ARTIGO COM VÍDEOS – Black Ferns e … farão no próximo sábado a grande final da Copa do Mundo Feminina de Rugby XV! Nesta terça-feira, em Belfast, na Irlanda do Norte, foram jogadas as duas semifinais do torneio. Primeiro, a Nova Zelândia deu show e despachou os Estados Unidos por 45 x 12, enquanto, na sequência, Inglaterra e França fizeram o clássico europeu que terminou com as Red Roses falando mais alto, 20 x 03, em um jogo mais apertado do que sugere o placar, impondo nada menos que a sétima derrota em semifinal para as Bleues.

Essa será a quinta final da história da Nova Zelândia e a sétima da Inglaterra, que busca defender seu título. Na conta, quatro títulos para as neozelandesas e dois para as inglesas. Quem leva agora?

 

Show das Black Ferns

- Continua depois da publicidade -

As Águias tentaram, lutaram, batalharam e tiveram bons momentos no jogo. Mas a Nova Zelândia se provou forte demais para os Estados Unidos, impondo-se com uma grande vitória por 45 x 12, que incluiu 4 da super artilheira Portia Woodman para as Black Ferns.

O duelo começou parelho, com as kiwis abrindo o placar com try de Subritzky-Nafatali. Mas, quem brilhou primeiro foram as americanas, com um linha de passes estupenda finalizada com estilo por Kirsten Thomas, com o primeiro try dos EUA. O jogo seguiu apertado e as neozelandesas precisaram da potência de Portia Woodman para irem em vantagem ao intervalo com dois tries. 15 x 07.

No segundo tempo a Nova Zelândia se impôs de vez, com show de Portia Woodman. Logo na volta dos vestiários saiu o terceiro try kiwi, em grande jogada, com Selica Winiata liberado de offload para Portia Woodman cruzar o in-goal.

As Águias ainda tiveram tempo para brilharem com linda try na velocidade de Kelter. Mas as Black Ferns e Woodman dominaram o restante do duelo, com fazendo mais 2 tries (4 ao todo!) para liquidar a fatura. Waaka ainda perdeu um try feito ao colocar com os pés a bola no in-goal e não conseguir apoiar na meta. Aos 73′, saiu uma pintura, com chute cruzado encontrando a hooker Ngata-Aerengamate para o try. E Brazier fechou a conta com lindo try costurando a defesa americana. 45 x 12, fim de papo.

black ferns45versus copiar12

Nova Zelândia 45 x 12 Estados Unidos, no Kingspan Stadium, Belfast

Nova Zelândia

Tries: Woodman (4), Ngata-Aerengamate, Subritzky-Nafatali e Brazier

Conversões: Cocksedge (2)

Penais: Cocksedge (2)

15 Selica Winiata, 14 Portia Woodman, 13 Stace Waaka, 12 Kelly Brazier, 11 Renee Wickliffe, 10 Victoria Subritzky-Nafatali, 9 Kendra Cocksedge, 8 Aroha Savage, 7 Sarah Goss, 6 Charmaine McMenamin, 5 Charmaine Smith, 4 Eloise Blackwell, 3 Aldora Itunu, 2 Fiao’o Faamausili (c), 1 Toko Natua;

Suplentes: 16 Te Kura Ngata-Aerengamate, 17 Sosoli Talawadua, 18 Aleisha Nelson, 19 Rebecca Wood, 20 Lesley Ketu, 21 Linda Itunu, 22 Theresa Fitzpatrick, 23 Carla Hohepa;

Estados Unidos

Tries: Thomas e Kelter

Conversões: Kelter (1)

1 Catie Benson, 2 Katy Augustyn, 3 Tiffany Faaee (C), 4 Stacey Bridges, 5 Alycia Washington, 6 Sara Parsons, 7 Kate Zackary, 8 Jordan Gray, 9 Deven Owsiany, 10 Kimber Rozier, 11 Kristen Thomas, 12 Alev Kelter, 13 Nicole Heavirland, 14 Naya Tapper, 15 Cheta Emba;

Suplentes: 16 Samantha Pankey, 17 Hope Rogers, 18 Nick James, 19 Abby Gustaitis, 20 Kristine Sommer, 21 Kayla Canett-Oca, 22 Tess Feury, 23 Jess Wooden;

 

Le Crunch é das Rosas mais uma vez

O histórico recente favorecia a Inglaterra nos confrontos com a França, mas as Bleues mostraram ao longo do torneio que estavam prontas para tentarem quebrar sua sina histórica as semifinais da Copa do Mundo. O jogo correspondeu às expectativas e as francesas mantiveram em aberto o jogo até o fim, quando a capacidade inglesa de definição falou mais alto. 20 x 03, com as Red Roses se mantendo na defesa de seu título.

O primeiro tempo foi brutalmente físico, com os espaços fechados dos dois lados e o placar sendo movimentado apenas por meio de penais. Scarratt abriu o placar para as inglesas, mas Izar devolveu na mesma moeda para as francesas, com um 3 x 3 no marcador.

Scarratt inaugural o placar no segundo tempo com mais um penal para as Red Roses e o que se viu foi um domínio completo de posse de bola e território para a Inglaterra, que forçou ao mais a capacidade defensiva da França. As Bleues resistiram, mas uma hora a pressão fez efeito e, aos 61′, Bern marcou o try que deu a vantagem necessária para a Inglaterra jogar a pressão contra as adversárias e capitalizar sobre o nervosismo adversário com o 13 x 03. A França teve suas chances, partiu para o ataque, teve um try invalidade e, no fim, na bola final, sofreu um último try, de Jones, já com o tempo esgotado e a derrota decretada. 20 x 30 e placar final de um épico do XV feminino.

20versus copiar03

Inglaterra 20 x 03 França, no Kingspan Stadium, Belfast

Inglaterra

Tries: Jones e Bern

Conversões: Scarratt (2)

Penais: Scarratt (2)

15 Danielle Waterman, 14 Lydia Thompson, 13 Emily Scarratt, 12 Rachael Burford, 11 Kay Wilson, 10 Katy Mclean, 9 Natasha Hunt, 1 Vickii Cornborough, 2 Amy Cokayne, 3 Sarah Bern, 4 Abbie Scott, 5 Tamara Taylor, 6 Alex Matthews, 7 Marlie Packer, 8 Sarah Hunter (c);

Suplentes: 16 Vicky Fleetwood, 17 Rochelle Clark, 18 Justine Lucas, 19 Harriet Millar-Mills, 20 Izzy Noel-Smith, 21 La Toya Mason, 22 Amber Reed, 23 Megan Jones;

 

França

Penal: Izar (1)

15 Montserrat Amedee, 14 Elodie Guiglion, 13 Caroline Ladagnous, 12 Elodie Poublan, 11 Shannon Izar, 10 Caroline Drouin, 9 Yanna Rivoalen, 1 Annaëlle Deshayes, 2 Gaëlle Mignot (c), 3 Julie Duval, 4 Lénaïg Corson, 5 Audrey Forlani, 6 Marjorie Mayans, 7 Julie Annery, 8 Safi N’Diaye;

Suplentes: 16 Caroline Thomas, 17 Lise Arricastre, 18 Patricia Carricaburu, 19 Manon André, 20 Coumba Diallo, 21 Jade Le Pesq, 22 Carla Neisen, 23 Chloé Pelle;

 

Dia 26 de agosto

3º lugar

13h00 – França x Estados Unidos, no Kingspan Stadium, Belfast

 

FINAL

15h45 – Nova Zelândia x Inglaterra, no Kingspan Stadium, Belfast

 

*Horários de Brasília

Foto: Divulgação – World Rugby