Olhos para Singapura: o sevens masculino vai estrear em uma nova casa

ARTIGO COM VÍDEO – A Série Mundial de Sevens Masculina desembarca nesse fim de semana em mais um novo torneio: o Singapore Sevens, em Singapura, rica cidade-Estado do Sudeste Asiático, que será o palco da antepenúltima etapa da temporada 2015-16.

 

Singapura foi no passado palco de etapas do circuito, tendo recebido os melhores do mundo em quatro oportunidades: 2002, 2004, 2005 e 2006. O retorno da “Cidade Jardim” se faz logo após a construção do espetacular Singapore Sports Hub, novo estádio na cidade, com capacidade para 55.000 torcedores, coberto, sendo o maior estádio com domo do mundo.

 

Em campo, a expectativa é alta, com a decisão do título da temporada se aproximando e três seleções ainda muito próximas da conquista. Líder do circuito, Fiji soma hoje 5 pontos a mais que a vice líder Nova Zelândia, e 6 a mais que a terceira colocada África do Sul – sendo que o primeiro colocado de cada torneio ganha 3 pontos a mais que o vice campeão e 5 a mais que o terceiro colocado.

 

Os fijianos caíram no Grupo A, vindos de sua terceira etapa conquistada na temporada, ao triunfarem em Hong Kong. A base do time de Ben Ryan será a mesma, liderada por Kolinisau e dotada de homens perigosos como Taliga, Kunatani, Ravouvou, Veremalua e Seremaia Tuwai. Inglaterra e Samoa, muito irregulares ao longo da temporada, aparecem como os candidatos principais a atrapalharem Fiji. Os ingleses mostraram evolução em Hong Kong, com James Rodwell (que baterá em Singapura o retorno mundial de 69 torneios como capitão) e Dan Norton garantindo a liderança que o time precisava. Portugal completa o grupo e segue como o maior candidato a acabar rebaixado. Os portugueses até aqui terminaram na lanterna em 5 dos 7 torneios disputados, incluindo o último em Hong Kong.

 

No Grupo B, o favoritismo é da Nova Zelândia, mas os desafios serão muitos para os All Blacks. Referências do time, Tim Mikkelson, lesionado, e DJ Forbes, poupado para recuperação física (já pensando no Rio 2016), estão fora da etapa de Singapura. A capitania ficou nas mãos de Liam Messam, que se torna a referência do time junto de Sonny Bill Williams, Kurt Baker e Gilles Kaka, que lideram um jovem elenco neozelandês. E o grupo é perigoso, pois tem os Estados Unidos como oponente, que já venceu nesta temporada os kiwis. As Águias contam com a flecha Perry Baker, cada vez melhor, e com a promessa vinda do futebol americano Nathan Ebner, campeão da NFL em 2014 pelo New England Patriots. A França, do fijiano Vakatawa, corre por fora. Os Bleus fazem campanha decepcionante até aqui, mas têm qualidade o bastante para atrapalharem neozelandeses e americanos. O Canadá completa o grupo sendo também um time perigoso.

 

A África do Sul encabeça o Grupo C e tem uma enorme pressão sobre seus ombros. Afinal, os Boks seguem vivos na briga pelo título, mas vêm perdendo fôlego. Em 7 etapas, enquanto Nova Zelândia e Fiji conquistaram 3 torneios cada, os sul-africanos venceram apenas 1, em casa, em dezembro, e sabem que Singapura tem ares de tudo ou nada. É vencer agora ou ter certeza de que o título está mais distante. Chris Dry volta ao time do técnico Neil Powell, que segue apostando as fichas na capacidade definidora do artilheiro do circuito Seabelo Senatla. Quênia e Escócia aparecem como os times que estão na busca de derrubar os Boks, mas ambos fazem temporadas instáveis, enquanto a Rússia fecha o grupo seguindo na busca de sua primeira ida às quartas de final. Os russos estão sempre de olho nos portugueses na luta contra o rebaixamento.

 

Por fim, o Grupo D tem a Austrália como o destaque. O título é praticamente impossível já para os aussies, que ainda não conseguiram vencer nenhuma etapa nesta temporada. Mas, a consistência do time australiano alimenta suas ambições e a volta ao grupo do excelente Jesse Parahi garante ânimo extra, enquanto Nick Cummins “The Honey Badger”, que ainda não se adaptou ao sevens, deixa a equipe lesionado. Gales e Argentina são os principais concorrentes dos australianos, mas o Japão, campeão da segunda divisão e promovido a seleção central para a próxima temporada, certamente chega ao torneio com gana de alcançar as quartas de final novamente (ganhando a vaga como convidado, no lugar da seleção da casa, que não tem ainda nível para um desafio desse porte). Os argentinos fizeram suas três piores campanhas nos três últimos eventos, enquanto os galeses fizeram suas três melhores campanhas no mesmo período. Essa será a tendência para Singapura? Os Pumas vão a campo precisando provar algo a mais, o que poderá dar mais emoção à chave. O reforço argentino é Javier Ortega Desio, liberado pelos Jaguares para o torneio.

 

As finais do torneio terão transmissão do BandSports, ainda a terem os detalhes revelados.

SWS 2015-16 logo

Singapore Sevens – 8ª etapa da Série Mundial de Sevens Masculina 2015-16 – em Singapura

Grupo A: Fiji, Inglaterra, Samoa e Portugal

Grupo B: Nova Zelândia, Estados Unidos, França e Canadá

Grupo C: África do Sul, Quênia, Escócia e Rússia

Grupo D: Austrália, Gales, Argentina e Japão

 

Sexta-feira, dia 15 de abril / Sábado, dia 16 de abril

*das 23h00 às 08h45

África do Sul x Escócia

Quênia x Rússia

Nova Zelândia x França

Estados Unidos x Canadá

Austrália x Argentina

Gales x Japão

Fiji x Samoa

Inglaterra x Portugal

 

África do Sul x Rússia

Quênia x Escócia

Nova Zelândia x Canadá

Estados Unidos x França

Austrália x Japão

Gales x Argentina

Fiji x Portugal

Inglaterra x Samoa

 

Escócia x Rússia

África do Sul x Quênia

França x Canadá

Nova Zelândia x Estados Unidos

Argentina x Japão

Austrália x Gales

Samoa x Portugal

Fiji x Inglaterra

 

Sábado, dia 16 de abril / Domingo, dia 17 de abril

*das 23h30 às 09h00

Finais

 

Seleção* Pontos – Classificação Geral Etapa 10 (Inglaterra) Etapa 9 (França) Etapa 8 (Singapura) Etapa 7 (Hong Kong) Etapa 6 (Canadá) Etapa 5 (Estados Unidos) Etapa 4 (Austrália) Etapa 3 (Nova Zelândia) Etapa 2 (África do Sul) Etapa 1 (Emirados Árabes)
Fiji 181 15 19 19 22 15 22 17 17 13 22
África do Sul 171 19 13 17 17 19 17 15 19 22 13
Nova Zelândia 158 13 10 12 19 22 13 22 22 10 15
Austrália 134 07 12 10 15 17 19 19 13 10 12
Argentina 119 12 15 15 08 05 10 13 12 19 10
Estados Unidos 117 17 05 07 12 12 15 10 10 12 17
Quênia 98 03 10 22 10 01 10 12 10 15 05
Inglaterra 92 10 07 05 13 05 01 10 15 07 19
Samoa 89 05 22 13 05 13 03 07 08 03 10
Escócia 87 22 08 08 07 10 05 05 07 08 07
França 85 10 17 10 05 07 07 01 03 17 08
Gales 54 08 02 02 10 10 08 03 01 05 05
Canadá 40 05 01 01 02 08 02 08 05 05 03
Rússia 28 02 05 03 03 03 05 02 02 02 01
Portugal 21 01 03 05 01 02 01 05 01 01 01
*Apenas as seleções centrais
Etapa Campeão
Etapa 1 (Emirados Árabes) Fiji
Etapa 2 (África do Sul) África do Sul
Etapa 3 (Nova Zelândia) Nova Zelândia
Etapa 4 (Austrália) Nova Zelândia
Etapa 5 (Estados Unidos) Fiji
Etapa 6 (Canadá) Nova Zelândia
Etapa 7 (Hong Kong) Fiji
Etapa 8 (Singapura) Quênia
Etapa 9 (França) Samoa
Etapa 10 (Inglaterra) Escócia

– 15º colocado = rebaixamento.

Pontuação:
1º – 22 pontos; 2º – 19 pts; 3º – 17 pts; 4º – 15 pts;
5º – 13 pts; 6º – 12 pts; 7º e 8º – 10 pts;
9º – 8 pts; 10º – 7 pts; 11º e 12º – 5 pts;
13º – 3 pts; 14º – 2 pts; 15º e 16º – 1 pt.


 

Obs: alteramos a grafia “Cingapura” para “Singapura”, por conta do acordo ortográfico, que alterou a grafia da palavra no Brasil desde 1º de janeiro de 2016.

Comentários