Pedro Lopes fez sua carreira no Brasil com muitos títulos pelo São José e atuações pela Seleção Brasileira, além de ter feito parte da categoria de base do Grenoble, clube importante da França.

Na virada de ano, Pedrinho voltou à Europa para jogar pelo Villefranche-sur-Saône, clube da divisão Fédérale 2, pelo qual também jogou na temporada passada, retornando no meio do ano para o Brasil. E, logo em sua volta ao clube, o centro cravou um importante try na vitória de seu time por 32 x 26 sobre o Portalier, pela 13ª rodada da competição.


Pedrinho, o que te motivou a retornar ao rugbyfrancês? Como está seu momento no Villefranche?

R: O Rugby aqui e bem forte e de alto nível. Minha última temporada no CSV Villefranche foi muito boa, pois consegui me integrar ao grupo e fiz bons jogos. O time também gostou e me fizeram uma nova proposta, que aceitei, sendo bem recebido na minha volta. Todos dirigentes e jogadores ficaram bem felizes com meu retorno e, é claro, eu também. Já fiz dois jogos, marquei um try e tivemos uma bela vitória importantíssima para nós.

- Continua depois da publicidade -

 

No ano passado você defendeu o São José no Super 8, mas já havia jogado no mesmo clube francês na temporada 2016-17. Você tem planos para retornar ao Brasil ou planeja o futuro na Europa? Quais os objetivos na carreira agora?

R: Sim, no ano passado eu tive que voltar pois meu visto era somente de 6 meses. Para não ficar parado, decidi jogar para meu clube, o São José, mas neste ano não pretendo voltar e nem posso, já que tenho um visto mais longo, graças a Deus. Varias pessoas me ajudaram a conseguir esse visto, como a Tia Ilma Guimera, o cônsul de São José M. Jérôme, entre outras pessoas. Portanto, irei para o Brasil somente pra ver a família. Eu tenho o sonho de me tornar um jogador profissional e jogar no alto nível do Rugby francês. Esse é meu plano, quero ficar aqui e fazer uma vida no país. Gosto bastante da França, me sinto bem aqui, e pra realizar meu sonho preciso ficar!

 

Você já conhece muito bem a França. Já foram quantas passagens pelo país? E como é seu clube atual? Como é a vida como atleta no rugby francês?

R: Sim, já tive a oportunidade de jogar na categoria de base do FCG Grenoble, em 2011/2012, onde aprendi muito. Joguei uma temporada aqui pelo CSV Villefranche e aqui estou eu novamente. Meu clube tem uma ótima estrutura, com 3 campos de treino, sendo um sintético. O campo principal, onde jogamos, tem academia, clube de recepção…

Enfim, tem uma estrutura realmente muito boa, tem todas as categorias de base desde o M6 até o adulto. Aqui eles levam bem a sério o Rugby, é realmente uma empresa. Treinamos de terça a quinta e jogamos todos os domingos. Eu, como sou contratado, malho todos os dias, vou para o clube às 17h e fico lá até 21h. Às segundas e quartas ajudo a dar treino no centro de formação daqui do meu clube. É essa a minha vida aqui por enquanto: gosto bastante, sou bem tratado e muito bem cuidado por todos do meu time. Realmente dão valor ao atleta. Acho que é o principal e isso me motiva muito. Esse é um pouco da minha história no Rugby francês, que ainda só está começando!

 

Obrigado, Pedrinho, sucesso em terras francesas!

 

Melhores momentos de Pedrinho pelo Villefranche-sur-Saône em 2016-17: