Hora do show! Que comecem os tests de junho!

É a tradição. Em junho, o mundo do rugby se volta às seleções para os grandes amistosos internacionais, com as seleções do Hemisfério Norte (em geral) visitando as seleções do Hemisfério Sul em série de dois ou três jogos entre as mesmas seleções.

 

Três grandes séries de três jogos terão a largada nesse sábado: a Austrália receberá a Inglaterra pela primeira vez desde 2010, reeditando duelo da Copa do Mundo; também pela primeira vez desde 2010 a Nova Zelândia receberá Gales; e a Irlanda visitará a África do Sul pela primeira vez desde 2004.

 

Já Argentina e Itália farão jogo único nesse sábado, antes dos argentinos receberam nas semanas seguintes a França para dois jogos e a Itália viajar à América do Norte para encarar Estados Unidos e Canadá. O Canadá entrará em campo no domingo também em jogo isolado contra o Japão, ao passo que a Geórgia iniciará sua viagem pelas Ilhas do Pacífico Sul visitando Samoa.

 

Ainda no Pacífico, em Fiji, será dada a largada para a remodelada Copa das Nações do Pacífico, com Fiji recebendo Tonga. Fiji, Tonga e Samoa se enfrentarão no formato de triangular, valendo o título da região.

 

cvc julho 2016 horizontal

 

As novas caras pós-Mundial

Os tests de junho de 2016 marcam o início de muitos trabalhos novos, com o encerramento no ano passado de mais um ciclo de Copa do Mundo.

 

Quando Nova Zelândia e Gales se encararem sábado, os All Blacks iniciarão sua era sem Richie McCaw, Dan Carter, Conrad Smith e Ma’a Nonu, sendo agora liderados por outro ex melhor do mundo, Kieran Reed. Fekitoa e Crotty serãoa nova dupla de centros, enquanto Sam Cane ganhou, como esperado, a camisa de McCaw. Mas, as atenções estarão sobre o novo candidato a superestrela da camisa 10 preta: Aaron Cruden, que sofreu com lesões nos últimos anos, mas é apontado como um genuíno substituto de Carter.

 

Gales, por sua vez, vive apresenta maiores continuidades, com a manutenção do trabalho de Warren Gatland e menor renovação no elenco. Os galeses, contudo, não conseguiram o título do Six Nations, para o qual muitos os apontavam até como favoritos, e vão a Auckland plenos de dúvidas, ainda mais após perderam para uma seleção inglesa longe da força máxima, e por contundência, em amistosos no final de maio. A terra dos kiwis não é o melhor lugar para a renovação galesa, pois jamais Gales venceu na Nova Zelândia. E mais: a última vitória galesa sobre os All Blacks aconteceu em 1953. Quais as chances do tabu cair?

 

Em Brisbane, Inglaterra e Austrália entram em rota de colisão em um ambiente completamente diferente da Copa do Mundo. Após a decepcionante campanha, a Inglaterra trocou de técnico e encontrou seu rumo, com Eddie Jones liderando a Rosa ao título com Grand Slam do Six Nations, jogando um rugby moderno e envolvente, na esteira do que seus clubes vem mostrando na Premiership e Champions Cup. Jones é australiano e já foi treinador dos Wallabies, apimentando um pouco mais o duelo. Para a partida, Jones apostou em Owen Farrell jogando com a 10 ao lado do centro Luther Burrell, mantendo Marlande Yarde na ponta e deixando George Ford no banco. Já o pack tem a formação campeã do Six Nations.

 

Michael Cheika, técnicos dos Wallabies, também fará seus testes na partida, colocando no XV inicial o debutante centro Samu Kerevi, para jogar ao lado de Kuridrani. Na ponta, outra novidade, com Dane Haylett-Petty fazendo dupla com Rob Horne. A criação estará a cargo de Phipps, com a 9, e Foley, com a 10. No pack, a novidade é o pilar Greg Holmes, enquanto a poderosa terceira linha de Pocock, Hooper e Fardy segue como a titular e promete uma batalha campal com Vunipola, Haskell e Robshaw, que promete muito.

 

Depois, na Cidade do Cabo, será a vez de dois times desacreditados entrarem em campo. A África do Sul sofreu no ano passado, mesmo chegando às semifinais do Mundial, e busca ares novos sob o comando do novo treinador Allister Coetzee, que já agradou a Duane Vermeulen, que trabalhou com Coetzee no Stormers. O primeiro grupo dos Boks da nova era tem como grande novidade o scrum-half debutante Faf de Klerk, que jogará ao lado de Pat Lambie, com a 10. Jantjes, parceiro de De Klerk nos Lions, estará no banco. Outro nome dos Lions que ganhou seu lugar no time foi o centro Lionel Mapoe, que promete uma dupla empolgante com Damian de Allende. No pack, nenhuma novidade, com Adriaan Strauss assumindo a capitania do time e Schalk Burger sendo a principal ausência, dando espaço a Kolisi. A missão dos Boks é passar a jogar um rugby mais moderno, que saiba melhor usar os espaços do campo.

 

Pela frente os Boks terão a Irlanda, que fez campanha fraca no Six Nations e tem seu treinador Joe Schmidt questionado depois da decepção na Copa do Mundo. Os irlandeses serão liderados por Rory Best e não terão Jonny Sexton. O abertura do jogo no Cabo será Paddy Jackson, que terá a parceria do primeiro centro Luke Marshall. Jared Payne será o fullback, com a ausência também de Rob Kearney. Ainda sem Sean O’Brien, a terceira linha do Trevo terá Jamie Heaslip, Jordi Murphy e CJ Stander, enquanto Devin Toner e Iain Henderson formam uma interessante segunda linha para tentar neutralizar o poderio sul-africano no setor. Nas mentes dos dois times ainda está a vitória irlandesa em amistoso de 2014.

 

Depois, Argentina e Itália irão medir forças em Santa Fé e o jogo promete. É verdade que a Itália estará sem Sergio Parisse e vem de anos tenebrosos, assim como é fato que a Argentina fez lindo mundial acabando com o quarto lugar. Mas, os Pumas vivem um momento distinto, pois a maioria de sua equipe é formada pelos atletas dos Jaguares, que vem tendo uma temporada de Super Rugby desgastante e, por enquanto, com resultados preocupantes. A Itália, por sua vez, tem histórico bom quando visita a Argentina, tendo perdido em seu último jogo na América do Sul por 37 x 22 em 2012. Em 2008, a Itália efetivamente vencera a Argentina em solo argentino por 13 x 12.

 

Os Azzurri viajam à Argentina buscando deixar para trás as memórias recentes. O time italiano tem treinador novo, o irlandês Conor O’Shea, e a tendência é ânimo novo na esquadra. Carlo Canna vestirá novamente a 10 ao lado de Edoardo Gori, fazendo dupla que promete, ao passo que o sul-africano Andries Van Schalkwyk terá a missão de substituir Parisse. David Odiete, que acaba de fechar contrato com o Benetton Treviso, passará para a ponta, com O’Shea apostando na experiência de Luke McLean com a 15. O debutante da vez será o centro Tommaso Boni.

 

Na Argentina, Daniel Hourcade apostou em um XV inteiramente dos Jaguares, o que significa que o jogo com a Itália será uma continuidade do Super Rugby, porém sem valer pontos e com a oportunidade de recuperar a confiança perdida. Manuel Montero na ponta é a novidade, voltando de lesão.

 

Sexta-feira, dia 10 de junho

samoa copyversus copiargeorgia copy copy copy copy

23h00 – Samoa x Geórgia, em Apia

Árbitro: Ben O’Keeffe (Nova Zelândia)

 

Samoa: 15 Albert Nikoro, 14 Faatoina Autagavaia, 13 Reynold Lee Lo, 12 Faialaga Afamasaga, 11 David Lemi (c), 10 Patrick Fa’apale, 9 Dwayne Polataivao, 8 Jeff Lepa, 7 TJ Ioane, 6 Alafoti Faosiliva, 5 Teofilo Paulo, 4 Faatiga Lemalu, 3 James Johnston, 2 Motu Matuu, 1 Sam Aiono.

Suplentes: 16 Seilala Lam, 17 Nuuuli Lene, 18 Jake Grey, 19 Talaga Alofipo, 20 Oneone Faafou, 21 Danny Tusitala, 22 D’Angelo Leuila, 23 Malu Falaniko

 

Geórgia: 15 Merab Kviriashvili, 14 Giorgi Pruidze, 13 David Kacharava, 12 Merab Sharikadze, 11 Sandro Todua, 10 Lasha Khmaladze, 9 Giorgi Begadze, 8 Lasha Lomidze, 7 Giorgi Tkhilaishvili, 6 Shalva Sutiashvili (c), 5 Giorgi Nemsadze, 4 Giorgi Chkhaidze, 3 Irakli Mirtskhulava, 2 Jaba Bregvadze, 1 Karlen Asieshvili.

Suplentes: 16 Shalva Mamukashvili, 17 Zurab Zhvania, 18 Anton Peikrishvili, 19 Nodar Cheishvili, 20 Saba Shubitidze, 21 Vazha Khutsishvili, 22 Lasha Malaghuradze, 23 Tamaz Mchedlidze.

 

Histórico: 2 jogos, 1 vitória da Geórgia e 1 vitória de Samoa. Último jogo: Geórgia 16 x 15 Samoa, em 2013 (amistoso);

 

Sábado, dia 11 de junho

fiji copyversus copiartonga copy

00h00 – Fiji x Tonga, em Suva – Copa das Nações do Pacífico

Árbitro: Nigel Owens (Gales)

 

Fiji: 15 Samisoni Viriviri, 14 Patrick Osborne, 13 Vereniki Goneva, 12 Seremaia Baikeinuku, 11 Adriu Delai, 10 Ben Volavola, 9 Nemia Kenatale, 8 Nemia Soqeta, 7 Malakai Ravulo, 6 Naulia Dawai, 5 Leone Nakarawa, 4 Tevita Cavubati, 3 Leeroy Atalifo, 2 Sunia Koto (c), 1 Campese Ma’afu.

Suplentes: 16 Viliame Veikoso, 17 Peni Ravai, 18 Taniela Koroi, 19 Savenaca Tabakanalagi, 20 Eremasi Radrodro, 21 Henry Seniloli, 22 Serupepeli Vularika, 23 Benito Masilevu

 

Tonga: 15 Tevita Halaifonua, 14 Pila ‘Iongi, 13 Nafi Tuitavake, 12 Viliami Hakalo, 11 Taniela Kilioni, 10 Latiume Fosita, 9 Tane Takulua,  8 Sione Kalamafoni, 7 Jack Ram, 6 Nili Latu (c), 5 Uili Kolo’ofai, 4 Dan Faleafa, 3 Sione Faletau, 2 Elvis Taione, 1 Eddie ‘Aholelei.

Suplentes: 16 Sione Anga’aelangi, 17 Kama Sakalia, 18 Fusi Malimali, 19 Opeti Fonua, 20 Sione Tau, 21 Wayne Ngaluafe, 22 Apakuki Ma’afu, 23 Kali Hala.

 

Histórico: 88 jogos, 59 vitórias de Fiji, 26 vitórias de Tonga e 3 empates. Último jogo: Fiji 30 x 22 Tonga, em 2015 (Copa das Nações do Pacífico);

 

all blacks logoversus copiargales

04h35 – Nova Zelândia x Gales, em Auckland – Watch ESPN AO VIVO / ESPN+ VT segunda-feira às 17h30

Árbitro: Wayne Barnes (Inglaterra)

 

Nova Zelândia: 15 Ben Smith, 14 Waisake Naholo, 13 Malakai Fekitoa, 12 Ryan Crotty, 11 Julian Savea, 10 Aaron Cruden, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read (c), 7 Sam Cane, 6 Jerome Kaino, 5 Brodie Retallick, 4 Luke Romano, 3 Owen Franks, 2 Dane Coles, 1 Joe Moody.

Suplentes: 16 Nathan Harris, 17 Wyatt Crockett, 18 Charlie Faumuina, 19 Patrick Tuipulotu, 20 Ardie Savea, 21 TJ Perenara, 22 Beauden Barrett, 23 Seta Tamanivalu.

 

Gales: 15 Liam Williams, 14 George North, 13 Jonathan Davies, 12 Jamie Roberts, 11 Hallam Amos, 10 Dan Biggar, 9 Rhys Webb, 8 Taulupe Faletau, 7 Sam Warburton, 6 Ross Moriarty, 5 Alun Wyn Jones, 4 Bradley Davies, 3 Samson Lee, 2 Ken Owens, 1 Gethin Jenkins.

Suplentes: 16 Scott Baldwin, 17 Rob Evans, 18 Tomas Francis, 19 Jake Ball, 20 Ellis Jenkins, 21 Gareth Davies, 22 Gareth Anscombe, 23 Scott Williams.

 

Histórico: 30 jogos, 27 vitórias da Nova Zelândia e 3 vitórias de Gales. Último jogo: Gales 16 x 34 Nova Zelândia, em 2014 (amistosos);

 

Wallabies copyversus copiarengland rugby

07h00 – Austrália x Inglaterra, em Brisbane – Watch ESPN AO VIVO

Árbitro: Romain Poite (França)

 

Austrália: 15 Israel Folau, 14 Dane Haylett-Petty, 13 Tevita Kuridrani, 12 Samu Kerevi, 11 Rob Horne, 10 Bernard Foley, 9 Nick Phipps, 8 David Pocock, 7 Michael Hooper, 6 Scott Fardy, 5 Rob Simmons, 4 Rory Arnold, 3 Greg Holmes, 2 Stephen Moore (c), 1 Scott Sio

Suplentes: 16 Tatafu Polota-Nau, 17 James Slipper, 18 Sekope Kepu, 19 James Horwill, 20 Dean Mumm, 21 Sean McMahon, 22 Nick Frisby, 23 Christian Lealiifano.

 

Inglaterra: 15 Mike Brown, 14 Anthony Watson, 13 Jonathan Joseph, 12 Luther Burrell, 11 Marland Yarde, 10 Owen Farrell, 9 Ben Youngs, 8 Billy Vunipola, 7 James Haskell, 6 Chris Robshaw, 5 George Kruis, 4 Maro Itoje, 3 Dan Cole, 2 Dylan Hartley (c), 1 Mako Vunipola.

Suplentes: 16 Luke Cowan-Dickie, 17 Matt Mullan, 18 Paul Hill, 19 Joe Launchbury, 20 Courtney Lawes, 21 Danny Care, 22 George Ford, 23 Jack Nowell

 

Histórico: 44 jogos, 25 vitórias da Austrália, 18 vitórias da Inglaterra e 1 empate. Último jogo: Inglaterra 13 x 33 Austrália, em 2015 (Copa do Mundo);

 

springboks logoversus copiarirlanda copy

12h00 – África do Sul x Irlanda, na Cidade do Cabo – Watch ESPN AO VIVO

Árbitro: Mathieu Raynal (França)

 

África do Sul: 15 Willie le Roux, 14 JP Pietersen, 13 Lionel Mapoe, 12 Damian de Allende, 11 Lwazi Mvovo, 10 Patrick Lambie, 9 Faf de Klerk, 8 Duane Vermeulen, 7 Siya Kolisi, 6 Francois Louw, 5 Lood de Jager, 4 Eben Etzebeth, 3 Frans Malherbe, 2 Adriaan Strauss (c), 1 Tendai Mtawarira.

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Trevor Nyakane, 18 Julian Redelinghuys, 19 Pieter-Steph du Toit, 20 Warren Whiteley, 21 Rudy Paige, 22 Elton Jantjies, 23 Jesse Kriel.

 

Irlanda: 15 Jared Payne, 14 Andrew Trimble, 13 Robbie Henshaw, 12 Luke Marshall, 11 Keith Earls, 10 Paddy Jackson, 9 Conor Murray, 8 Jamie Heaslip, 7 Jordi Murphy, 6 CJ Stander, 5 Devin Toner, 4 Iain Henderson, 3 Mike Ross, 2 Rory Best (c), 1 Jack McGrath.

Suplentes: 16 Sean Cronin, 17 Finlay Bealham, 18 Tadhg Furlong, 19 Ultan Dillane, 20 Rhys Ruddock, 21 Kieran Marmion, 22 Ian Madigan, 23 Craig Gilroy.

 

Histórico: 22 jogos, 16 vitórias da África do Sul, 5 vitórias da Irlanda e 1 empate. Último jogo: Irlanda 29 x 15 África do Sul, em 2014 (amistoso);

 

UAR_copy_copy.jpgversus copiaritalia copy copy

15h45 – Argentina x Itália, em Santa Fé – ESPN AO VIVO

Árbitro: Stuart Berry (África do Sul)

 

Argentina: 15 Joaquin Tuculet, 14 Santiago Cordero, 13 Matías Moroni, 12 Juan Martin Hernandez, 11 Manuel Montero, 10 Nicolas Sanchez, 9 Martin Landajo, 8 Facundo Isa, 7 Thomas Lezana, 6 Pablo Matera, 5 Matias Alemanno, 4 Guido Petti, 3 Nahuel Chaparro Tetaz, 2 Agustín Creevy (c), 1 Santiago García Botta.

Suplentes: 16 Julian Montoya, 17 Felipe Arregui, 18 Enrique Pieretto, 19 Javier Ortega Desio, 20 Juan Manuel Leguizamón, 21 Tomás Cubelli, 22 Jeronimo de la Fuente, 23 Ramiro Moyano.

 

Itália: 15 Luke Mclean, 14 Leonardo Sarto, 13 Michele Campagnaro, 12 Tommaso Boni, 11 David Odiete, 10 Carlo Canna, 9 Edoardo Gori, 8 Andries Van Schalkwyk, 7 Simone Favaro, 6 Abraham Steyn, 5 Marco Fuser, 4 Quintin Geldenhuys, 3 Lorenzo Cittadini, 2 Ornel Gega, 1 Andrea Lovotti.

Suplentes: 16 Oliviero Fabiani, 17 Sami Panico, 18 Pietro Ceccarelli, 19 Valerio Bernabò, 20 Robert Barbieri, 21 Guglielmo Palazzani, 22 Tommaso Allan, 23 Giovanbattista Venditti.

 

Histórico: 21 jogos, 14 vitórias da Argentina, 6 vitórias da Itália e 1 empate. Último jogo: Itália 18 x 20 Argentina, em 2014 (amistoso);

 

canada copy copyversus copiarjapão logo novo copiar

19h00 – Canadá x Japão, em Vancouver

Árbitro: Federico Anselmi (Argentina)

 

Canadá: 15 Matt Evans, 14 Dan Moor, 13 Brock Staller, 12 Nick Blevins, 11 Taylor Paris, 10 Pat Parfrey, 9 Gordon McRorie, 8 Aaron Carpenter, 7 Lucas Rumball, 6 Kyle Baillie, 5 Evan Olmstead, 4 Jamie Cudmore (c), 3 Jake Ilnicki, 2 Ray Barkwill, 1 Djustice Sears-Duru.

Suplentes: 16 Eric Howard, 17 Tom Dolezel, 18 Matt Tierney, 19 Paul Ciulini, 20 Matt Heaton, 21 Alistair Clark, 22 Jamie Mackenzie, 23 Mozac Samson.

 

Japão: 15 Kotaro Matsushima, 14 Mifiposeti Paea, 13 Tim Bennetts, 12 Harumichi Tatekawa, 11 Yasutaka Sasakura, 10 Yu Tamura, 9 Fumiaki Tanaka, 8 Kyosuke Horie, 7 Taiyo Ando, 6 Yoshiya Hosoda, 5 Naohiro Kotaki, 4 Kazuhiko Usami, 3 Kensuke Hatakeyama, 2 Takeshi Kizu, 1 Keita Inagaki.

Suplentes: 16 Futoshi Mori, 17 Masataka Mikami, 18 Shinnosuke Kakinaga, 19 Kotaro Yatabe, 20 Shokei Kin, 21 Kaito Shigeno, 22 Kosei Ono, 23 Rikiya Matsuda.

 

Histórico: 24 jogos, 14 vitórias do Japão, 8 vitórias do Canadá e 2 empates. Último jogo: Canadá 6 x 20 Japão, em 2015 (Copa das Nações do Pacífico).

 

*Horários de Brasília

Comentários