Quarta e quinta de gala com State of Origin e Irlanda x Barbarians na TV!

O fim de maio reservou um meio de semana especial ao fã dos dois rugbys, o League e o Union. Na quarta-feira de manhã, será dada a largada para a série de três partidas do grandioso State of Origin, o confronto anual entre as seleções dos estados de Nova Gales do Sul e Queensland, os dois principais estados para o Rugby League australiano, considerado o maior evento do esporte no país, com transmissão para o Brasil ao vivo pelo Sports+. Já na quinta-feira, pelo Rugby Union, a Irlanda entra em campo em casa já pensando na Copa do Mundo. O Trevo, campeão do Six Nations, enfrenta os Barbarians, um combinado de atletas de todo o mundo, com transmissão ao vivo da ESPN+.

 

Titãs do League em campo

A quarta-feira será grandiosa para o rugby league australiano, com o jogo 1 do State of Origin 2015. A partida será em Sydney, capital de Nova Gales do Sul, mas é muito aguardada pelos torcedores de Queensland, que estão engasgados com o fim de sua hegemonia no ano passado. Os Maroons vão a campo com os seus grandes nomes que, apesar de veteranos, são de qualidade indiscutível e espírito vencedor. Lá atrás estarão o ídolo Billy Slater, o talismã Darius Boyd e o craque Greg Inglis; na criação, os incríveis Cooper Cronk e Johnathan Thurston, e na frente o capitão Cameron Smith e as fortalezas Corey Parker e Sam Thaiday.

 

Já os Blues sofreram duas perdas para 2015, e dois dos grandes líderes do título de 2014: o fullback Jarryd Hayne, agora na NFL, e o capitão Paul Gallen, lesionado. Josh Dugan faz grande temporada com os Dragons e assumirá a camisa 1, mas ainda terá que provar que pode ser tão importante a NSW quanto Hayne, enquanto a 13 coube a Josh Jackson. A polêmica esteve sobre qual seria a dupla de cinco-oitavos e halfback: a parelha campeã de 2014, Josh Reynolds e Trent Hodkinson, ambos do Bulldogs, de má campanha em 2015, ou a dupla do Roosters, Mitchell Pearce e James Maloney, perdedora em 2013 com os Blues, mas campeã com o Roosters e em fase melhor? O técnico Laurie Daley apostou na mistura: Hodkinson, decisivo no último State of Origin, mas apagado neste ano, jogando ao lado de Pearce.

 

Será que dará certo? Saberemos amanhã. Se Queensland vencer a primeira em Sydney, NSW terá a obrigação de vencer no campo neutro de Melbourne a segunda partida e decidir fora de casa. Os Blues sabem que agora a pressão está sobre eles.

 

Quarta-feira, dia 27 de maio

nsw bluesversus(14)queensland maroons

07h00 – New South Wales Blues x Queensland Maroons, em Sydney – Sports+ AO VIVO / Reprise: 21h30

Blues: 1 Josh Dugan (Dragons), 2 Daniel Tupou (Roosters), 3 Michael Jennings (Roosters), 4 Josh Morris (Bulldogs), 5 Will Hopoate (Eels), 6 Mitchell Pearce (Roosters), 7 Trent Hodkinson (Bulldogs), 8 Aaron Woods (Wests Tigers), 9 Robbie Farah (c) (Wests Tigers), 10 James Tamou (Cowboys), 11 Ryan Hoffman (Warriors), 12 Beau Scott (Knights), 13 Josh Jackson (Bulldogs)

Interchange: 14 Boyd Cordner (Roosters), 15 Trent Merrin (Dragons), 16 Andrew Fifita (Sharks), 17 David Klemmer (Raiders), 18 Tyson Frizell (Dragons). Técnico: Laurie Delay.
 

Maroons: 1 Billy Slater (Storm), 2 Darius Boyd (Broncos), 3 Greg Inglis (Rabbitohs), 4 Justin Hodges (Broncos), 5 Will Chambers (Storm), 6 Johnathan Thurston (Cowboys), 7 Cooper Cronk (Storm), 8 Matt Scott (Cowboys), 9 Cameron Smith (c)  (Storm), 10 Nate Myles  (Titans), 11 Aidan Guerra (Roosters), 12 Sam Thaiday (Broncos), 13 Corey Parker (Broncos).

Interchange: 14 Michael Morgan (Cowboys), 15 Josh McGuire (Broncos), 16 Matt Gillett (Broncos), 17 Jacob Lillyman (Warriors). Técnico: Mal Meninga.

 

História: 33 temporadas do State of Origin, 18 títulos de Queensland, 13 títulos de Nova Gales do Sul e 2 séries empatadas. Ao todo, 102 jogos, 54 vitórias de Queensland, 46 vitórias de Nova Gales do Sul e 2 empates.

 

Na quinta-feira, tem Barbarians x Irlanda

Voltando ao Rugby Union, nessa quinta-feira, dia 28, a Irlanda faz seu primeiro amistoso preparatório para a Copa do Mundo, recebendo em Limerick, no Thomond Park, casa do Munster, a equipe dos Barbarians, comandada pelo técnico australiano Robbie Deans.

 

Ironicamente, apesar de atuar em Munster, a Irlanda não contará com atletas da equipe da casa, uma vez que o Munster jogará no sábado a grande final do PRO12 contra o Glasgow Warriors. O Connacht também não terá representantes na equipe, uma vez que seus atletas estiveram em campo no domingo contra o Gloucester e o desgaste do jogo com prorrogação foi grande.

 

Com isso, a Irlanda entrará em campo com um combinado de Leinster e Ulster, sendo 18 atletas do Leinster e 9 do Ulster chamados para a partida. Joe Schmidt apostou em nada menos que 6 atletas debutantes: o pilar Furlong, o segunda linha Marshall, o oitavo Conan, o scrum-half McGrath, os centros McCloskey e O’Shea e o ponta Kelleher.

 

Os Barbarians que foram formados para a partida diante da Irlanda também enfrentarão a Inglaterra no dia 31, em Londres. A equipe conta, como de tradição, com nomes de peso, do naipe de Adam Jones (Gales), Brad Thorn (Nova Zelândia, que encerrará sua carreira de 59 jogos pelos All Blacks aos 40 anos), Joe Rokocoko (Nova Zelândia), Rene Ranger (Nova Zelândia), George Smith (Austrália) e Ruan Pienaar (África do Sul). Os Baa-baas contarão com cinco sul-americanos, sendo eles o uruguaio Rodrigo Capó Ortega e os argentinos Tomás Cubelli, Matías Diaz, Roberto Tejerizo e Pablo Matera. Mantendo a tradição, um atleta irlandês estará em campo pelos Barbarians: o asa Shane Jennings que, aos 33 anos, e após defender a Irlanda em 13 ocasiões, estará frente a frente com o Trevo. Esta será a última partida de Jennings, que se aposenta com o fim desta temporada, a exemplo de Thorn.

 

Outra tradição dos Barbarians são os atletas que não defenderam ainda suas seleções nacionais, ganhando uma oportunidade para atuarem em um genuíno test match. Para o jogo contra a Irlanda, serão seis atletas nessa condição: o samoano David Smith, os neozelandeses Stephen Brett e Jimmy Gopperth, os sul-africanos Deon Fourie e Gerhard Vosloo e o inglês Dave Ward. No total, são 33 atletas de 12 países, que atuam no rugby europeu, na Argentina ou no rugby japonês (são 5 atletas que atuam na Top League e 1 no Universitário japonês). O país com mais atletas é a Nova Zelândia, 8, com a África do Sul a seguir, 6.

 

Até hoje, foram apenas cinco partidas entre Irlanda e Barbarians, com quatro vitórias irlandesas e um triunfo dos Baa-baas. O último encontro se deu em 2012, em Gloucester, na Inglaterra, com vitória irlandesa por 29 x 28.

 

Quinta-feira, dia 28 de maio

irlanda copyversus(14)Barbarians(2)

15h45 (hora de Brasília) – Irlanda x Barbarians, em Limerick – ESPN+ AO VIVO

Irlanda: Michael Bent (Leinster), Jack Conan (Leinster), Robbie Diack (Ulster), Tadhg Furlong (Leinster), Jamie Heaslip (c) (Leinster), Chris Henry (Ulster), Rob Herring (Ulster), Jack McGrath (Ulster), Ben Marshall (Leinster), Jordi Murphy (Leinster), Mike Ross (Leinster), Rhys Ruddock (Leinster), Richardt Strauss (Leinster), Devin Toner (Leinster), Dan Touhy (Ulster), Craig Gilroy (Ulster), Paddy Jackson (Ulster), Dave Kearney (Leinster), Rob Kearney (Leinster), Cian Kelleher (Leinster), Stuart McCloskey (Ulster), Luke McGrath (Ulster), Ian Madigan (Leinster), Luke Marshall (Ulster), Colm O’Shea (Leinster), Eoin Reddan (Leinster), Noel Reid (Leinster).

 

Barbarians: Deon Fourie (sul-africano, Lyon/França), Dave Ward (inglês, Harlequins/Inglaterra), Matías Diaz (argentino, Teqüe e Pampas XV/Argentina), Adam Jones (galês, Cardiff Blues/Gales), Saimone Taumoepeau (neozelandês, Castres/França), Roberto Tejerizo (argentino, Santiago LT e Pampas XV/Argentina), Soane Tonga’uiha (tonganês, Oyonnax/França), Rodrigo Capó Ortega (uruguaio, Castres/França), Jason Eaton (neozelandês, NTT Shining Arcs/Japão), Konstantin Mikautadze (georgiano, Toulon/França), Brad Thorn (neozelandês, Leicester Tigers/Inglaterra), Shane Jennings (irlandês, Leinster/Irlanda), Pablo Matera (argentino, Alumni e Pampas XV/Argentina), George Smith (australiano, Lyon/França), Gerhard Vosloo (sul-africano, Toulon/França), George Whitelock (neozelandês, Panasonic Wild Knights/Japão), Ryu Holani (japones, Panasonic Wild Knights/Japão), Thomas Waldrom (inglês, Exeter Chiefs/Inglaterra), Tomás Cubelli (argentino, Belgrano e Pampas XV/Argentina), Ruan Pienaar (sul-africano, Ulster/Irlanda), Stephen Brett (neozelandês, Lyon/França), Jimmy Gopperth (neozelandês, Leinster/Irlanda), Tusi Pisi (samoano, Suntory Sungoliath/Japão), Berrick Barnes (australiano, Panasonic Wild Knights/Japão), Wynand Olivier (sul-africano, Montpellier/França), Rene Ranger (neozelandês, Montpellier/França), Alex Cuthbert (galês, Cardiff Blues/Gales), Yoshikazu Fujita (japonês, Universidade de Waseda/Japão), Ugo Monye (inglês, Harlequins/Inglaterra), Joe Rokocoko (neozelandês, Bayonne/França), David Smith (samoano, Toulon/França), Gio Aplon (sul-africano, Grenoble/França) e Zane Kirchner (sul-africano, Leinster/Irlanda).

 

 

Comentários