Racing simplifica seu nome e Bayonne se aproxima de fusão com Biarritz

Desde 2001, o torcedor de um dos mais antigos clubes da França, o Racing Club de France, de Paris, torcia, na verdade, para um clube de nome levemente diferente: o Racing Métro 92. Naquele ano, a seção de rugby do Racing, clube poliesportivo – e tradicionalista – da capital francesa deixou a égide de sua matriz e se fundiu com o US Métro, clube dos funcionários dos transportes públicos da cidade, em uma junção, no mínimo, eclética, que unia um dos clubes mais elitistas da cidade com um clube de trabalhadores. A fusão permitiu ao Racing crescer dentro do profissionalismo e se tornar a potência que é hoje.

 

Nesta quarta-feira, no entanto, o presidente da equipe, Jacky Lorenzetti, anunciou que o Racing Métro 92 passará a se chamar apenas Racing 92 (informalmente, apenas Racing), retirando o nome do Métro. O número “92”, que se refere ao número do departamento de Hauts-de-Sein, distrito suburbano de Paris onde joga o Racing, foi mantido para reforçar os laços com a região.

 

Bayonne e Biarritz mais próximos de uma fusão

Enquanto isso, uma possível fusão entre os clubes bascos Bayonne e Biarritz ganhou força nesta semana, com o apoio formal de Paul Goze, presidente da LNR, a Liga Nacional de Rugby, entidade que organiza as duas competições profissionais da França, o Top 14 e a Pro D2. A junção também ganhou o apoio do conselho do departamento profissional do Bayonne. A decisão final caberá agora ao conselho do departamento amador do Bayonne, que inclui os sócios da agremiação. Entre eles, há muita oposição com relação à fusão.

 

Nas últimas semanas, muitos protestos surgiram contra a ideia de juntar os dois clubes rivais, sobretudo da parte da torcida do Bayonne, ao passo que os torcedores do Biarritz tem se manifestado menos em oposição ao projeto.

 

Na Itália, Firenze e Prato se unem para formar o Fiorentina Rugby

Se o assunto é fusão, a Itália viveu uma junção de dois clubes rivais que pode ter ótimos desdobramentos no rugby do país. Ameaçado de falência e rebaixado à segunda divisão, o I Cavalieri Prato foi salvo pela fusão de seu departamento de rugby com o Firenze 1936, clube de Florença. Prato é justamente o principal subúrbio de Florença, mas historicamente possui maior proeminência no rugby. A união das duas forças deu origem ao Fiorentina Rugby, ainda sem vínculo formal com o clube de futebol, mas utilizando as mesmas cores do famoso clube viola.

 

O novo time da Toscana começará no próximo ano na Serie A, a segunda divisão italiana.

Comentários