Nova Zelândia é campeã mundial feminina, mas etapa de Londres é da Austrália

ARTIGO COM VÍDEOS – Londres foi o palco neste fim de semana da penúltima etapa da Série Mundial de Sevens Feminina! E, enfim, o circuito teve uma etapa com desfecho diferente. A Nova Zelândia não conseguiu repetir as atuações que lhe renderam a liderança isolada da temporada e foi derrotada duas vezes no Twickenham Stoop. Primeiro, na sexta-feira, na fase de grupos, as Black Ferns perderam a invencibilidade diante da surpreendente Espanha e, no sábado, nas semifinais, as neozelandesas sucumbiram diante das rivais australianos, que provaram, mais uma vez, serem o time mais gabaritado para colocar o ouro olímpico da Nova Zelândia sob ameaça em 2016. A Austrália foi à grande final contra o Canadá e recuperou a vice-liderança da temporada, em igualdade de pontos com as canadenses, conquistando seu primeiro título no ano!

 

O terceiro lugar da Nova Zelândia, no entanto, foi o suficiente para assegurar o título antecipado da temporada para a Nova Zelândia, que repetiu o feito dos dois últimos circuitos e levantou o tricampeonato. De quebra, as Black Ferns carimbaram passaporte para o Rio 2016.

 

O Brasil, por sua vez, decepcionou, e pela primeira vez na temporada do circuito encerrou uma etapa sem vitórias, acabando com o amargo último lugar. De fora do último torneio, o Brasil, que no momento está em 9º lugar, só não cairá para a 10ª posição caso a Espanha termine em último lugar no torneio final.

 

A próxima etapa acontece nos dias 22 e 23 de maio, em Amsterdã, na Holanda, encerrando a temporada. A Holanda ocupará o lugar do Brasil como seleção convidada.

 

Brasil enfrenta dificuldades na sexta

Na abertura do torneio feminino, na sexta-feira, a seleção brasileira enfrentou dificuldades desde o início. Na primeira partida, contra a Nova Zelândia, derrota esperada por 34 x 0, e, no segundo desafio, derrota por 31 x 5 para a França, com Xuxu fazendo o único try das Tupis. Nas duas partidas, o Brasil teve poucas chances de ataque e cometeu muitos erros de tackle.

 

Enquanto isso, no mesmo grupo do Brasil, o Grupo A, Nova Zelândia, França e Espanha travaram uma inesperada emocionante pela primeira posição. A França começou com vitória sobre a Espanha, mas as espanholas reagiram e alcançaram um feito histórico: venceram pela primeira vez a Nova Zelândia, 19 x 14, em jogo de muitos penais, que tirou a invencibilidade das Black Ferns na temporada. No entanto, as neozelandesas reagiram e na rodada final fizeram 24 x 0 sobre as francesas, garantindo o primeiro lugar da chave.

 

Fechando sua participação na primeira fase, o Brasil foi ainda derrotado pela Espanha por 19 x 14, após sair atrás no placar por 19 x 0, novamente com falhas defensivas e pouca produtividade no ataque. As Tupis, contudo, jamais deixaram de lutar e encerraram o jogo de cabeça erguida, com dois tries sobre as espanholas, com Cacau e Baby.

 

Nos demais grupos, nenhuma surpresa. Pelo Grupo C, Austrália e Estados Unidos voltaram a fazer um jogo muito parelho e encerrado em 12 x 12, mantendo o jejum de vitórias das Wallaroos sobre as Eagles. Os dois times venceram Fiji e China, enquanto as fijianas passaram pelas chinesas no sufoco e ficaram de fora das quartas de final pelo saldo de pontos.

 

No Grupo B, a anfitriã Inglaterra sucumbiu diante do Canadá, expressivos 31 x 0 , dando a primeira colocação às canadenses. As inglesas, no entanto, bateram as russas, que se classificaram de qualquer maneira ao fazerem bom saldo sobre o saco de pancadas África do Sul.

 

Sábado desastroso para as Tupis, mas de festa para Austrália e Nova Zelândia

O sábado do London Sevens foi para as Tupis esquecerem. A seleção feminina entrou em campo contra a China com a missão de ser campeã da Taça Bronze, mas o que se viu foi um apático e irreconhecível time brasileiro, cometendo erros crassos de tackles e muito pouco criativo com a bola em mãos. A China começou melhor a partida fazendo 7 x 0, mas o Brasil reagiu no fim com um contra-ataque puxado por Amanda e finalizado por Juka. Sem a conversão, o Brasil seguiu atrás no marcador, mas começou avassalador o segundo tempo com uma ótima sequência de passes de uma ponta à outra para Raquel concluir. Os erros voltaram a dar as caras e a China se colocou em vantagem com seu segundo try, mas as condições para a vitória brasileira foram criadas com a China sendo reduzida a 6 atletas por cartão amarelo. Não tardou para o espaço aparecer e Baby virou o placar para as Tupis. Contudo, o imponderável surgiu, o Brasil perdeu de novo o tackle, levou um contra-ataque mortal e viu a vitória escapar no apagar das luzes. 19 x 17, e primeira derrota diante da China desde setembro.

 

Restou às Tupis a decisão do 11º e, numa das piores apresentações do Brasil no ano, a África do Sul venceu por 14 x 7, impondo ao Brasil seu primeiro torneio na temporada sem vitória. Com muitos erros de defesa, tackle e posicionamento, a África do Sul abriu 14 x 0 rapidamente, com Theron e Grain. A reação brasileira veio ainda no primeiro tempo com try de Baby, mas o segundo tempo foi muito fraco. O Brasil teve poucas chances de virar o placar, se resumindo a defender enquanto o mais fraco time do circuito dominava a posse da bola e o território, assegurando o triunfo. As Tupis se despediram em baixa da Série Mundial de Sevens.

 

Na decisão Bronze, Fiji repetiu o duelo contra a China da primeira fase, mas dessa vez venceu com folga, 31 a 0. A Rússia, em um fim de semana abaixo das expectativas, bateu a Espanha para terminar em 7o, cabendo à Inglaterra o título da Taça Prata, ao superar as francesas por 19 a 0, em jogo crucial na luta por vaga nos Jogos Olímpicos.

 

Em um fim de semana totalmente atípico para as Black Ferns, líderes da temporada, mas com a invencibilidade quebrada, restou a disputa de 3o lugar, e mais uma vez os Estados Unidos ficaram no quase, perdendo por apenas um try de diferença. As Eagles sem dúvida vem com tudo para próxima etapa, na busca por um lugar no Rio 2016, enquanto a Nova Zelândia, com o resultado, assegurou o título da temporada matematicamente.

 

Canadá e Austrália fizeram a grande final, que começou com as Canucks arrebatadoras, virando a partida e encerrando o primeiro tempo por 12 a 5. A situação parecia sob controle quando Moleschi anotou seu segundo try, abrindo doze pontos de vantagem e as Wallaroos ficaram com um a menos em campo. Mas não foi o que aconteceu. Com tries de Caslick, Beck e Elia Green a Austrália virou e garantiu o título da etapa.

 

Com o resultado, Austrália e Canadá abriram boa vantagem sobre a quinta colocada França na briga por um lugar no Rio 2016, 14 pontos, e praticamente estão garantidas na competição. Estados Unidos e França dividem o quarto lugar, com as norte-americanas levando a melhor pelos critérios de desempate. As duas equipes têm no momento somente 2 pontos a mais que a sexta colocada Inglaterra, que segue plenamente na briga, ao passo que a Rússia se distanciou, estando agora 8 pontos abaixo das francesas.

 

london sevens logo

London Sevens – 5ª etapa da Série Mundial de Sevens Feminina – em Londres, Inglaterra

 

Sexta-feira, dia 15 de maio

Nova Zelândia 34 x 0 Brasil

França 12 x 5 Espanha

Austrália 15 x 5 Fiji

Estados Unidos 40 x 7 China

Canadá 14 x 12 Rússia

Inglaterra 28 x 7 África do Sul

Nova Zelândia 15 x 19 Espanha

França 31 x 5 Brasil

Austrália 31 x 0 China

Estados Unidos 24 x 19 Fiji

Canadá 45 x 0 África do Sul

Inglaterra 21 x 12 Rússia

Brasil 14 x 19 Espanha

Nova Zelândia 24 x 0 França

Fiji 14 x 12 China

Austrália 12 x 12 Estados Unidos

Rússia 40 x 17 África do Sul

Inglaterra 0 x  31 Canadá


SeleçãoPontuação geralEtapa 5 (França)Etapa 4 (Canadá)Etapa 3 (Estados Unidos)Etapa 2 (Brasil)Etapa 1 (Emirados Árabes)
Austrália941816202020
Nova Zelândia801618181612
Canadá742012141810
Inglaterra741420160816
França601214081214
Rússia420406100418
Estados Unidos461008121402
Fiji360804061008
Espanha260610020206
Brasil*120003000603
Japão120101030304
Irlanda110302040101
Quênia*020200000000
Colômbia*010000010000
* seleções convidadas
EtapaCampeão
Etapa 1 (Emirados Árabes)Austrália
Etapa 2 (Brasil)Austrália
Etapa 3 (Estados Unidos)Austrália
Etapa 4 (Canadá)Inglaterra
Etapa 5 (França)Canadá

– Pontuação: 1º lugar, 20 pontos / 2º, 18 pts / 3º, 16 pts / 4º, 14 pts / 5º, 12 pts / 6º, 10 pts / 7º, 8 pts / 8º, 6 pts / 9º, 4 pts / 10º, 3 pts / 11º, 2 pts / 12º, 1 pt.

 

Sábado, dia 16 de maio

Quartas de final

Canadá 26 x 5 Rússia

Estados Unidos 19 x 12 França

Nova Zelândia 24 x 12 Inglaterra

Austrália 19 x 0 Espanha

 

Semifinais Bronze

Fiji 38 x 5 África do Sul

Brasil 17 x 19 China

 

Semifinais Prata

Rússia 14 x 22 França

Inglaterra 10 x 0 Espanha

 

Semifinais Ouro

Canadá 17 x 14 Estados Unidos

Nova Zelândia 5 x 24 Austrália

 

Finais Bronze

África do Sul 14 x 7 Brasil – 3º lugar

Fiji 31 x 0 China – Final

 

Finais Prata

Rússia 19 x 7 Espanha – 3º lugar

França 0 x 19 Inglaterra – Final

 

Finais Ouro

Estados Unidos 19 x 24 Nova Zelândia – 3º lugar

Canadá 17 x 20 Austrália – Final


 

SeleçãoPontos
Nova Zelândia108
Canadá96
Austrália94
Inglaterra76
Estados Unidos76
França72
Rússia60
Fiji32
Espanha26
Brasil20
China13
África do Sul9
Holanda2

– Pontuação: 1º lugar, 20 pontos / 2º, 18 pts / 3º, 16 pts / 4º, 14 pts / 5º, 12 pts / 6º, 10 pts / 7º, 8 pts / 8º, 6 pts / 9º, 4 pts / 10º, 3 pts / 11º, 2 pts / 12º, 1 pt.

– 4 primeiros colocados garantem vaga nos Jogos Olímpicos de 2016

 

Seleção Brasileira Feminina:

Amanda Araújo (Niterói), Angélica Gevaerd “Binha” (SPAC), Beatriz Futuro “Baby” (Niterói), Edna Santini (São José), Isadora Cerullo (Niterói), Juliana Esteves “Juka” (Band Saracens), Julia Sardá (Desterro), Karina Godoi (São José), Mariana Ramalho (SPAC), Paula Ishibashi (SPAC), Raquel Kochhann (Charrua), Thais Cruz “Xuxu” (SPAC).

Comentários