França vence Inglaterra e Escócia derrota Itália

ARTIGO COM VÍDEOS – Sábado repleto de bons jogos em ritmo de Copa do Mundo! No terceiro Le Crunch do ano, enfim a França venceu, fazendo a festa de sua torcida em Paris, que viu os Bleus fazerem um grande jogo e vencerem os ingleses por 25 x 20. Em Turim, a Itália não teve o mesmo sucesso e perdeu nos instantes finais para a Escócia, 16 x 12. No Japão, foi o time da casa que falou mais alto contra o Uruguai, 30 x 8, ao passo que, em Ottawa o Canadá sofreu duplo revés contra os Estados Unidos, perdendo tanto no masculino como no feminino. A Romênia também entrou em campo, sendo derrotada pelo Edinburgh, da Escócia, enquanto na Papua Nova Guiné foi dada a largada para a Copa da Oceania, com vitórias da equipe anfitriã e da Samoa Americana.

 

França renasce e vence Inglaterra em grande apresentação do recordista Michalak

A França renasceu às vésperas da Copa do Mundo. Em grande apresentação no Stade de France, os tricolores venceram a Inglaterra por 25 x 20, dominaram o jogo por 70 minutos e festejaram o grande desempenho de seu time, orquestrado por Fréd Michalak, que se provou a grande carta na manga do técnico Philippe Saint-André e atingiu a marca de 391 pontos com a camisa francesa e se tornou o maior pontuador da história da seleção

 

A França começou senhora da partida, controlando a posse de bola e afunilando o jogo na base, onde novamente se mostrou superior à Inglaterra e se impôs no breakdown. Os primeiros pontos não tardaram, com um penal para Spedding e três para Michalak bater sem problemas em 25 minutos, fazendo de Michalak o recordista com a camisa azul. A Inglaterra deu sua resposta apenas aos 27′, com penal de George Ford, e antes do intervalo Michalak e Ford ainda trocaram novamente penais, levando o jogo ao intervalo em 15 x 6 para os azuis. 69% de posse de bola e 70% de território para os franceses, além de dois laterais roubados, expondo mais uma grave deficiência inglesa, além de capitalizar com os chutes, sobretudo pelos boxkicks de Tillous-Borde. Apenas nos turnovers a Inglaterra respirou, garantindo mais roubadas que os franceses, com sua terceira linha crescendo antes do intervalo.

 

Porém, o reinício da partida foi de festa para os azuis, pois, logo aos 45′, Yoann Huget recebeu de Michalak, costurou brilhantemente a defesa e mergulhou para o try da França. Festa em Paris, e grande vantagem para os Bleus. Sem criar nada, a Inglaterra seguiu sofrendo, mas a França diminuiu a pressão e só voltou a pontuar com penal aos 61′. O relaxamento, no entanto, quase custou caro aos franceses, co reação tardia inglesa após a entrada de Danny Care e Dnny Cipriani no time. Aos 71′, Care criou para Cipriani fazer o primeiro try inglês e, aos 77′, Mike Brown arrancou e deixou com Jonathan Joseph, que fez o segundo try. Os minutos derradeiros foram de pressão dos visitantes por uma milagrosa virada, que não veio. 25 x 20, triunfo francês.

 

A Inglaterra faz seu último amistoso no dia 5 de setembro contra a Irlanda, na mesma data que a França recebe a Escócia em Paris.

 

França vermelho25versus(16)20inglaterra novo

França 25 x 20 Inglaterra, em Paris

Árbitro: Jaco Peyper (África do Sul)

 

França

Try: Huget

Conversão: Michalak (1)

Penais: Michalak (5) e Spedding

15 Scott Spedding, 14 Yoann Huget, 13 Mathieu Bastareaud, 12 Wesley Fofana, 11 Noa Nakaitaci, 10 Frédéric Michalak, 9 Sébastien Tillous-Borde, 8 Louis Picamoles, 7 Bernard le Roux, 6 Damien Chouly, 5 Yoann Maestri, 4 Pascal Papé (c), 3 Rabah Slimani, 2 Guilhem Guirado, 1 Eddy Ben Arous.

Suplentes: 16 Benjamin Kayser, 17 Vincent Debaty, 18 Uini Atonio, 19 Alexandre Flanquart, 20 Yannick Nyanga, 21 Rory Kockott, 22 Rémi Talès, 23 Gaël Fickou

 

Inglaterra

Tries: Cipriani e Joseph

Conversões: Ford (2)

Penais: Ford (2)

15 Mike Brown, 14 Jack Nowell, 13 Jonathan Joseph, 12 Luther Burrell, 11 Jonny May, 10 George Ford, 9 Ben Youngs, 8 Billy Vunipola, 7 Chris Robshaw (c), 6 James Haskell, 5 Courtney Lawes, 4 Joe Launchbury, 3 Dan Cole, 2 Tom Youngs, 1 Joe Marler.

Suplentes: 16 Jamie George, 17 Mako Vunipola, 18 David Wilson, 19 Dave Attwood, 20 Nick Easter, 21 Danny Care, 22 Danny Cipriani, 23 Billy Twelvetrees.

 

Itália volta a frustrar sua torcida, escorregando no fim contra a Escócia

Finalmente, a Escócia venceu em 2015. A primeira vitória no ano veio fora de casa contra a Itália, em Turim, dando o troco nos italianos, que tinham vencido no Six Nations em Edimburgo. O público em Turim não se empolgou e o estádio não esteve cheio para a primeira partida de aquecimento da Itália para o Mundial.

 

O jogo foi muito duro do começo ao fim, sem espaços e com os packs canalizando o jogo, como esperado. A indisciplina afetou os Azzurri no início e Duncan Weir abriu 6 x 0 com dois penais para o Cardo. Aos 17′, a Itália descontou, com Garcia acertando sua segunda tentativa de penal de longa distância. Weir devolveu com novo penal aos 19′, mas a Itália cresceu antes do intervalo e Tommaso Allan chutou outros dois penais empatando a peleja, com os italianos encerrando o primeiro tempo em alta, com nada menos que 72% de posse de bola, apesar do má forma de seu lateral.

 

O segundo tempo foi ainda mais físico e com os dois times ousando pouco. Os Azzurri chegaram perto do try com Castrogiovanni. Aos 61′, Allan adicionou o quarto penal para os donos da casa, que se puseram em momento crucial na frente. A Itália era a dona do jogo, mas, aos 73′, Henry Pyrgos resolveu, após sequência de erros, Matt Scott trocou passes com Pyrgos que arrancou e voou para o try da vitória, que pôs fim à série de seis derrotas seguidas dos escoceses, em jogo pobre. 16 x 12.

 

Os dois times voltam a se enfrentar no dia 29 em Murrayfield.

 

italia copy copy12versus(16)16escocia logo(11)

Itália 12 x 16 Escócia, em Turim

Árbitro: JP Doyle (Inglaterra)

 

Escócia

Try: Pyrgos

Conversão: Weir (1)

Penais: Weir (3)

15 Greig Tonks, 14 Sean Lamont, 13 Richie Vernon, 12 Matt Scott, 11 Rory Hughes, 10 Duncan Weir, 9 Sam Hidalgo-Clyne, 8 Adam Ashe, 7 John Hardie, 6 Alasdair Strokosch, 5 Grant Gilchrist (c), 4 Richie Gray, 3 Mike Cusack, 2 Stuart McInally, 1 Gordon Reid.

Suplentes: 16 Ross Ford, 17 Alasdair Dickinson, 18 Willem Nel, 19 Jim Hamilton, 20 Hamish Watson, 21 Henry Prygos, 22 Peter Horne, 23 Damien Hoyland.

 

Itália

Penais: Allan (3) e Garcia (1)

15 Andrea Masi, 14 Leonardo Sarto, 13 Tommaso Benvenuti, 12 Gonzalo Garcia, 11 Giovambattista Venditti, 10 Tommaso Allan, 9 Guglielmo Palazzani, 8 Samuela Vunisa, 7 Alessandro Zanni, 6 Francesco Minto, 5 Valerio Bernabó, 4 Quintin Geldenhuys (c), 3 Lorenzo Cittadini, 2 Davide Giazzon, 1 Matias Aguero.

Suplentes: 16 Leonardo Ghiraldini, 17 Michele Rizzo, 18 Martin Castrogiovanni, 19 Marco Bortolami, 20 Mauro Bergamasco, 21 Marcello Violi, 22 Carlo Canna, 23 Luke McLean.

 

 

Estados Unidos deixa Canadá para trás

A ordem de forças se inverteu de vez na América do Norte. Em Ottawa, capital canadense, Canadá e Estados Unidos se enfrentaram pela segunda vez no ano, a segunda em solo canadense, e novamente a vitória foi dos Estados Unidos, que pela primeira vez na história perder três jogos seguidos para as Águias, já contando com a derrota de 2014.

 

Os EUA se impuseram com categoria, com Peterson e Durutalo fazendo os dois únicos tries do primeiros tempo para as Águias, superiores fisicamente. No segundo tempo, o Canadá voltou determinado e encostou no placar com dois tries, de Paris e Blevins, mostrando velocidade, mas logo seu ritmo caiu, sua defesa se abriu e o vizinhos atropelaram no fim. Suniula, Petri e Dolan cruzaram o in-goal nos 15 minutos finais e os EUA comemoraram a indiscutível vitória. Carpenter ainda descontou para os Canucks, 41 x 23, mantendo o Canadá sem vitórias em 2015.

 

Antes da partida masculina, as fortes seleções femininas dos dois países se enfrentaram e outra vitória dos EUA foi registrada, com 32 x 5 para as Águias.

 

canada copy copy23versus(16)41usa_rugby_logo

Canadá 23 x 41 Estados Unidos, em Ottawa

Árbitro: Stuart Berry (África do Sul)

 

Canadá

Tries: Paris, Blevins e Carpenter

Conversões: Hirayama (1)

Penais: McRorie (1)

Drop goals: Hirayama (1)

15 Harry Jones, 14 Phil Mackenzie, 13 Conor Trainor, 12 Nick Blevins, 11 Taylor Paris, 10 Nathan Hirayama, 9 Gordon McRorie, 8 Aaron Carpenter (c), 7 John Moonlight, 6 Nanyak Dala, 5 Jon Phelan, 4 Tyler Hotson, 3 Doug Wooldridge, 2 Ray Barkwill, 1 Hubert Buydens.

Suplentes: 16 Benoit Piffero, 17 Djustice Sears-Duru, 18 Andrew Tiedemann, 19 Evan Olmstead, 20 Kyle Gilmour, 21 Phil Mack, 22 Ciaran Hearn, 23 Matt Evans.

 

Estados Unidos

Tries: Peterson, Durutalo, Suniula, Petri, Dolan

Conversões: MacGinty (5)

Penais: MacGinty (2)

15 Chris Wyles (c), 14 Blaine Scully, 13 Seamus Kelly, 12 Thretton Palamo, 11 Brett Thompson, 10 AJ MacGinty, 9 Mike Petri, 8 Danny Barrett, 7 Andrew Durutalo, 6 Al McFarland, 5 Greg Peterson, 4 Cameron Dolan, 3 Titi Lamositele, 2 Zach Fenoglio, 1 Eric Fry.

Suplentes: 16 Phil Thiel, 17 Olive Kilifi, 18 Chris Baumann, 19 Louis Stanfill, 20 Matt Trouville, 21 John Quill, 22 Niku Kruger, 23 Andrew Suniula.

 

Feminino: Canadá 05 x 32 Estados Unidos, em Ottawa

 

Japão derrota Uruguai na primeira partida da série

Em Fukuoka, no Japão, perante mais de 10 mil torcedores, o Japão venceu o Uruguai na primeira da série de duas partidas entre as seleções antes da Copa do Mundo. 30 x 8 no marcador para os asiáticos, que quebraram a série de quatro derrotas seguidas. Os Teros mantiveram o jogo parelho no primeiro tempo, que se encerrou em 17 x 8 para os nipônicos, graças aos tries de Hendrik Tui e Shota Horie, enquanto Etcheverry cravou o único try uruguaio, em saída de scrum, mantendo os visitantes no páreo. Porém, com um scrum superior e um lateral funcionando, o Japão liquidou a partida na segunda etapa, com Tui fazendo seu segundo try, em maul devastador, e Goromaru adicionando mais dois penais, que selaram a vitória japonesa. O Uruguai, sem a posse de bola, caiu de rendimento na segunda etapa e nada pode fazer.   Os times voltam a se enfrentar no próximo sábado em Tóquio.

 

japao30versus(16)08uru novo copy copy

Japão 30 x 08 Uruguai, em Fukuoka

Árbitro: Jérôme Garcès (França)

 

Japão Tries: Tui (2) e Horie Conversões: Goromaru (3) Penais: Goromaru (3) 1 Masataka Mikami, 2 Shota Horie, 3 Kensuke Hatakeyama, 4 Hitoshi Ono, 5 Shoji Ito, 6 Michael Leitch, 7 Hayden Hopgood, 8 Hendrik Tui,  9 Atsushi Hiwasa,10 Kosei Ono, 11 Keisuke Uchida, 12 Yu Tamura,13 Male Sa’u,14 Karne Hesketh, 15 Ayumu Goromaru.

Suplentes: 16 Takayuki Watanabe, 17 Hiroki Yuhara, 18 Shinnosuki Kakinaga, 19 Luke Thompson, 20 Tsuyoshi Murata, 21 Fumiaki Tanaka, 22 Toshiaki Hirose, 23 Yoshikazu Fujita.

 

Uruguai Try: Etcheverry Penais: Berchesi (1) 1 Alejo Corral, Nicolás Klappenbach, 3 Mario Sagario, 4 Santiago Vilaseca (c), 5 Jorge Zerbino, 6 Juan Gaminara, 7 Diego Magno, 8 Alejandro Nieto, 9 Agustín Ormaechea, 10 Felipe Berchesi, 11 Jerónimo Etcheverry, 12 Andrés Vilaseca, 13 Joaquín Prada, 14 Santiago Gibernau, 15 Gastón Mieres. Suplentes: 16 Germán Kessler, 17 Oscar Durán, 18 Carlos Arboleya, 19 Franco Lamanna, 20 Matías Beer, 21 Juan de Freitas, 22 Alejo Durán, 23 Leandro Leivas.

Romênia cai contra desfalcado Edinburgh

A Romênia enfrentou mais um clube em seu aquecimento para o Mundial, e saiu derrotada. Jogando na Escócia, os romenos não foram páreo para o Edinburgh, que atuou desfalcado de seus principais nomes. Ainda assim, o time do PRO12, em pré-temporada, venceu por 31 x 16, com o asa Roddy Grant fazendo três tries para os escoceses. O ponta Apostol fez o try solitário dos romenos, que voltam a campo no dia 5, em Bucareste, contra Tonga.

 

Edinburgh_Rugby_Badge31versus(16)16romênia copy copy

Edinburgh 31 x 16 Romênia, em Melrose

 

Largada para a Copa da Oceania

Em Port Moresby, capital da Papua Nova Guiné, foi dada a largada para a Copa da Oceania, o torneio de Rugby XV do segundo escalão do continente, com quatro seleções inscritas neste ano. Na primeira rodada, a seleção da casa levou a melhor, superando o Tahiti por 32 x 10, enquanto Samoa Americana, que não fazia um jogo oficial de XV há décadas, derrotou as Ilhas Salomão, 30 x 15. Os times voltam a campo no dia 26, com Papua Nova Guiné e Samoa Americana duelando.

 

oceania cup

Copa da Oceania – em Port Moresby, Papua Nova Guiné

Papua Nova Guiné 32 x 10 Tahiti

Samoa Americana 30 x 15 Ilhas Salomão

 

 

Comentários