Na França, Série Mundial de Sevens Feminina chega à última etapa

A Série Mundial de Sevens Feminina conhecerá sua campeã de 2015-16 nesse fim de semana na França! Clermont-Ferrand receberá a quinta e última etapa do circuito feminino, mas, apesar do título geral ainda não ter sido definido, somente um desastre irá tirá-lo da Austrália.

 

As australianas desembarcam na França com 12 pontos de vantagem na classificação geral sobre a Nova Zelândia, vice líder. Isso significa que a Austrália poderá terminar em até sétimo lugar que o título será seu independente do resultado obtido pelas neozelandesas.

 

Além da briga pelo título mundial, o torneio de Clermont ainda definirá quais seleções terão assegurada vaga como uma das seleções centrais da temporada 2016-17. As nove primeiras colocadas de 2015-16 manterão a condição de seleções centrais, garantindo lugar em todas as etapas da próxima temporada, enquanto as outras duas seleções centrais serão definidas pelos resultados Pré-Olímpico Mundial e do Rio 2016. Austrália, Nova Zelândia, Inglaterra, Canadá, França, Rússia e Estados Unidos já asseguraram matematicamente suas condições de seleções centrais de 2016-17, restando a Fiji, Espanha, Japão e Irlanda brigar pelas duas últimas vagas. Fiji e Espanha vão a Clermont muito próximas das duas vagas, com o Japão precisando tirar 10 pontos de diferença para as espanholas e 18 para as fijianas para roubar a vaga de alguém, enquanto a Irlanda está 12 pontos abaixo da Irlanda.

 

O Quênia será a seleção convidada da etapa, disputando pela primeira vez um torneio do circuito. O Brasil não estará presente.

 

O torneio poderá ser assistido ao vivo em www.worldrugby.org.

 

Quase tudo certo, mas muito ainda pela frente

Se quase todas as definições, tanto a do título como a das seleções centrais, parecem certas, o torneio de Clermont tem valor muito maior quanto à confiança das seleções protagonistas, já de olho nos Jogos Olímpicos.

 

No Grupo A, o favoritismo está com a Inglaterra, única seleção que quebrou a série de títulos da Austrália nesta temporada. As inglesas venceram a última etapa, no Canadá, e chegam à França embaladas, lideradas por Emily Scarratt. Para a Inglaterra, nova campanha com desempenho elevado provará que o time está de fato na briga direta pelo ouro olímpico, e não apenas correndo por fora.

 

As principais adversárias das inglesas no grupo serão as americanas. Os Estados Unidos tiveram uma queda grande de rendimento na etapa passada, mas cresceram vencendo o último torneio de desenvolvimento disputado em Guildford, na Inglaterra. A opção das Águias foi de levar a Clermont a base do time triunfante em Guildford, o que significa um time laboratório de olhos no Rio 2016. Na cola dos EUA está a Espanha, que usará Clermont como preparação de luxo para o Pré-Olímpico Mundial, que ocorre em junho, no qual as espanholas terão que deixar para trás as russas se quiserem ir ao Rio 2016. O Quênia completa o Grupo A com poucas chances e apenas com o objetivo de seguir evoluindo.

 

No Grupo B, as atenções estarão todas sobre Nova Zelândia e Canadá, apontadas como candidatas fortes a medalhas no Rio 2016, mas que até aqui não venceram nenhuma etapa na temporada. Campeã de todas as edições até aqui da Série Mundial de Sevens Feminina, a Nova Zelândia ainda sonha com seu título da temporada, mas sabe que, realisticamente, o objetivo é simplesmente vencer o torneio de Clermont para chegar em alta ao Brasil. Um dos motivos para a queda de rendimento das neozelandesas na temporada havia sido havias sido os vários testes promovidos pelo técnico Sean Horan. Para Clermont, não haverá testes e as Ferns terão força máxima, com direito aos retornos de Kelly Brazier, Kayla McAlister e Huriana Manuel, que tornam a equipe favoritaça ao título.

 

O Canadá chegará à França com o peso do insucesso em casa. As Canucks jogaram o último torneio, em abril, com a condição de favoritas, por estarem diante de sua torcida em Langford, mas decepcionaram, acabando no quinto lugar. Agora, as canadenses têm que provar sua força mental se quiserem chegar com chances reais de ouro ao Rio. Magali Harvey, melhor jogadora do mundo de XV feminino em 2014, volta ao elenco liderado pela icônica capitã Jen Kish.

 

A Rússia aparece como a terceira força do grupo, de olho muito mais no Pré-Olímpico de junho do que em qualquer outra coisa. As russas fizeram péssima campanha em Langford e precisam logo de um resultado impactante para recuperarem a confiança. Por fora, quem corre é o Japão, que joga de olho em fazer um milagre e tirar da Espanha a vaga de seleção central do circuito. Para tal, garantir uma vaga nas quartas de final é obrigatório e as japonesas jogarão como francas atiradoras contra as adversárias mais fortes.

 

A líder da temporada e a seleção da casa estão no Grupo C. O favoritismo é da Austrália, que venceu três das quatro etapas até aqui e conta com as três maiores artilheiras da temporada 2015-16: Emilee Cherry, Elia Green e Emma Tonegato, que estarão todas em Clermont. O técnico Tim Walsh ainda comemorou o retorno de Charlotte Caslick, o que confere às aussies força máxima para confirmar a condição de melhor time do mundo no momento. Certamente, um eventual confronto com a Nova Zelândia atrairá os olhos do mundo como uma prévia de uma provável final olímpica.

 

A França, por sua vez, jogará com a apoio da torcida e em busca de um inédito título de etapa, que alçaria as Bleues a uma condição de inequívoco de competidoras diretas por uma medalha. O time é forte, mas alguns dos principais nomes, como Shannon Izar, Marjorie Mayans, Caroline Ladagnous, entre outras, tendo acabado de finalizar a temporada de XV do Top 8 francês, o que significa que talvez o cansaço possa bater sobre algumas jogadoras chave.

 

Fiji e Irlanda fecham o grupo. Fiji é uma das seleções que mais chamam atenção no momento, pela clara evolução, enquanto a Irlanda não vem encantando e tem muito a provar se quiser uma vaga no Rio 2016 via Pré-Olímpico.

 

SWS 2015-16 logo

Clermont-Ferrand Sevens – 5ª etapa da Série Mundial de Sevens Feminina 2015-16 – em Clermont-Ferrand, França

Grupo A: Inglaterra, Espanha, Estados Unidos e Quênia

Grupo B: Nova Zelândia, Canadá, Rússia e Japão

Grupo C: Austrália, França, Fiji e Irlanda

 

Sábado, dia 28 de maio – das 06h00 às 13h45

Nova Zelândia x Rússia

Canadá x Japão

Inglaterra x Estados Unidos

Espanha x Quênia

Austrália x Fiji

França x Irlanda

 

Nova Zelândia x Japão

Canadá x Rússia

Inglaterra x Quênia

Espanha x Estados Unidos

Austrália x Irlanda

França x Fiji

 

Nova Zelândia x Canadá

Rússia x Japão

Inglaterra x Espanha

Estados Unidos x Quênia

Austrália x França

Fiji x Irlanda

 

Domingo, dia 29 de maio – das 07h20 às 15h30

Finais

 

*Horários de Brasília

 

Seleção Pontuação geral Etapa 5 (França) Etapa 4 (Canadá) Etapa 3 (Estados Unidos) Etapa 2 (Brasil) Etapa 1 (Emirados Árabes)
Austrália 94 18 16 20 20 20
Nova Zelândia 80 16 18 18 16 12
Canadá 74 20 12 14 18 10
Inglaterra 74 14 20 16 08 16
França 60 12 14 08 12 14
Rússia 42 04 06 10 04 18
Estados Unidos 46 10 08 12 14 02
Fiji 36 08 04 06 10 08
Espanha 26 06 10 02 02 06
Brasil* 12 00 03 00 06 03
Japão 12 01 01 03 03 04
Irlanda 11 03 02 04 01 01
Quênia* 02 02 00 00 00 00
Colômbia* 01 00 00 01 00 00
* seleções convidadas
Etapa Campeão
Etapa 1 (Emirados Árabes) Austrália
Etapa 2 (Brasil) Austrália
Etapa 3 (Estados Unidos) Austrália
Etapa 4 (Canadá) Inglaterra
Etapa 5 (França) Canadá

– Pontuação: 1º lugar, 20 pontos / 2º, 18 pts / 3º, 16 pts / 4º, 14 pts / 5º, 12 pts / 6º, 10 pts / 7º, 8 pts / 8º, 6 pts / 9º, 4 pts / 10º, 3 pts / 11º, 2 pts / 12º, 1 pt.


Comentários