ARTIGO COM VÍDEOS – Passada a temporada de Super Rugby e dos jogos internacionais, a conclusão do ano foi diferente para Japão e Argentina. Os Pumas se despediram dos amistosos de novembro com mais uma derrota em ano desapontador. 28 x 19 frente à Irlanda. Já os japoneses conseguiram um histórico empate contra a França que, vive um momento desalentador. Estreia de novo estádio em Paris e um resultado para deixar o torcedor francês de cabelo em pé, 23 x 23, que poderia ter perfeitamente acabado com triunfo asiático.

 

Irlanda vence e Argentina vai às férias

A Argentina precisava de férias e terá. O último jogo dos Pumas no ano foi em Dublin contra a Irlanda e o encontro teve os verdes dominando as ações, com os sul-americano0s reagindo apenas no fim.

- Continua depois da publicidade -

O primeiro tempo foi de equilíbrio e teve somente um try, de Stockdale para a Irlanda, aos 21′, depois de Sexton furar a defesa argentina na velocidade. 13 x 00 que se ampliaram para 20 x 00 com Stockdale arrancando no começo do segundo tempo para novo try verde. Somente com essa desvantagem a Argentina passou a produzir e chegou a acumular 70% de posse de bola. Aos 55′, Sánchez chutou para o in-goal e Tuculet cravou o primeiro try argentino, mostrando a qualidade da linha azul. Mas a resposta foi rápida com CJ Stander, aos 63′, cravando o try da segurança irlandesa em lateral seguido de maul.

Somente quando o jogo já estava definido os Pumas conseguiram mais 2 tries, com Leguizamón e Moyano, para se despedirem de cabeça erguida da temporada. Irlanda 28 x 19.

 

28versus copiar19

Irlanda 28 x 19 Argentina, em Dublin

Árbitro: Mathieu Raynal (França)

Irlanda

Tries: Stockdale (2) e Stander

Conversões: Sexton (2)

Penais: Sexton (3)

15 Rob Kearney, 14 Adam Byrne, 13 Chris Farrell, 12 Bundee Aki, 11 Jacob Stockdale, 10 Johnny Sexton, 9 Conor Murray, 8 CJ Stander, 7 Sean O’Brien, 6 Peter O’Mahony, 5 Iain Henderson, 4 James Ryan, 3 Tadhg Furlong, 2 Rory Best (c), 1 Cian Healy;

Suplentes: 16 James Tracy, 17 Dave Kilcoyne, 18 John Ryan, 19 Devin Toner, 20 Rhys Ruddock, 21 Luke McGrath, 22 Ian Keatley, 23 Andrew Conway;

Argentina

Tries: Tuculet, Leguizamón e Montoya

Conversões: Sánchez (2)

15 Joaquin Tuculet, 14 Ramiro Moyano, 13 Matias Moroni, 12 Santiago Gonzalez Iglesias, 11 Emiliano Boffelli, 10 Nicolas Sanchez, 9 Martin Landajo, 8 Tomas Lezana, 7 Marcos Kremer, 6 Pablo Matera, 5 Tomas Lavanini, 4 Matias Alemanno, 3 Nahuel Tetaz Chaparro, 2 Agustin Creevy (c), 1 Santiago Garcia Botta;

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Lucas Noguera, 18 Enrique Pieretto, 19 Guido Petti, 20 Juan Manuel Leguizamon, 21 Gonzalo Bertranou, 22 Jeronimo de la Fuente, 23 Sebastian Cancelliere;

França naufraga na estreia de novo estádio

Não podia terminar de forma mais decepcionante o 2017 francês. Na inauguração para o rugby da moderna U Arena, a nova casa do Racing, em Nanterre, subúrbio de Paris, os Bleus fizeram um jogo limitado e cederam um empate ao aguerrido Japão, 23 x 23 que poderia ter sido uma vitória do Japão, se o último chute de conversão não tivesse sido desperdiçado pelos nipônicos.

O jogo começou com o Japão chutando os primeiros pontos com um penal de Tamura aos 3′, mas a França empatou na mesma moeda pouco depois com penal de Trinh-Duc. Os franceses logo tiveram seu primeiro try anulado em jogada que teve um passe para a frente e caberia aos Brave Blossoms o primeiro try do dia. Os japoneses estavam ousados, usando e abusando de seu jogo em velocidade e, aos 23′, Matsushima quebrou a linha de vantagem e a bola viajou até a outra ponta para Shota Horie marcar o primeiro try do jogo. O sinal de alerta estava ligado para a França, que não tardou a ter suas chances, com Lacroix tendo um try anulado, o segundo, na sequência por pisar fora de campo por tackle de Tatekawa. Os Bleus insistiram e foram recompensados com penal de Trinh-Duc seguido por try de Rabah Slimani, após belo offload de Baptiste Serin. França na frente no intervalo por 13 x 08.

O segundo tempo começou mal para os donos da casa, com Keita Inagaki rompendo a defesa francesa e Timothy Lafaele cruzando o in-goal aos 42′. Lacroix deu a resposta conseguindo seu try aos 49′, recebendo lindo chute cruzado de Trinh-Duc. Parecia que a França encontrava seu caminho, mas só parecia. Incapaz de produzir, a França seguiu constantemente em perigo pelo jogo de mãos qualificado dos japoneses e, depois de uma troca de penais, coube a Shintaro Ishihara marcar o try do empate asiático, aos 73′, depois de longa pressão e domínio dos Blossoms. A sorte francesa foi que a conversão não entrou, deixando o placar em 23 x 23. E vaias para os Bleus na saída do jogo.

 

23versus copiar23

França 23 x 23 Japão, em Nanterre/Paris

Árbitro: Luke Pearce (Inglaterra)

França

Tries: Slimani e Lacroix

Conversões: Trinh-Duc (2)

Penais: Trinh-Duc (3)

15 Scott Spedding, 14 Gabriel Lacroix, 13 Damian Penaud, 12 Henry Chavancy, 11 Teddy Thomas, 10 Francois Trinh-Duc, 9 Baptiste Serin, 8 Louis Picamoles, 7 Sekou Macalou, 6 Judicaël Cancoriet, 5 Sébastien Vahaamahina, 4 Romain Taofifenua, 3 Rabah Slimani, 2 Guilhem Guirado (c), 1 Jefferson Poirot;

Suplentes: 16 Camille Chat, 17 Daniel Kotze, 18 Sebastien Taofifenua, 19 Paul Jedrasiak, 20 Fabien Sanconnie, 21 Antoine Dupont, 22 Mathieu Bastareaud, 23 Hugo Bonneval;

Japão

Tries: Horie, Lafaele e Ishihara

Conversões: Tamura (1)

Penais: Tamura (2)

15 Kotaro Matsushima, 14 Lomano Lemeki, 13 Timothy Lafaele, 12 Harumichi Tatekawa, 11 Kenki Fukuoka, 10 Yu Tamura, 9 Yutaka Nagare, 8 Amanaki Mafi, 7 Michael Leitch, 6 Kazuki Himeno, 5 Shinya Makabe, 4 Wimpie van der Walt, 3 Jiwon Koo, 2 Shota Horie, 1 Keita Inagaki;

Suplentes: 16 Atsushi Sakate, 17 Shintaro Ishihara, 18 Asaeli Ai Valu, 19 Yoshitaka Tokunaga, 20 Fetuani Lautami, 21 Fumiaki Tanaka, 22 Sione Teaupa, 23 Yoshikazu Fujita;

Foto: França x Japão – FFR