vez de falarmos do Grupo B da Copa do Mundo! Grupo que mescla a tradição da África do Sul, da Escócia e de Samoa com a evolução de Japão e Estados Unidos. No papel, grupo de nível inferior aos demais, com uma grande favorita, mas com luta intensa pelas demais posições. Surpresas podem surgir do Grupo B!

 

Não leu a prévia do Grupo A? Clique aqui para conferi-la.

 

Grupo B: África do Sul, Escócia, Samoa, Japão e Estados Unidos

springboks logo%283%29escociasamoa copyjapão logo novo copiarusa_copy

 

19/09: África do Sul x Japão, em Brighton

20/09: Samoa x Estados Unidos, em Brighton

23/09: Escócia x Japão, em Gloucester

26/09: África do Sul x Samoa, em Birmingham

27/09: Escócia x Estados Unidos, em Leeds

03/10: Samoa x Japão, em Milton Keynes

03/10: África do Sul x Escócia, em Newcastle

07/10: África do Sul x Estados Unidos, no Estádio Olímpico, Londres

10/10: Samoa x Escócia, em Newcastle

11/10: Estados Unidos x Japão, em Gloucester

 

O que esperar?

A África do Sul é a favorita absoluta do grupo, mas o desempenho titubeante neste ano é o bastante para dar uma pitada de emoção ao grupo, graças à evolução visível da Escócia, que certamente entrará em campo com os Springboks almejando uma histórica vitória. Se os Boks voltarem aos eixos, alcançarem a melhor forma física e aprenderem com seus erros do Rugby Championship, o grupo se tornará uma disputa pelo segundo lugar.

 

A Escócia falhou em chegar às quartas de final em 2011 pela primeira vez em sua história e acumulou temporadas complicadas, que incluíram a colher de pau do Six Nations em 2015. Entretanto, os escoceses cresceram sob o comando do técnico Vern Cotter, quase venceram a Irlanda em amistoso para o Mundial e atropelaram a Itália, em partida que mostrou que a Escócia recuperou sua confiança.

 

A principal oponente dos escoceses pela classificação é Samoa, que não teve uma preparação dos sonhos, pois não usou força máxima na Copa das Nações do Pacífico e, quando esteve completa, fez um jogão contra os All Blacks, mas perdeu para os Barbarians mostrando muita desorganização. Uma seleção de altos e baixos, mas com potencial.

 

E a briga para por aí? Não. Pode ser cedo para dizer que o Japão entrou de vez pela briga pela classificação, mas depositar uns 5% de chances aos nipônicos não faz mal. Afinal, eles venceram recentemente a Itália, têm vitórias contra Samoa, e, com tudo isso, têm o direito de sonhar com uma vitória sobre a Escócia. Improvável, mas plausível.

 

Mais cedo ainda é falar sobre os Estados Unidos, que vem mostrando evolução, mas ainda não estão prontos para as quartas de final. O saldo do grupo, com realismo, é a briga entre Escócia e Samoa pelo segundo lugar, enquanto Japão e Estados Unidos vão a campo com esperanças de um terceiro lugar, distante, mas não impossível.

 

Favoritos?

África do Sul, South Africa e Springboks. Não necessariamente nessa ordem.

 

Possível zebra

Várias podem ocorrer. A maior seria uma classificação japonesa, mas as mais plausíveis são uma vitória escocesa sobre os Springboks ou uma vitória japonesa sobre Samoa. Vitória samoana sobre os escoceses não seria uma zebra.

 

Atenção ao detalhe

O Japão pode ter ambição, mas o World Rugby não o ajudou. Os japoneses estreiam contra os Springboks no dia 19 e apenas quatro dias depois enfrentam a Escócia. Se o técnico japonês Eddie Jones pensar estrategicamente, não importa perder de 50, 80 ou 120 pontos para a África do Sul. O que vale é jogar com força máxima contra Escócia e Samoa. O que significa que o Japão deverá entrar com equipe reserva contra os sul-africanos.

 

No fim, se tudo der errado para o Japão e ele for derrotados nas três primeiras partidas, o último jogo contra os Estados Unidos valerá ainda assim muito, afinal, o Japão não vence um jogo de Copa do Mundo desde 1991. E os EUA enfrentarão os japoneses apenas quatro dias após jogarem com a Escócia.

 

Fique de olho

Fique de olho na África do Sul e sua forma física. Os Springboks eram cotados entre os grandes favoritos para a Copa do Mundo, mas a derrota para a Argentina quebrou o ânimo da equipe. E contra Nova Zelândia e Austrália a África do Sul mostrou queda de rendimento perigosa no segundo tempo. O Grupo B não irá provar ao limite os sul-africanos, uma vez que dificilmente Escócia e Samoa poderão sustentar um jogo de alto nível os 80 minutos com chances de vitória sobre os verdes. Se isso acabar ocorrendo, a África do Sul terá muita dor de cabeça nas quartas de final, afinal o adversário virá do Grupo A, onde Austrália, Inglaterra e Gales serão testados até o limite. A África do Sul precisa passar bem, com folgas, mostrando consistência e um físico em dia para não carregar dúvidas para a fase aguda do torneio. É verdade que quem avançar do Grupo A poderá chegar às quartas de final exausta, mas certamente talhada para os desafios.

Comentários