ARTIGO ATUALIZADO – Sábado é dia Super Rugby! Ou melhor, é o dia final do Super Rugby! A grande decisão da competição vai monopolizar as atenções do dia com os sul-africanos dos Lions recebendo os neozelandeses dos Crusaders em um jogaço entre as duas equipes de melhor campanha na atual temporada. Desta vez, com ESPN+ ao vivo, 11h00 da manhã!

O palco será o monumental Ellis Park, de Joanesburgo, casa dos Lions e palco da final da Copa do Mundo de 1995. Esse templo sagrado do rugby mundial jamais havia recebido a final do Super Rugby, com os Lions alcançando apenas a sua segunda final na história – e a segunda consecutiva, após serem derrotados na Nova Zelândia no ano passado pelos Hurricanes. Os Lions, no entanto, foram campeões do velho Super 10 em 1993, na edição inaugural da competição, que em 1996 seria transformada no atual Super Rugby, com o advento do profissionalismo no rugby. Para o torcedor mais ferrenho dos Lions, o título de 1993 é sim um título de Super Rugby e o time da maior cidade da África do Sul parte agora em busca de sua segunda conquista da principal taça do Hemisfério Sul. A última vez que um time sul-africano foi campeão do Super Rugby foi em 2010, quando os Bulls, vizinhos e rivais dos Lions, ergueram a taça pela terceira vez, naquela que foi também a última final da liga jogada na África do Sul.

Já os Crusaders são os maiores campeões da história do Super Rugby, com nada menos que 7 conquistas, a última, no entanto, no já distante ano de 2008, quando Dan Carter e Richie McCaw lideravam os rubronegros da cidade de Christchurch. Desde então, os ‘Saders foram chegaram à final e foram vices em 2011 e 2014. Neste ano, os Crusaders fizeram uma campanha quase perfeita, perdendo a invencibilidade apenas na última rodada da primeira fase, contra os Hurricanes. Ao todo, 16 vitórias e apenas 1 derrota até aqui.

Os Lions também fizeram campanha quase perfeita, com iguais 16 vitória e apenas 1 derrota, logo no começo da campanha, fora de casa, contra os Jaguares argentinos. O time de Joanesburgo simplesmente ainda não perdeu em casa, mas jogou apenas 1 vez na temporada contra um time neozelandês, justamente a semifinal contra os Hurricanes, que serviu para por um ponto final na desconfiança que os críticos tinha sobre o time, já que a falta de oponentes kiwis colocava sob suspeita a campanha brilhante dos Lions. Porém, contra os Leões está o fato de não vencerem os Crusaders desde 2007 e o último duelo entre os dois terminou em vitória neozelandesa por 43 x 37, em um jogão em 2016 justamente no Ellis Park.

- Continua depois da publicidade -

Em todas as estatísticas da competição, ofensivas e defensivas, os Lions levaram vantagem sobre os ‘Saders ao longo desta temporada. Os Leões do técnico Johan Ackermann evoluíram muito defensivamente com relação à temporada passada. Em 2016, viu-se o time de Joanesburgo jogar de igual para igual com os neozelandeses com a bola em mãos, mostrando uma revolução com relação ao rugby sul-africano ortodoxo e que já sofria os sinais de sua falta de dinamismo na busca por espaços. Em 2017, os Lions mantiveram a qualidade ofensiva, com Elton Jantjies jogando ao lado do excelente scrum-half Ross Cronjé na criação das jogadas, tendo homens como os 3/4s Courtnall Skosan e Andries Coetzee no topo de metros corridos e linhas quebradas a liga. Porém, é no aspecto defensiva, com a defesa menos vazada da competição, e na força de seu pack, com homens precisos nos tackles e no breakdown, como Malcolm Marx, Franco Mostert e Warren Whiteley que os Leões rugiram mais forte.

Os Crusaders, por sua vez, apostam suas fichas em um brilhante e experiente pack de forwards, encabeçado por veteranos da qualidade de Kieran Read, Sam Whitelock e Owen Franks. O domínio do pack rubronegro vem sendo fora de série ao longo da temporada, mas a eficiência de sua linha também não fica atrás, com Tamanivalu e Havili despontando entre os maiores corredores do Super Rugby, tendo ainda a liderança de Israel Dagg para equilibrar uma linha que é essencialmente jovem.

Quais as previsões? Na prancheta, os Lions impressionam mais em seus números, ainda que eles possam ser relativizados por conta de oponente em geral menos poderosos, quando comparados com os times que os Crusaders encararam até aqui. O mando de jogo ainda favorece os Lions, com o Ellis Park já tendo todos os ingressos vendidos, mas a camisa na hora das decisões pesa mais do lado kiwi.

 

Sábado, dia 05 de agosto

versus copiarcrusaders copy copy copy

11h00 – Lions x Crusaders, em Joanesburgo – ESPN+ AO VIVO

Árbitro: Jaco Peyper

*Horário de Brasília

 

Lions: 15 Andries Coetzee, 14 Ruan Combrinck, 13 Lionel Mapoe, 12 Harold Vorster, 11 Courtnall Skosan, 10 Elton Jantjies, 9 Ross Cronje, 8 Ruan Ackermann, 7 Kwagga Smith, 6 Jaco Kriel (c), 5 Franco Mostert, 4 Andries Ferreira, 3 Ruan Dreyer, 2 Malcolm Marx, 1 Jacques van Rooyen;

Suplentes: 16 Akker van der Merwe, 17 Corne Fourie, 18 Johannes Jonker, 19 Lourens Erasmus, 20 Cyle Brink, 21 Faf de Klerk, 22 Rohan Janse van Rensburg, 23 Sylvian Mahuza;

Crusaders: 15 David Havili, 14 Israel Dagg, 13 Jack Goodhue, 12 Ryan Crotty, 11 Seta Tamanivalu, 10 Richie Mo’unga, 9 Bryn Hall, 8 Kieran Read, 7 Matt Todd, 6 Jordan Taufua, 5 Sam Whitelock (c), 4 Scott Barrett, 3 Owen Franks, 2 Codie Taylor, 1 Joe Moody;

Suplentes: 16 Ben Funnell, 17 Wyatt Crockett, 18 Mike Alaalatoa, 19 Luke Romano, 20 Pete Samu, 21 Mitchell Drummond, 22 Mitchell Hunt, 23 George Bridge;