Sexta e sábado de Six Nations!

Depois de uma semana de pausa, o Six Nations voltou! E voltou mais cedo, com a rodada europeia de seleções começando já na sexta-feira, com o jogão entre os invictos Gales e França, de olho na ponta da tabela. No sábado, Itália e Escócia abrem o dia duelando contra o último lugar, enquanto Inglaterra e Irlanda fecham o dia com muita rivalidade pelo Millennium Trophy, com os ingleses buscando o 100% de aproveitamento e os irlandeses querendo reagir.

 

O sábado ainda contará com a terceira rodada do Europeu de Nações, o “Six Nations B”, com a líder Geórgia recebendo a Espanha, a lanterna Alemanha recebendo o igualmente desesperado Portugal e Romênia e Rússia duelando em clássico continental.

 

França na busca da quebra de um tabu

Amanhã, o embate entre Gales e França promete ser de arrepiar. Os franceses lideram a competição ao lado dos ingleses, com duas vitórias em dois jogos, mas ambas apertadas e ainda não muito convincentes. Já galeses largaram com um empate seguido de uma boa vitória, apresentando evolução de uma rodada a outra. A favor dos galeses, além do mando de jogo, está o tabu: são quatro anos sem vitórias da França sobre Gales, desde a polêmica semifinal da Copa do Mundo de 2011, sendo que o último triunfo dos Bleus em Cardiff aconteceu em 2010.

 

A França vai ao Principality Stadium com cinco mudanças em seu time que venceu a Irlanda. Rabah Slimani retornará ao XV titular na primeira linha, compondo uma nova formação com Poirot como o outro pilar. Na segunda linha, Paul Jedrasiak agradou e ganhou a vaga de Maestri, enquanto Burban será o asa no posto de Camara, em novo teste de Guy Novès. Maxime Machenaud será o novo scrum-half, mantendo o problema de afirmação da dupla ideal de 9 e 10 da equipe, sendo testado agora junto de Plisson. Na ponta, Camara debuta, mostrando a insatisfação no XV de France com seus pontas, ainda pouco produtivos. Gales, por sua vez, terá três novidades. No pack, Lydiate toma o lugar de Tipuric, cujo desempenho gerou dúvidas, enquanto Bradley Davies estará na segunda linha substituindo o lesionado Charteris. Já na linha, Alex Cuthbert volta ao time no lugar de Tom James, jogando ao lado de seus velhos conhecidos George North e Liam Williams.

 

Gales tem o favoritismo para o duelo, estando em uma forma física e com um entrosamento do elenco muito superiores ao da França, em início de trabalho. A opção de Warren Gatland por Lydiate no lugar de Tipuric aponta para uma predileção física do treinador, que espera uma batalha dura no breakdown contra Chouly, Lauret e Bourban. A força maior da França no momento jaz na primeira e terceira linha, e o embate físico e, em especial, nas formações, é essencial para o sucesso francês na partida. A segunda linha modificada também aponta para o receio quanto à forma esplêndida da segunda linha vermelha, em especial no lateral. A França ainda tem sérias dificuldades com a criação de jogadas e sua fluidez na linha, tanto que Novès cedeu e convocou para o banco Trinh-Duc. Gales tem uma forma muito melhor no setor e a dupla Gareth Davies-Dan Biggar aliada à experiência de Jamie Roberts e à capacidade definidora de George North poderão matar a partida para Gales a qualquer momento.

 

No sábado…

O sábado começa com o jogo dos desesperados entre Itália e Escócia. Os escoceses têm o favoritismo, mas o mando de jogo é italiano e isso poderá garantir a força extra para os Azzurri na luta contra a colher-de-pau – sobretudo depois da vitória da Itália na capital escocesa em 2015. Apesar das duas derrotas na largada do Six Nations, Vern Cotter apostou em manter a base da seleção que fez sucesso na Copa do Mundo. Com a continuidade em mente, a Escócia teve somente uma mudança no XV, com a entrada de Tim Visser, recuperado de lesão. A Itália, por outro lado, teve mudanças importantes – e preocupantes. Destaque do time, o abertura Carlo Canna foi cortado por lesão e será substituído por Kelly Haimona, que pouco inspira confiança. Haimona terá a seu lado Padovani com a 9 e o torcedor italiano já teme pelo pior no aspecto da criação. O retorno do jovem e promissor fullback Odiete, que mostrou atitude contra a França, é o lado positivo atrás. Novamente, os Azzurri depositarão as esperanças no pack, que terá um retorno importante: o hooker Ghiraldini, já recuperado fisicamente. Na segunda linha, Josh Furno também retorna oferecendo mais experiência.

 

O quadro do jogo é claro: a Itália baseará seu jogo na força física, na formação de scrum e na liderança de Sergio Parisse, para variar, enquanto a Escócia tem muito mais ferramentas, em especial em sua linha, que precisa urgentemente desabrochar no Six Nations. A Escócia irá a campo com a pior sequência de derrotas em competições europeias de sua história: 9. A Itália é o melhor oponente para quebrar a má fase.

 

Já no jogo mais aguardado do sábado, opõe históricos rivais, Inglaterra e Irlanda, em Twickenham. A Inglaterra passa por um momento melhor de reconstrução, com Eddie Jones conduzindo a Rosa a duas vitórias depois da desastrosa campanha na Copa do Mundo. A situação irlandesa é diferente, pois o trabalho ambicioso de Joe Schmidt segue, mas em momento de turbulência, após mais um fracasso no Mundial seguido já pela derrota para a França no Six Nations, em partida muito pouco inspirada dos verdes.

 

Para esse sábado, a Inglaterra terá em seu XV titular o excelente segunda linha Maro Itoje, ex capitão da seleção juvenil, no lugar de Joe Launchbury, cortado por questões físicas, e o pilar Joe Marler, no posto de Mako Vunipola, sendo as únicas mudanças no time principal para o jogo, com Eddie Jones mantendo-se firme em suas escolhas, sem ousar. A Irlanda, por sua vez, sofreu mais mudanças e terá dois debutantes no time principal, Stuart McCloskey e Josh van der Flier.

 

Em suas duas vitórias até aqui, a Inglaterra não precisou impressionar, pois seus oponentes não exigiram isso. Contra a Irlanda, de Joe Schmidt, a história será outra, pois quem tem agora o orgulho mais ferido é o Trevo. O jogo promete equilíbrio extremo, com uma batalha de dois treinadores inteligentes que irão montar um plano de jogo ardiloso para seus oponentes. A Inglaterra jogará com pragmatismo, apostando nos penais e no jogos de fases até as oportunidades para explorar a sua destrutiva linha, de Joseph, Brown e Watson, aparecerem. A Irlanda, por sua vez, trabalhará com máxima intensidade no breakdown, onde a Inglaterra não é soberana, a fim de levar o oponente aos erros, à instabilidade e aos fantasmas de 2015. A espera pelo Millennium Trophy vale a pena, o jogo promete!

 

Sexta-feira, dia 26 de fevereiro

galesversus copiarFrança vermelho

17h00 – Gales x França, em Cardiff – TV5 Monde e ESPN+ AO VIVO

Árbitro: Wayne Barnes (Inglaterra)

 

Gales: 15 Liam Williams, 14 Alex Cuthbert, 13 Jonathan Davies, 12 Jamie Roberts, 11 George North, 10 Dan Biggar, 9 Gareth Davies, 8 Taulupe Faletau, 7 Sam Warburton, 6 Dan Lydiate, 5 Alun Wyn Jones, 4 Bradley Davies, 3 Samson Lee, 2 Scott Baldwin, 1 Rob Evans

Suplentes: 16 Ken Owens, 17 Gethin Jenkins, 18 Tomas Francis, 19 Jake Ball, 20 Justin Tipuric, 21 Lloyd Williams, 22 Rhys Priestland, 23 Gareth Anscombe

 

França: 15 Maxime Médard, 14 Virimi Vakatawa, 13 Maxime Mermoz, 12 Jonathan Danty, 11 Djibril Camara, 10 Jules Plisson, 9 Maxime Machenaud, 8 Damien Chouly, 7 Antoine Burban, 6 Wenceslas Lauret, 5 Alexandre Flanquart, 4 Paul Jedrasiak, 3 Rabah Slimani, 2 Guilhem Guirado (c), 1 Jefferson Poirot

Suplentes: 16 Camille Chat, 17 Vincent Pelo, 18 Uini Atonio, 19 Yoann Maestri, 20 Loann Goujon, 21 Sébastien Bézy, 22 François Trinh-Duc, 23 Gaël Fickou

 

Histórico: 93 jogos, 47 vitórias de Gales, 43 vitórias da França e 1 empate. Último jogo: França 13 x 20 Gales, em 2015 (Six Nations)

 

Sábado, dia 27 de fevereiro

georgia copy copy copy copyversus(14)espanha(2)

10h00 – Geórgia x Espanha, em Tbilisi – RugbyEurope.tv AO VIVO

Árbitro: Ben Whitehouse (Gales)

 

alemanha logo aguiaversus(14)rugby_portugal_339611277(1)

10h30 – Alemanha x Portugal, em Hanover – RugbyEurope.tv AO VIVO

Árbitro: Frank Murphy (Irlanda)

 

romênia copyversus(14)russia copy copy copy copy copy

11h00 – Romênia x Rússia, em Iasi – RugbyEurope.tv AO VIVO

Árbitro: Lloyd Linton (Escócia)

 

italia copy copyversus(14)escocia logo

11h25 – Itália x Escócia, em Roma – ESPN+ AO VIVO

Árbitro: Jaco Peyper (África do Sul)

 

Itália: 15 David Odiete, 14 Leonardo Sarto, 13 Michele Campagnaro, 12 Gonzalo Garcia, 11 Mattia Bellini, 10 Kelly Haimona, 9 Edoardo Gori, 8 Sergio Parisse (c), 7 Alessandro Zanni, 6 Francesco Minto, 5 Joshua Furno, 4 Marco Fuser; 3 Lorenzo Cittadini, 2 Leonardo Ghiraldini, 1 Andrea Lovotti

Suplentes: 16 Davide Giazzon, 17 Matteo Zanusso, 18 Martin Castrogiovanni, 19 Valerio Bernabo, 20 Andries Van Schalkwyk, 21 Guglielmo Palazzani, 22 Edoardo Padovani, 23 Andrea Pratichetti

 

Escócia: 15 Stuart Hogg, 14 Tommy Seymour, 13 Mark Bennett, 12 Duncan Taylor, 11 Tim Visser, 10 Finn Russell, 9 Greig Laidlaw (c), 8 David Denton, 7 John Hardie, 6 John Barclay, 5 Jonny Gray, 4 Richie Gray, 3 Willem Nel, 2 Ross Ford, 1 Alasdair Dickinson

Suplentes: 16 Stuart McInally, 17 Rory Sutherland, 18 Moray Low, 19 Tim Swinson, 20 Ryan Wilson, 21 Sam Hidalgo-Clyne, 22 Peter Horne, 23 Sean Lamont

 

Histórico: 25 jogos, 17 vitórias da Escócia e 8 vitórias da Itália. Último jogo: Escócia 48 x 7 Itália, em 2015 (amistoso)

 

rfuversus(14)irlanda copy

13h50 – Inglaterra x Irlanda, em Londres – Millennium TrophyESPN+ AO VIVO

Árbitro: Romain Poite (França)

 

Inglaterra: 15 Mike Brown, 14 Jack Nowell, 13 Jonathan Joseph, 12 Owen Farrell, 11 Anthony Watson, 10 George Ford, 9 Ben Youngs, 8 Billy Vunipola, 7 James Haskell, 6 Chris Robshaw, 5 George Kruis, 4 Maro Itoje, 3 Dan Cole, 2 Dylan Hartley (c), 1 Joe Marler

Suplentes: 16 Jamie George, 17 Mako Vunipola, 18 Paul Hill, 19 Courtney Lawes, 20 Jack Clifford, 21 Danny Care, 22 Elliot Daly, 23 Alex Goode

 

Irlanda: 15 Rob Kearney, 14 Andrew Trimble, 13 Robbie Henshaw, 12 Stuart McCloskey, 11 Keith Earls, 10 Jonathan Sexton, 9 Conor Murray, 8 Jamie Heaslip, 7 Josh van der Flier, 6 CJ Stander, 5 Devin Toner, 4 Donnacha Ryan, 3 Mike Ross, 2 Rory Best, 1 Jack McGrath

Suplentes: 16 Richardt Strauss, 17 Cian Healy, 18 Nathan White, 19 Ultan Dillane, 20 Rhys Ruddock, 21 Eoin Reddan, 22 Ian Madigan, 23 Simon Zebo

 

Histórico: 130 jogos, 75 vitórias da Inglaterra, 47 vitórias da Irlanda e 8 empates. Último jogo: Inglaterra 21 x 13 Irlanda, em 2015 (amistoso)

 

*Horários de Brasília

 

SeleçãoJogosPontos
Inglaterra510
Gales57
Irlanda55
Escócia54
França54
Itália50

Vitória = 2 pontos;
Empate = 1 ponto;
Derrota = 0 pontos

 

SeleçãoJogosPontos 2014-16Pontos 2016
Geórgia104524
Romênia103419
Rússia102714
Espanha102309
Alemanha100807
Portugal100601

 

Foto: AFP PHOTO / PAUL ELLIS

Comentários