Escócia se garante nas quartas de final no sufoco e no drama

ARTIGO COM VÍDEO – Dramático. A Escócia garantiu sua classificação às quartas de final da Coap do Mundo em uma partida sofrida contra Samoa, que jogava suas últimas fichas para tentar escapar das eliminatórias para o Mundial de 2019. O samoanos cruzaram mais vezess o in-goal, mas cederam penais que se provaram cruciais e depois de uma chuva de tries os escoceses emergiram vitoriosos, 36 x 33, eliminando o Japão da Copa do Mundo.

 

Como se tornou lei nos jogos da Escócia no Mundial, o time britânico começou a partida mal e cresceu somente no Segundo tempo. Já Samoa fez o percurso oposto, começando fazendo uma forte primeira etapa e um fraco segundo tempo. Porém, o jogo se igualou nos instantes finais e quase Samo estragou a festa escocesa em Newcastle – estrategicamente localizada na fronteira com a Escócia, atraindo uma legião de torcedores do time do tartã.

 

A Escócia começou com muitos erros a partida e cedeu penal aos 4′ para Tusi Pisi abrir o placar. Laidlaw deu o troco aos 8′ na mesma moeda, mas, aos 10′, Samoa chegou a seu primeiro try, com Tusi Pisi cravando após grande jogada de Alafoti Faosiliva, melhor jogador do mundo de sevens em 2010. Porém, a resposta escocesa foi imediata, com Tommy Seymour interceptando passe desastroso de Samoa nas 22 para cravar o try do Cardo. 10 x 10! E por pouco tempo, pois aos 13′ Kahn Fotuali’i bateu rápido penal nas 22 e Leiatua caiu para o Segundo try polinésio.

 

Os escoceses seguiram com problemas com a fisicalidade do time samoano, mas, aos 18′, Laidlaw anotou mais três pontos em penal, aliviando por pouco tempo. Mais forte no contato, Samoa seguiu intensa e, aos 20′, a troca rápida de passes chegou a Lee-lo na ponta para trombar e finalizar o terceiro try. E Tusi Pisi perdeu sua segunda conversão no jogo, o que faria falta depois.

 

Aos 24′, Laidlaw somou novo penal para os escoceses, mas a situação parecia degringolar quando Ryan Wilson, aos 26′, levou amarelo, deixando o Cardo com 14 homens, em momento que o físico samoano falava mais alto. Pisi chutou penal certeiro na sequência, mas Samoa não aproveitou a vantagem. Aos 31′, a Escócia ganhou penal, chutou para a lateral, apostou no maul – mesmo diante da física Samoa – e John Hardie cravou o Segundo try escocês, para o delírio da torcida no St. Jame’s Park. Samoa perdeu um try no detalhe, aos 35′, com o TMO pegando infração em Laidlaw no ruck que originou o try de Taulafo. O time jogava em vantagem em Pisi adicionou mais um penal. Com isso, Samoa não tirou proveito algum da vantagem. 26 x 23 para o time da Oceania no interval.

 

E o segundo tempo começou como esperado, com o rendimento samoano caindo e o escocês subindo. Foram dois penais em sequência para Laidlaw colocar a Escócia na frente em questão de menos de 15 minutos. Samoa não conseguia ir ao ataque e o controle da posse seguia nas mãos da Escócia, mas Laidlaw não foi capaz de aproveitar os dois penais seguidos, chutando para for a duas novas oportunidades.

 

A tensão cresceu nos minutos finais, com Samoa voltando a crescendo pelas substiuições. A Escócia teve seu momento aos 74′, com scrum nas 22. Laidlaw enxergou o espaço na base da formação e mergulhou para a festa escocesa. Festa, no entanto, que ocorria cedo demais, pois Samoa reagiu e Moto Matu’u rompeu para o quarto try samoano nos instantes finais, dando esperanças aos polinésios na última bola. Os pontos finais acabaram não saindo e a Escócia respirou aliviada. 36 x 33.

 

escocia logo36versus copiar33samoa copy

Escócia 36 x 33 Samoa, em Newcastle

Árbitro: Jaco Peyper (África do Sul)

Assistentes: JP Doyle (Inglaterra) e Marius Mitrea (Itália) / TMO: Ben Skeen (Nova Zelândia)

 

Escócia

Tries: Seymour, Hardie e Laidlaw

Conversões: Laidlaw (3)

Penais: Laidlaw (5)

15 Stuart Hogg, 14 Tommy Seymour, 13 Mark Bennett, 12 Matt Scott, 11 Sean Maitland, 10 Finn Russell, 9 Greig Laidlaw (c), 8 David Denton, 7 John Hardie, 6 Ryan Wilson, 5 Jonny Gray, 4 Richie Gray, 3 WP Nel, 2 Ross Ford, 1 Alasdair Dickinson.

Suplentes: 16 Fraser Brown, 17 Gordon Reid, 18 Jon Welsh, 19 Tim Swinson, 20 Josh Strauss, 21 Henry Pyrgos, 22 Peter Horne, 23 Sean Lamont.

 

Samoa

Tries: Tusi Pisi, Leiatua, Lee-lo e Matu’u

Conversões: Tusi Pisi (1) e Fa’apale (1)

Penais: Tusi Pisi (3)

15 Tim Nanai-Williams, 14 Paul Perez, 13 George Pisi, 12 Rey Lee-Lo, 11 Fa’atoina Autagavaia, 10 Tusi Pisi, 9 Kahn Fotuali’i (c), 8 Alafoti Faosiliva, 7 Jack Lam, 6 Maurie Faasavalu, 5 Kane Thompson, 4 Teofilo Paulo, 3 Census Johnston, 2 Ma’atulimanu Leiataua, 1 Sakari Taulafo.

Suplentes: 16 Motu Matu’u, 17 Viliamu Afatia, 18 Anthony Perenise, 19 Faifili Levave, 20 Vavae Tuilagi, 21 Vavao Afemai, 22 Patrick Faapale, 23 Ken Pisi.

Clube P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Grupo A
Austrália 17 4 4 0 0 1 0 141 35 106
Gales 13 4 3 0 1 1 0 111 67 44
Inglaterra 11 4 2 0 2 2 1 133 75 58
Fiji 5 4 1 0 3 1 0 84 101 -17
Uruguai 0 4 0 0 4 0 0 30 226 -196
Grupo B
África do Sul 16 4 3 0 1 3 1 176 56 120
Escócia 14 4 3 0 1 2 0 142 139 3
Japão 12 4 3 0 1 0 0 98 100 -2
Samoa 6 4 1 0 3 1 1 69 124 -55
Estados Unidos 0 4 0 0 4 0 0 50 156 -106
Grupo C
Nova Zelândia 19 4 4 0 0 3 0 174 49 125
Argentina 15 4 3 0 1 3 0 179 70 109
Geórgia 8 4 2 0 2 0 0 53 122 -69
Tonga 6 4 1 0 3 1 1 70 130 -60
Namíbia 1 4 0 0 4 0 1 70 174 -104
Grupo D
Irlanda 18 4 4 0 0 2 0 135 35 100
França 14 4 3 0 1 2 0 117 64 53
Itália 10 4 2 0 2 1 1 74 88 -14
Romênia 4 4 1 0 3 0 0 60 126 -66
Canadá 2 4 0 0 4 0 2 58 141 -83

Comentários