Jornada de Natal de clássicos no PRO12 termina com liderança do Scarlets e ascensão do Leinster

ARTIGO COM VÍDEOS – Boxing Day de Rugby no mundo celta, e do melhor. Neste fim de semana, o PRO12 viveu uma de suas intensas rodadas de clássicos nacionais, com todos os times jogando dérbis locais da melhor qualidade e bons públicos. A liderança ainda está nas mãos do Scarlets, apesar de derrota para o arquirrival Ospreys, mas o destaque maior foi o renascimento do Leinster, que entrou no G4, apesar de ter um jogo a menos que os demais.

 

Scarlets perde penal decisivo, mas não perde a liderança

Em Gales, dois clássicos agitaram a semana. E o primeiro, em Llanelli, valia a liderança para os donos da casa, os Scarlets, diante do maio rival, os Ospreys. O confronto não decepcionou. Após Morgan Allen perder try feito para os anfitriões, John Barclay fez o primeiro try para os vermelhos. Aos 27′, os Ospreys reduziram com try de Hanno Dirksen. Allen Davies respondeu com try para os Scarlets, mas Alun Wyn Jones igualou tudo antes do intervalo. 20 x 20, com dois tries de cada lado. Na volta dos vestiários, o time visitante brilhou mais, com Eli Walker disparando para o try da virada. Mas, a indisciplina dos Ospreys permitiu que Aled Thomas mantivesse os Scarlets na cola do placar até o fim com mais dois penais. Na última bola, Shingler teve o penal da vitória dos donos da casa, mas desperdiçou. Ospreys 27 x 26, números finais

Já em Newport, Dragons e Cardiff Blues se enfrentaram contra as últimas posições. E foi também p time visitante que falou mais alto. Os Dragons largaram em vantagem com 11 x 6 antes do intervalo, com try de Ashton Hewitt. Mas, no quarto final de jogo, Cardiff cresceu, arrancou dois tries, sendo um penal try e um try de Tom James, e Rhys Patchell arrematou aos 79′ o penal da vitória. Blues 21 x 20.



Leinster ressurge vencendo em Limerick

Na Irlanda, o grande jogo foi em Limerick, onde o Munster recebeu o Leinster no grande clássico irlandês. Os dois times foram em baixa para a partida, mas a situação acabou se deteriorando para o time da casa, que sofreu sua quinta derrota consecutiva no ano, enquanto o Leinster reencontrou com estlo o caminho das vitória para fechar o ano na zona de classificação às semifinais.

 

A partida começou com um lindo try dos visitantes, com o jovem centro Garry Ringrose arrancando e servindo o veterano Isa Nacewa, aos 3′, para o primeiro try. Ian Madigan ampliou o placar aos 14′ com penal, mas antes do intervalo Munster reencontrou o rumo e Robin Copelando cruzou o in-goal para o primeiro try dos vermelhos, reduzindo para 10 x 7 antes do intervalo. Porém, o segundo tempo foi todo azul, com Jack McGrath rompendo a defesa do Munster aos 55′ para o segundo try do Leinster. E, aos 80′, Zane Kirchner interceptou passe de Saili e deu números finais com o terceiro try dos visitantes, fechando o placar em 24 x 7.

 

Em Galway, o conto de fadas do Connacht começou a ruir com derrota incontestável diante do Ulster. O primeiro tempo foi pobre, com somente 3 x 0 para os visitantes, em penal de Paddy Jackson. Alan MacGinty, da seleção dos EUA, reduziu no começo do segundo tempo com penal para Connacht, mas a reta final foi do Ulster. O oitavo Nick Williams fez o único try da partida dos instantes finais, rompendo após scrum. 10 x 3, números finais.



Edinburgh larga na frente na 1872 Cup

Na Escócia, a primeira partida valendo a 1872 Cup, a taça para o vencedor dos dois duelos entre os times do país – Glasgow e Edinburgh – larga no domingo com mais de 23 mil torcedores nas arquibancadas de Murrayfield para comemorarem a primeira grande vitória de Edinburgh. O time da capital foi perfeito contra o rival campeão do último PRO12.

 

Quem largou na frente, contudo, foi Glasgow, com Mark Bennett cruzando o in-goal para o primeiro try do jogo aos 5′. E foi só dos Warriors. Cornell du Preez atropelou em velocidade pouco depois e serviu Matt Scott para o try dos Gunners, virando o marcador com a conversão de Hidalgo-Clyne, que ainda chutaria um penal antes do intervalo para abrir 10 x 5. No segundo tempo, Russell e Hidalgo-Clyne trocaram penais, mas quem falou mais alto foi o pack do Edinburgh que, aos 70′, garantiu o try da vitória em maul finalizado por John Hardie. 23 x 10.


Zebre vence Treviso no embate italiano

Por fim, Parma recebendo, debaixo de muito frio e neblina e diante de mais de 4500 torcedores, o rival italiano Benetton Treviso, na partida que vali a luta contra a lanterna para os dois lados. E o jogo foi excelente, com o abertura Carlo Canna se destacando com três penais e um try no primeiro tempo para abrir 16 x 3 para o Zebre. Mas, com dois homens a mais em campo no começo do segundo tempo, Treviso reduziu com try de Jayden Hayward e virou com Ornel Gega. Com 15 jogadores de cada lado, Valerio Bernabò cruzou o in-goal para deixar o Zebre em vantagem, mas Matteo Zanusso anotou o terceiro try dos verdes devolvendo a vantagem para o time do Vêneto. Os minutos finais foram emocionantes e no apagar das luzes Dries van Schalkwyk fez o try da vitória alvinegra: 28 x 25, festa em Parma para o Zebre.

guinness pro12

Guinness PRO12 2015-16 – Liga Ítalo Celta (Escócia, Gales, Irlanda e Itália)

Scarlets 26 x 27 Ospreys

Connacht 3 x 10 Ulster

Zebre 28 x 25 Benettom Treviso

Dragons 20 x 21 Cardiff Blues

Edinburgh 23 x 11 Glasgow Warriors

Munster 7 x 24 Leinster

 

Clube País Cidade Jogos Pontos
Leinster Irlanda Dublin 22 73
Connacht Irlanda Galway 22 73
Glasgow Warriors Escócia Glasgow 22 72
Ulster Irlanda Belfast 22 69
Scarlets Gales Llanelli 22 63
Munster Irlanda Limerick/Cork 22 63
Cardiff Blues Gales Cardiff 22 56
Ospreys Gales Swansea 22 55
Edinburgh Escócia Edimburgo 22 54
Dragons Gales Newport 22 26
Zebre Itália Parma 22 24
Benetton Treviso Itália Treviso 22 20

– Vitória = 4 pontos;
– Empate = 2 pontos;
– Derrota = 0 pontos;
– Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
– Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;
– 1º ao 4º lugares – classificação às Semifinais e à Champions Cup;
– 5º, 6º e 7º lugares – classificação à Champions Cup;
– Nota: ao menos uma equipe de cada país participará da Champions Cup. Assim, se um país não tiver nenhuma equipe entre os 7 primeiros do PRO12, o melhor time desse país ganhará vaga na Champions Cup e o 7º colocado irá para a fase preliminar da competição europeia.

 

Comentários