Sexta e sábado serão de pontapé inicial para o melhor do seven-a-side mundial masculino, com o Dubai Sevens inaugurando a temporada 2017-18 da HSBC World Rugby Sevens Series, a Série Mundial de Sevens, o circuito mundial que contará com 10 torneio de dezembro deste ano a junho do ano que vem.

Preparado? A temporada promete, com os times de olho na preparação para a Copa do Mundo de Sevens em julho, nos EUA.

Os jogos serão exibidos ao vivo pelo Facebook da competição.

 

- Continua depois da publicidade -

Como funciona o circuito?

A HSBC World Rugby Sevens Series, ou simplesmente Série Mundial de Sevens, o circuito mundial da modalidade, tem o seguinte formato:

  • 10 torneios, de dezembro de 2017 a junho de 2018. O campeão geral será conhecido ao final das 10 etapas;
  • 16 seleções por torneio, sendo 15 fixas (15 seleções que disputam todas as etapas) e 1 convidada por torneio;
  • Em cada torneio:
    • As 16 equipes são divididas em 4 grupos 4 equipes cada;
    • Os 2 melhores de cada grupo avançam às quartas de final pela medalha de ouro, enquanto as 2 piores da cada grupo vão às quartas de final pelo Challenge Trophy (o título dado ao 9º lugar);
    • As vencedoras das quartas de final avançam às semifinais, jogando pelas medalhas de Ouro (1º), Prata (2º) e Bronze (3º);
    • As perdedoras das quartas de final jogam pelas pelo 5º lugar, não havendo disputa de 7º;
    • Nas disputas pelo Challenge Trophy não há disputas de 11º lugar nem de 15º luigar. Além da final do Challenge Trophy (a disputa de 9º lugar) há apenas a disputa de 13º lugar;
  • Das 15 seleções fixas do circuito, a última colocada na somatória geral dos torneios ao final da temporada será rebaixada e dará lugar em 2018-19 à campeã da 2ª divisão de 2018;
  • As 15 equipes fixas são: Nova Zelândia, Austrália, Fiji, Samoa, África do Sul, Quênia, Argentina, Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Escócia, Gales, França, Espanha e Rússia;
  • A 2ª divisão consiste em apenas 1 torneio, em abril de 2018, em Hong Kong, com 12 seleções, sendo 2 de cada continente. O Brasil jogará pelas vagas sul-americanas em janeiro de 2018, nos torneios de Punta del Este (Uruguai) e Viña del Mar (Chile);

 

Pontuação de cada torneio:

1º lugar = 22 pontos / 2º lugar = 19 pontos / 3º lugar = 17 pontos / 4º lugar = 15 pontos / 5º lugar = 13 pontos / 6º lugar = 12 pontos / 7º e 8º lugares = 10 pontos / 9º lugar = 8 pontos / 10º lugar = 7 pontos / 11 e 12º lugares = 5 pontos / 13º lugar = 3 pontos / 14º lugar = 2 pontos / 15º e 16º lugares = 1 ponto;

 

Calendário 2017-18

Etapa 1 – Dubai (Emirados Árabes Unidos) – 01 e 02 de dezembro de 2017

Etapa 2 – Cidade do Cabo (África do Sul) – 09 e 10 de dezembro de 2017

Etapa 3 – Sydney (Austrália) – 26, 27 e 28 de janeiro de 2018

Etapa 4 – Hamilton (Nova Zelândia) – 03 e 04 de fevereiro de 2018

Etapa 5 – Las Vegas (Estados Unidos) – 02, 03 e 04 de março de 2018

Etapa 6 – Vancouver (Canadá) – 10 e 11 de março de 2018

Etapa 7 – Hong Kong (China) – 06, 07 e 08 de abril de 2018

Etapa 8 – Singapura (Singapura) – 28 e 29 de abril de 2018

Etapa 9 – Londres (Inglaterra) – 02 e 03 de junho de 2018

Etapa 10 – Paris (França) – 08, 09 e 10 de junho de 2018

 

O que esperar da temporada?

Favoritos

A atual campeã do circuito, a África do Sul, é novamente a grande favorita, não apenas porque o técnico Neill Powell contará com a base do time campeão, como também terá os retornos dos craques Seabelo Senatla e Kwagga Smith, reforçando os Blitzboks.

Fiji, do capitão e campeão olímpico Kolinisau, segue também no topo da lista de favoritos, mas terá um caminho de provação com a estreia de técnico novo, Garth Baber.

A Nova Zelândia é sempre candidata a título, mas nesta temporada não contará mais com seu líder supremo DJ Forbes, que deixou o sevens após ser campeão de tudo. Os All Blacks também terão início de novo trabalho com o treinador Clark Laidlaw e terão que evoluir rápido se quiserem ser de novo os donos do mundo do sevens até a Copa de 2018. Tim Mikkelson e Scott Curry seguem liderando o grupo.

A Inglaterra fecha o grupo dos quatro favoritos após fazer uma ótima temporada em 2016-17 com o vice campeonato. A base do time do técnico Simon Amor foi mantida, com Dan Norton, o maior artilheiro de tries da história do circuito, e o capitão Tom Mitchell como destaques.

 

Correndo por fora

A característica mais marcante da Série Mundial é seu equilíbrio, com muitas seleções correndo por fora na luta pelos títulos das etapas.

A Austrália é sempre um time perigoso e manteve a base da equipe da temporada passada, liderado por Holland e Stannard. O técnico Andy Friend não teve a campanha dos sonhos em 2016-17 e trabalha para dar o salto adiante.

A Argentina também está nesse grupo de aspirantes, com um elenco renovado e promissor, com novos atletas vindos dos clubes argentinos buscando um lugar no alto rendimento.

Equipe do melhor jogador do mundo de 2017, Perry Baker, os Estados Unidos são outra grande aposta do sevens mundial e a expectativa é de um crescimento contínuo dos Águias, ainda mais agora com o horizonte de 2028, quando Los Angeles receberá os Jogos Olímpicos.

O Canadá e a Escócia completam o grupo promissor por virem de grandes campanhas na temporada passada, com times muito bem montados e sempre se valendo do fato de não serem favoritos para surpreenderem. Olho neles.

 

Jogando para evoluir

A França sempre investiu pouco no sevens e sua seleção é das mais discretas do circuito. Mas, com Paris recebendo os Jogos Olímpicos a tendência é que o investimento chegue. Porém, o elenco para Dubai teve duas grandes baixas, com as ausências de Vakatawa e Bouhraoua.

Gales, por sua vez, viveu uma temporada de ladeira abaixo em 2017. Depois de um grande começo de circuito, o desempenho galês despencou.

O Quênia foi outro de mais baixos do que altos na temporada e o time do craque Collins Injera também não vive um bom momento.

Samoa fez uma temporada para se esquecer sob o comando do super técnico neozelandês Gordon Tietjens, que terá muito a melhor na equipe neste ano, tendo seu trabalho dificultado pela crise econômica da federação do país.

 

Pela permanência

Dificilmente a luta contra o rebaixamento não ficará entre Espanha e Rússia, as seleções mais fracas do circuito. A Espanha retorna à elite, enquanto a Rússia se salvou no limite do rebaixamento.

 

Lista de campeões

TemporadaNúmero de torneiosCampeão
1999-0010Nova Zelândia
2000-019Nova Zelândia
2001-0211Nova Zelândia
2002-037Nova Zelândia
2003-048Nova Zelândia
2004-057Nova Zelândia
2005-068Fiji
2006-078Nova Zelândia
2007-088Nova Zelândia
2008-098África do Sul
2009-108Samoa
2010-118Nova Zelândia
2011-129Nova Zelândia
2012-139Nova Zelândia
2013-149Nova Zelândia
2014-159Fiji
2015-1610Fiji
2016-1710África do Sul
2017-1810-
Ranking Títulos
Nova Zelândia12
Fiji3
África do Sul2
Samoa1

 

O que esperar de Dubai?

Em transição, a Nova Zelândia talvez tenha pego o grupo mais complicado da primeira fase, com o ambicioso time dos Estados Unidos, a revigorada Argentina e a pressionada Samoa.

A campeã África do Sul terá um grupo quase todo africano, com o Quênia e a convidada Uganda na mesma chave. O Canadá fecha o grupo e promete embate interessante com os quenianos, mas a primeira posição dos Boks dificilmente será ameaçada.

Fiji encabeça o Grupo C e colocará à prova as ambições da Austrália, enquanto Gales é a incógnita e a Rússia joga de novo pela sobrevivência.

Por fim, o Grupo B é todo europeu e tem a favorita Inglaterra medindo forças com a rival e sempre perigosa Escócia. A França corre por fora precisando se provar e a Espanha completa o grupo reestreando na elite mundial e buscando aprendizados nesse início de temporada.

 

Dubai Sevens – 1ª etapa da HSBC World Rugby Womens Sevens Series

Grupo A: África do Sul, Canadá, Quênia e Uganda

Grupo B: Inglaterra,. Escócia, França e Espanha

Grupo C: Fiji, Austrália, Gales e Rússia

Grupo D: Nova Zelândia, Estados Unidos, Argentina e Samoa

 

Sexta-feira, dia 01 de dezembro

Das 03h00 às 15h00 (hora de Brasília)

Estados Unidos x Argentina

Nova Zelândia x Samoa

Austrália x Gales

Fiji x Rússia

Canadá x Quênia

África do Sul x Uganda

Escócia x França

Inglaterra x Espanha

Estados Unidos x Samoa

Nova Zelândia x Argentina

Austrália x Rússia

Fiji x Gales

Canadá x Uganda

África do Sul x Quênia

Escócia x Espanha

Inglaterra x França

Argentina x Samoa

Nova Zelândia x Estados Unidos

Gales x Rússia

Fiji x Austrália

Quênia x Uganda

África do Sul x Canadá

França x Espanha

Inglaterra x Escócia

 

Sábado, dia 02 de dezembro

Das 03h30 às 14h00 (hora de Brasília)

Finais

 

Foto: Dubai 7s 2016 – África do Sul x Fiji