Geórgia pena contra Namíbia, mas consegue a vitória preciosa

ARTIGO COM VÍDEO – O jogo terminaria de forma histórica de qualquer modo para uma das seleções. A Geórgia precisava vencer pela primeira vez duas partidas em uma Copa para conquistar pela primeira vez o terceiro lugar em um grupo de Mundial e garantir vaga antecipada na Copa do Mundo de 2019. A Namíbia, por sua vez, em cinco participações em Mundiais, jamais havia conquistador um ponto sequer na classificação – e jamais havia vencido uma partida. Superior e favorita, a Geórgia não conseguiu fazer o jogo que dela se esperava e quase entregou a vitória à Namíbia, em final emocionante. Mas, no fim, deu Lelos, 17 x 16. Vitória histórica para a Geórgia e ponto histórico para a Namíbia, em um dos jogos mais fracos tecnicamente no Mundial 2015, mas pleno de emoção.

 

Foi um primeiro tempo péssimo dos Lelos. Erros para dar e vender, muitos penais, lateral ruim e falta crônica de criatividade. A Geórgia desde o começo da disputa teve problemas para se impor sobre os Welwitschias, que souberam ler o jogo e jogar em cima dos erros dos europeus, com sua terceira linha funcionando muito bem e seu abertura correspondendo na armação de nos chutes. O primeiro penal veio logo no primeiro minuto e Theuns Kotze não titubeou, abrindo o marcador para os africanos.

 

Pórém, o primeiro revés apareceu para os Welwitschias aos 10′, com Jacques Burger, astro do time, saindo lesionado. Quem assumiu a pressão na Terceira linha foi Renaldo Bothma, de grande atuação, e o time não caiu de nível. O segundo penal para Kotze guardar apareceu aos 18′ e o placar foi a 6 x 0.

 

Precisando sair mais para o jogo, a Geórgia passou a acionar sua linha, com Mchedlidze, Sharikadze, Todua e Kacharava conseguindo boas infitrações, mas os erros de manuseio e falta de apoio cobraram seu preço e a afobação e a indisciplina foram fazendo a Geórgia seguir sem pontos. Aos 35′, Bregvadze piorou a situação dos Lelos com amarelo, mas os caucasianos ainda levaram a partida aos minutos finais do primeiro tempo em vantagem, quando o embaraçoso ocorreu. Com uma sucessão de scrums colapsando, a partida ganhou nada menos que 10 minutos de acréscimos com a Geórgia dentro das 22 da Namíbia. Foram dois cartões amarelos para os pilares azuis, para Larson e Coetzee, até os scrums não poderem mais ser disputados e a Geórgia perder a bola por knock-on. No primeiro tempo, George Clancy se viu diante da excessiva perda de tempo com scrums.

 

Em vantage numérica, a Geórgia, enfim, quebrou o gelo e conseguiu seu try aos 50′, com Gorgodze rompendo a defesa namibiana na persistência. Aos 55′, Bothma recebeu amarelo e novamente a Geórgia somente conseguiu supercar a defesa oponente ao jogar em vantage numérica. Aos 55′, Tkhilaishvili investiu e soltou o offload para Malaguradze mergulhar para o try. 17 x 6. Parecia que os Lelos deslanchariam. Mas, não foi o que ocorreu.

 

Os Lelos seguiram dominando e, aos 67′, Malaguradze adicionou novo penal. Porém, com o físico dos dois lados caindo, a Namíbia passou a ter a chance de complicar o jogo. Aos 70′, Bothma voltou a complicar a defesa vermelha e a bola foi rapidamente trabalhada até a ponta, com Kotze aparecendo para finalizar o try dos Welwitschias, colocando os azuis de volta na disputa. A Geórgia suou frio, mas a Namíbia  não foi capaz de conquistar a vitória épica. Fim de jogo, 17 x 16 para os Lelos. Sem convencer.

 

georgia copy copy copy17versus(14)16namibia logo copy copy

Geórgia 17 x 16 Namíbia, em Exeter

Árbitro: George Clancy (Irlanda)

Assistentes: Romain Poite (França) e Stuart Berry (África do Sul) / TMO: Shaun Veldsman (África do Sul)

 

Geórgia

Tries: Gorgodze e Malaguradze

Conversões: Kvirikashvili (2)

Penais: Kvirikashvili (1)

15 Merab Kvirikashvili, 14 Tamaz Mchedlidze, 13 Davit Kacharava, 12 Merab Sharikadze, 11 Alexander Todua, 10 Lasha Malaguradze, 9 Vasil Lobzhanidze, 8 Mamuka Gorgodze (c), 7 Viktor Kolelishvili, 6 Giorgi Tkhilaishvili, 5 Konstantin Mikautadze, 4 Giorgi Nemsadze, 3 Davit Zirakashvili, 2 Jaba Bregvadze, 1 Mikheil Nariashvili.

Suplentes: 16 Shalva Mamukashvili, 17 Karlen Asieshvili, 18 Anton Peikrishvili, 19 Levan Datunashvili, 20 Lasha Lomidze, 21 Giorgi Begadze, 22 Giorgi Aptsiauri, 23 Beka Tsiklauri.

 

Namíbia

Try: Kotze

Conversões: Kotze (1)

Penais: Kotze (3)

15 Chrysander Botha, 14 David Philander, 13 Danie Van Wyk, 12 Darryl de la Harpe, 11 Russel van Wyk, 10 Theuns Kotze, 9 Eugene Jantjies, 8 Renaldo Bothma, 7 Tinus du Plessis, 6 Jacques Burger (c), 5 Tjiuee Uanivi, 4 PJ van Lill, 3 Raoul Larson, 2 Torsten Van Jaarsveld, 1 Johnny Redelinghuys.

Suplentes: 16 Louis van der Westhuizen, 17 Jaco Engels, 18 Johannes Coetzee, 19 Wian Conradie, 20 Rohan Kitshoff, 21 Johan Tromp, 22 Damian Stevens, 23 Heinrich Smit.

Clube P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Grupo A
Austrália 17 4 4 0 0 1 0 141 35 106
Gales 13 4 3 0 1 1 0 111 67 44
Inglaterra 11 4 2 0 2 2 1 133 75 58
Fiji 5 4 1 0 3 1 0 84 101 -17
Uruguai 0 4 0 0 4 0 0 30 226 -196
Grupo B
África do Sul 16 4 3 0 1 3 1 176 56 120
Escócia 14 4 3 0 1 2 0 142 139 3
Japão 12 4 3 0 1 0 0 98 100 -2
Samoa 6 4 1 0 3 1 1 69 124 -55
Estados Unidos 0 4 0 0 4 0 0 50 156 -106
Grupo C
Nova Zelândia 19 4 4 0 0 3 0 174 49 125
Argentina 15 4 3 0 1 3 0 179 70 109
Geórgia 8 4 2 0 2 0 0 53 122 -69
Tonga 6 4 1 0 3 1 1 70 130 -60
Namíbia 1 4 0 0 4 0 1 70 174 -104
Grupo D
Irlanda 18 4 4 0 0 2 0 135 35 100
França 14 4 3 0 1 2 0 117 64 53
Itália 10 4 2 0 2 1 1 74 88 -14
Romênia 4 4 1 0 3 0 0 60 126 -66
Canadá 2 4 0 0 4 0 2 58 141 -83

 

Comentários