Gales supera Irlanda, Escócia atropela Itália e Samoa cai diante dos Barbarians

ARTIGO COM VÍDEOS – Três jogos envolvendo equipes bem cotadas na Copa do Mundo aconteceram neste sábado. Jogando em Dublin, Gales deu o troco sobre a Irlanda e derrotou a rival fora de casa em jogo sofrido e emocionante, com as duas equipes levando a campo XVs muito próximos dos que serão vistos no Mundial. 16 x 10 no marcador.

 

Em Edimburgo, a Escócia não deu trégua à Itália e mostrou todas as deficiências preocupantes dos Azzurri. Foi um atropelo escocês para dar moral para a Copa do Mundio: 48 x 7, a maior vitória da história da Escócia sobre a Itália.  Enquanto isso, no Estádio Olímpico de Londres, um excelente público assistiu aos Barbarians, de Bakkies Botha, Carl Hayman e Ali Williams, derrotarem Samoa em jogo empolgante, encerrado em 27 x 24 para os Baa-baas.

 

Gales cresce e carimba faixa da campeã europeia

Ao contrário da partida em Cardiff no início do mês, o jogo entre Irlanda e Gales em Dublin neste sábado colocou frente a frente dois elencos praticamente completos, com Joe Schmidt e Warren Gatland buscando construir seus times para o Mundial.

 

A partida começou com Gales dando mostras de seu poderio no pack, o que poderá fazer a diferença contra australianos e ingleses na Copa do Mundo. O domínio em posse e território dos galeses rendeu frutos logo, com Halfpenny abrindo o placar com penal aos 17′. As oportunidades já se acumulavam para os vermelhos, que trocaram o chute aos paus pelo lateral aos 20′, apostando na força de seu maul. E deu resultado. Após duas sequências de maul-penal-lateral-maul Gales rompeu a defesa verde com Justin Tipuric, em partida exuberante, fazendo o primeiro try do jogo, para abrir 10 x 0 no marcador.

 

Se o maul e o scrum eram dos galeses, o breakdown era dos irlandeses. Sexton reduziu logo depois com penal e, aos 40′, depois de investida de O’Mahony, Henderson, também um dos destaques da partida, mostrou qualidade na passada e quebrou a linha defensiva galesa para fazer o try dos donos da casa, 10 x 10 no intervalo.

 

No segundo tempo, a velocidade da partida aumentou, mas a capacidade defensiva dos dois lados falou mais alto. A Irlanda lamentou as lesões de Keith Earls e Luke Fitzgerald enquanto Gales se mostrou mais eficaz. Halfpenny não perdoou o penal irlandês aos 63′, quebrando o gelo e colocando o Dragão em vantagem. A Irlanda foi para cima e quase chegou a seu try da virada, com Tipuric salvando Gales em cima da linha. Aos 70′, Halfpenny colocou mais 3 pontos par os visitantes e os minutos finais foram de pressão irlandesa. Aos 81′, Paul O’Connell investiu e Sean Cronin caiu para o try, mas Aaron Jarvis impediu que a bola fosse apoiada no in-goal e a vitória foi vermelha. 16 x 10. Na partida, George North se tornou o atleta mais jovem da história a chegar a 50 por sua seleção.

 

No próximo sábado, a Irlanda enfrenta a Inglaterra em Twickenham, e Gales recebe a Itália no Millennium.

 

irlanda copy10versus(16)16gales

Irlanda 10 x 16 Gales, em Dublin

Árbitro: Craig Joubert (África do Sul)

 

Irlanda

Try: Henderson

Conversão: Sexton (1)

Penais: Sexton (1)

15 Rob Kearney, 14 Dave Kearney, 13 Luke Fitzgerald, 12 Robbie Henshaw, 11 Keith Earls, 10 Jonathan Sexton, 9 Conor Murray, 8 Jamie Heaslip, 7 Jordi Murphy, 6 Peter O’Mahony, 5 Paul O’Connell (c), 4 Iain Henderson, 3 Nathan White, 2 Richardt Strauss, 1 Jack McGrath.

Suplentes: 16 Sean Cronin, 17 Dave Kilcoyne, 18 Tadhg Furlong, 19 Donnacha Ryan, 20 Sean O’Brien, 21 Eoin Reddan, 22 Paddy Jackson, 23 Felix Jones.

 

Gales

Try: Tipuric

Conversão: Halfpenny (1)

Penais: Halfpenny (3)

15 Leigh Halfpenny, 14 Alex Cuthbert, 13 Scott Williams, 12 Jamie Roberts, 11 George North, 10 Dan Biggar, 9 Rhys Webb, 8 Taulupe Faletau, 7 Justin Tipuric, 6 Dan Lydiate, 5 Alun Wyn Jones (c), 4 Bradley Davies, 3 Tomas Francis, 2 Ken Owens, 1 Gethin Jenkins.

Suplentes: 16 Scott Baldwin, 17 Paul James, 18 Aaron Jarvis, 19 Luke Charteris, 20 James King, 21 Gareth Davies, 22 Rhys Priestland, 23 Hallam Amos.

 

Samoa não resiste aos Barbarians

Diante em público animador n0 Estádio Olímpico de Londres, Samoa foi derrotada pelos Barbarians por 27 x 24, em partida que foi a despedida de Bakkies Botha, Carl Hayman e Ali Williams.

 

A partida foi aberta e dinâmica, com Samoa mostrando potência nas corridas e um jogo de contato muito forte, porém com um time indisciplinado, uma defesa muito pobre e um jogo de rucks e formações frágil, além de ter um homem a menos durante 65 minutos, o que permitiu aos Barbarians terem absurdos 62% de território, mesmo desentrosados.

 

O primeiro try saiu com Adam Thomson logo no primeiro minuto para os Baa-baas, trocando o sentido da corrida para furar a defesa azul. Samoa respondeu imediatamente, com Perenise explorando o buraco na defesa dos Barbarians para virar o placar para Samoa, 7 x 5. Tusi Pisi ampliou para Samoa, mas um duro revés logo veio, com Kane Thompson recebendo vermelho por soco, deixando Samoa com 14. Assim, foram os Barbarians que somaram mais um try, aos 23′, com Liam Gill, fechando maul após lateral, em péssima estratégia de combate de Samoa. A porta se abriu e Ben Tapuai fez o terceiro try alvinegro aos 29′, ampliando a diferença. Samoa reagiria antes do intervalo com try de Ken Pisi, explorando falha dos alvinegros.

 

No segundo tempo, Thomson ampliou a frentedos Barbarians com seu segundo tento, mas Lam respondeu colocando Samoa em vantagem com mais um try. Mas, o try de Tapuai, aos 63′, deu números finais ao encontro, com Samoa, fatigada, incapaz de reagir no fim. 27 x 24.

 

Samoa encerra sua preparação no próximo sábado enfrentando os Wasps em Coventry.

 

Barbarians%282%2927versus(16)24samoa copy

Barbarians 27 x 24 Samoa, em Londres

Árbitro: John Lacey (Irlanda)

 

Barbarians

Tries: Thomson (2), Tapuai (2) e Gill

Conversões: Lealiifano (1)

15 Paul Williams, 14 Taqele Naiyaraovoro, 13 Ben Tapuai, 12 Wynand Olivier, 11 Dwayne Sweeney, 10 Christian Lealiifano, 9 Luke Burgess, 8 Pierre Spies, 7 Liam Gill, 6 Adam Thomson, 5 Luke Jones, 4 Bakkies Botha (c), 3 Carl Hayman, 2 Saia Faingaa, 1 Benn Robinson.

Suplentes: 16 Tolu Latu, 17 Josh Hohneck, 18 Maks van Dyk, 19 Ali Williams, 20 Jacques Potgieter, 21 Nic Groom, 22 Mike Harris, 23 Tom English.

 

Samoa

Tries: Perenisi, Ken Pisi e Lam

Conversões: Tusi Pisi (2), Nanai-Williams (1)

Penais: Tusi Pisi (1)

15 Tim Nanai-Williams, 14 Faatoina Autagavaia, 13 Paul Perez, 12 Rey Lee-Lo, 11 Ken Pisi, 10 Tusi Pisi, 9 Kahn Fotuali’i, 8 Ofisa Treviranus, 7 Jack Lam, 6 Maurie Faasavalu, 5 Kane Thompson, 4 Filo Paulo, 3 Anthony Perenise, 2 Ole Avei, 1 Sakaria Taulafo.

Suplentes: 16 Manu Leiataua, 17 Viliamu Afatia, 18 Jake Grey, 19 Faifili Levave, 20 Vavae Tuilagi, 21 Vavao Afemai, 22 Patrick Faapale, 23 Johnny Leota.

 

 

Escócia faz placar recorde contra combalida Itália

Murrayfield assistiu a uma prova incontestável de fogo da Escócia, e outra prova embaraçosa da situação deprimente da Itália. Foi um jogo de um time só, com os escoceses saindo de campo com a maior vitória de sua história sobre os italianos, 48 x 7, para irem ao Mundial com ânimo redobrado em busca de voltarem às quartas de final.

 

O primeiro try do jogo veio rápido e foi uma pintura. Aos 8′, Finn Russell chutou cruzado para Sean Lamont apanhar e voar para o primeiro try escocês. Com kais três penais, a Escócia já vencia por 16 x 0, mas a Itália ainda mostrava alguma qualidade. Depois de um jogo sólido de forwards, Tommaso Allan chutou para Campagnaro finalizar nas costas da defesa o try que punha os Azzurri no jogo. Foi somente no fim do primeiro tempo que a Escócia voltou a marcar, com Barclay, em maul após lateral.

 

Com Minto de fora por amarelo, a Escócia teve espaço para atropelar no segundo tempo. Aos 47′, em outra jogada iniciada com lateral seguido de maul, Russell inverteu o jogo com maestria até a outra ponta, onde Visser finalizou novo try escocês. Recomposta, a Itália ainda segurou o jogo por mais alguns minutos, mas, aos 61′, péssimo handling italiano e interceptação de Lamont, que correu para o quarto try dos donos da casa. Logo depois, outro amarelo, para Rizzo. E a porta se abriu de vez. Aos 71′, outra interceptação de Visser após mais um troca péssima de passes dos italianos. E, aos 81′, Bennett fechou o placar com outra interceptação de trás do meio campo para mais um try dos anfitriões. Escócia 48 x 7.

 

No próximo sábado, a Escócia visita a França e a Itália visita Gales.

 

escocia logo(11)48versus(16)07italia copy copy

Escócia 48 x 07 Itália, em Edimburgo

Árbitro: Romain Poïte (França)

 

Escócia

Tries: Lamont (2), Visser (2), Barclay e Bennett

Conversões: Laidlaw (2) e Russell (1)

Penais: Laidlaw (4)

15 Stuart Hogg, 14 Sean Lamont, 13 Mark Bennett, 12 Peter Horne, 11 Tim Visser, 10 Finn Russell, 9 Greig Laidlaw, 8 David Denton, 7 John Barclay, 6 Ryan Wilson, 5 Grant Gilchrist, 4 Jonny Gray, 3 WP Nel, 2 Ross Ford, 1 Alasdair Dickinson.

Suplentes: 16 Stuart McInally, 17 Gordon Reid, 18 Jon Welsh, 19 Rob Harley, 20 Blair Cowan, 21 Henry Pyrgos, 22 Ruaridh Jackson, 23 Matt Scott.

 

Itália

Try: Campagnaro

Conversão: Allan (1)

15 Luke McLean, 14 Angelo Esposito, 13 Michele Campagnaro, 12 Luca Morisi, 11 Leonardo Sarto, 10 Tommaso Allan, 9 Guglielmo Palazzani, 8 Samuela Vunisa, 7 Francesco Minto, 6 Alessandro Zanni, 5 Joshua Furno, 4 Marco Fuser, 3 Martin Castrogiovanni, 2 Leonardo Ghiraldini (c), 1 Matias Aguero.

Suplentes: 16 Andrea Manici, 17 Michele Rizzo, 18 Dario Chistolini, 19 Quintin Geldenhuys, 20 Mauro Bergamasco, 21 Marcello Violi, 22 Carlo Canna, 23 Andrea Masi.

Comentários