ARTIGO COM VÍDEO – Sete título e quatro vice campeonatos. Um currículo monstruoso que segue crescendo. Esses são os Crusaders, que hoje carimbaram vaga à final do Super Rugby pela 12ª vez em sua história (a primeira desde 2014), mais do que qualquer time da liga, após vencerem os Chiefs em clássico neozelandês por 27 x 13.

Os Crusaders tinham o mando de hoje, atuando em Christchurch, onde simplesmente ainda não perderam neste ano. E foram perfeitos, aproveitando o desgaste do time de Waikato, que chegava de viagem à África do Sul nas quartas de final. O jogo começou com controle absoluto da posse de bola pelos Chiefs, que negaram a ovalada aos Crusaders nos 10 primeiros minutos. Porém, desde o início estava claro que passar pela defesa dos rubronegros seria trabalho hercúleo e que a defesa poderia sim ganhar o jogo para os ‘Saders – o que, de fato, ocorreu.

Com a bola em mãos, os donos da casa mostraram também uma qualidade incontestável. Depois de Richie Mo’unga inaugurar o placar com penal perfeito, o primeiro try saiu aos 16’, com contra golpe em velocidade fulminante finalizando pelo scrum-half Bryn Hall. Os Chiefs logo conseguiram um momento agudo para darem a resposta, mas o TMO invalidou o apoio de Nanai-Williams por knock-on. Damian McKenzie, no entanto, reduziu o placar com 2 penais antes do intervalo, 10 x 06.

Jogo em aberto? Sim, sobretudo com os Chiefs acumulando nada menos que 74% de domínio de território. Enquanto a parede defensiva dos ‘Saders garantiam que a pressão só aumentasse sobre os Chiefs, o contra-golpe rubronegro era moral. Aos 46′, Cruden e Lowe erraram e a bola sobrou para Israel Dagg arrancar para o segundo try dos anfitriões.

- Continua depois da publicidade -

O golpe fatal dos Crusaders saiu aos 56’. Na saída do scrum, Tamanivalu recebeu em velocidade pelo meio e trombou na defesa de Waikato para abrir o espaço e cravar o terceiro try de sua equipe. O nocaute foi dado e, aos 72′, saiu o quarto try, outra vez com Tamanivalu. No fim, Brodie Retallick ainda fez o try de honra dos Chiefs. Números finais, 27 x 13 a favor dos Crusaders, finalistas do Super Rugby  2017. E liderados pelo ex treinador dos Tupis e ex All Blacks Scott “Razor” Robertson.

A grande final será no próximo sábado entre Crusaders e Lions (clique aqui para saber como foi a vitória dos Lions sobre os Hurricanes).

 

crusaders copy copy copy27versus copiar13Chiefs

Crusaders 27 x 13 Chiefs, em Christchurch

Crusaders

Tries: Tamanivalu (2), Hall e Dagg

Conversões: Mo’unga (2)

Penais: Mo’unga (1)

15 David Havili, 14 Israel Dagg, 13 Jack Goodhue, 12 Ryan Crotty, 11 Seta Tamanivalu, 10 Richie Mo’unga, 9 Bryn Hall, 8 Kieran Read, 7 Matt Todd, 6 Jordan Taufua, 5 Sam Whitelock (c), 4 Scott Barrett, 3 Owen Franks, 2 Codie Taylor, 1 Joe Moody;

Suplentes: 16 Ben Funnell, 17 Wyatt Crockett, 18 Michael Alaalatoa, 19 Luke Romano, 20 Pete Samu, 21 Mitchell Drummond, 22 Mitchell Hunt, 23 George Bridge;

Chiefs

Try: Retallick

Conversão: McKenzie (1)

Penais: McKenzie (2)

15 Damian McKenzie, 14 Tim Nanai-Williams, 13 Anton Lienert-Brown, 12 Charlie Ngatai, 11 James Lowe, 10 Aaron Cruden (cc), 9 Tawera Kerr-Barlow, 8 Michael Leitch, 7 Sam Cane (cc), 6 Liam Messam, 5 Brodie Retallick, 4 Mitchell Brown, 3 Nepo Laulala, 2 Nathan Harris, 1 Kane Hames;

Suplentes: 16 Liam Polwart, 17 Aidan Ross, 18 Atu Moli, 19 Dominic Bird, 20 Lachlan Boshier, 21 Finlay Christie, 22 Stephen Donald, 23 Shaun Stevenson;

Foto: Super Rugby