União de Rugby do Uruguai (URU)

ARTIGO COM VÍDEOS – A expectativa era de um grande jogo em Montevidéu entre Uruguai e Estados Unidos, valendo para os dois times as chances de título no Americas Rugby Championship. O histórico recente sugeria uma partida parelha até o fim e de grande emoção, mas o Uruguai não correspondeu. Exaustos da maratona de jogos, os Teros fizeram seu pior jogo no ano e foram completamente dominados pelos EUA, que só no primeiro tempo chegaram a abrir acachapantes 40 x 00, para fecharem o jogo em 61 x 19. Título assegurado para os estadunidenses, bicampeões do ARC! Pela primeira vez, uma seleção foi campeã da competição com 5 vitórias e 5 jogos. E as Águias mantém invencibilidades no ARC em duas temporadas seguidas.

Os Estados Unidos expuseram desde o inicio falhas na defesa uruguaia e somaram 3 tries em questão de 20 minutos, para praticamente liquidarem o jogo logo em seu início, com Lamborn, Te’o e Fawsett cruzando o in-goal. O bônus saiu rápido, com Arata cometendo penal try aos 28′, impedindo try estadunidense e recebendo cartão amarelo, para deixar a situação mais críticas contra os Teros. O resultado não podia ser outro e os EUA fecharam o primeiro tempo com mais 2 tries, de Augspurger, após chute no fundo, e de Germishuys, virando o máximo tryman do ARC, com 4 tries.

A briga pela artilharia do campeonato estava em aberto e Te’o também chegou a seu quarto try logo no começo da segunda etapa. Os Teros já não tinham mais nada a perder e tiveram seu brilho, com Arata fazendo seu try pouco depois, seguido de outro try uruguaio, com Cat.

A reação uruguaia foi esfriada aos 55′, com try de Whippy para os EUA. Mieres marcou mais um para os donos da casa, aos 65′, mas a palavra final foi dos visitantes, com o último try, de Wooching. Taça garantida com “Grand Slam” para os norte-americanos.

- Continua depois da publicidade -

Além de Te’o e Germihuys, os artilheiros em tries do campeonato, os EUA também tiveram o artilheiro em pontos, Will Magie, com 38 pontos na conta, superando Josh Reeves, do Brasil, após guardar 6 conversões para as Águias contra os Teros.

 

19versus copiar61

Uruguai 19 x 61 Estados Unidos, em Montevidéu

Árbitro: Federico Anselmi (Argentina)

Uruguai

Tries: Mieres, Arata e Cat

Conversões: Albanell (2)

1 Mateo Sanguinetti, 2 Germán Kessler, 3 Juan Echeverría, 4 Ignacio Dotti, 5 Rodolfo Garese, 6 Juan Manuel Gaminara (c), 7 Juan Diego Ormaechea, 8 Manuel Diana, 9 Santiago Arata, 10 Germán Albanell, 11 Nicolás Freitas, 12 Andrés Vilaseca, 13 Juan Manuel Cat, 14 Leandro Leivas, 15 Rodrigo Silva;

Suplentes: 16 Matías Benítez, 17 Carlos Pombo, 18 Felipe Inciarte, 19 Diego Ayala, 20 Diego Magno, 21 Joaquín Prada, 22 Tomás Inciarte, 23 Gastón Mieres;

Estados Unidos

Tries: Te’o (2), Germishuys, Augspurger, Lamborn, Whippy, Wooching, Fawsitt e Penal try

Conversões: Magie (6) e Cima (1)

1 Huluholo Mo’ungaloa, 2 Dylan Fawsitt, 3 Chris Baumann, 4 Brendan Daly, 5 Ben Landry, 6 Hanco Germishuys, 7 Tony Lamborn, 8 Cam Dolan, 9 Shaun Davies, 10 Will Magie, 11 Nate Augspurger (c), 12 Paul Lasike, 13 Bryce Campbell, 14 Mike Te’o, 15 Dylan Audsley;

Suplentes: 16 Peter Malcolm, 17 Tony Purpura, 18 Dino Waldren, 19 Matt Jensen, 20 Psalm Wooching, 21 Ruben de Haas, 22 Ben Cima, 23 Josh Whippy;

 

Canadá fecha o torneio ajudando o Brasil

Em Santiago, o Chile recebeu o Canadá, em jogo que valia para os dois times apenas pelo Ranking Mundial. E o Chile acabou lamentando sua quinta derrota, permanecendo sem uma vitória na competição desde 2016 e aguardando a confirmação de sua queda no Ranking Mundial para o 29º lugar geral, fechando a série de tests atrás do Brasil no ranqueamento.

O Canadá se impôs por completo no primeiro tempo, cravando 3 tries sem resposta, com Lloyd, Rumball e Baillie, para abrir 22 x 03. O segundo tempo não encheu os olhos e o jogo se encaminhava para os instantes afinais apenas com Ferguson marcando o quarto try canadense, abrindo 30 x 03. Mas os chilenos tiveram um último brilho marcando 2 tries no apagar das luzes, com Urrutia e Escobar. No lance final, McRorie chutou um penal derradeiro para os Canucks, fechando o duelo em 33 x 03.

 

17versus copiar33

Chile 17 x 33 Canadá, em La Serena

Árbitro: Pablo De Luca (Argentina)

Chile

Tries: Urrutia e Escobar

Conversões: Ianiszewski (1)

Penais: Ianiszewski (1)

1 Vittorio Lastra, 2 Tomás Dussaillant, 3 José Tomás Munita, 4 Nikola Bursic, 5 Mario Mayol, 6 Javier Richard, 7 Anton Petrowitsch, 8 Manuel Dagnino, 9 Juan Pablo Perrotta, 10 Benjamín Pizarro, 11 Ítalo Zunino, 12 Francisco de la Fuente, 13 José Ignacio Larenas (c), 14 Lucca Avelli, 15 Tomás Ianiszewski;

Suplentes: 16 Rodrigo Moya, 17 Sebastián Otero, 18 Basilio Díaz, 19 Benjamín Soto, 20 Alfonso Escobar, 21 Beltrán Vergara, 22 José Tomás Maturana, 23 Mauricio Urrutia;

Canadá

Tries: Baillie, Rumball, Ferguson e Lloyd

Conversões: McRorie (2)

Penais: McRorie (3)

1 Djustice Sears-Duru, 2 Ray Barkwill, 3 Jake Ilnicki, 4 Josh Larsen, 5 Kyle Baillie, 6 Dustin Dobravsky, 7 Lucas Rumball, 8 Luke Campbell, 9 Phil Mack (c), 10 Gordon McRorie, 11 Kainoa Lloyd, 12 Nick Blevins, 13 Doug Fraser, 14 Cole Davis, 15 Josh Thiel;

Suplentes: 16 Martial Lagain, 17 Noah Barker, 18 Cole Keith, 19 Conor Keys, 20 Cam Polson, 21 Andrew Ferguson, 22 Patrick Parfrey, 23 Guiseppe du Toit;

 

EquipeApelidoPJVED4+-7PPPCSP
Estados UnidosEagles2455004019768129
ArgentinaArgentina XV2154014116969100
UruguaiTeros1453022016815711
CanadáCanucks115202301321293
BrasilTupis451030063159-96
ChileCóndores150050171218-147
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;