Springboks e World XV: o jogo das despedidas que aquece o sábado

Nesse sábado, dia 11, toda a atenção no XV mundial será voltada para a África, onde acontecem cinco dos seis jogos internacionais do fim de semana.  O principal embate será entre os Springboks, a seleção da África do Sul, em preparação para o Rugby Championship, que começa no fim de semana seguinte, e o combinado World XV, com atletas de todo o mundo, entre eles os ídolos Carl Hayman, Ali Williams e Bakkies Botha, que penduram as chuteiras nessa partida.

 

Já a Namíbia segue sua preparação para o Mundial fazendo a primeira de duas partidas em casa contra a Rússia, ao passo que Fiji, em preparação para a Copa das Nações do Pacífico, faz o único jogo fora da África, recebendo os Maori All Blacks, a seleção maori da Nova Zelândia, considerada a segunda seleção do país.
 
Nenhuma das partidas terá transmissão para o Brasil.
 

Maoris e fijianos em campo

Depois de Samoa entrar em campo contra os All Blacks, será a fez de Fiji receber os neozelandeses, mas não a seleção principal, e sim a seleção maori. O jogo acontece à meia-noite de sexta para sábado, hora de Brasília, na capital fijiana Suva, com a seleção da casa em ritmo de preparação para a Copa das Nações do Pacífico, que começa no sábado seguinte, e para a Copa do Mundo.

 

Fiji vai a campo com um elenco forte, que inclui uma linha perigosíssima, com Matavesi (Ospreys), Murimurivalu (La Rochelle), Masilevu (Brive), Goneva (Leicester), Lovobalavu (Bayonne) e Nadolo (Crusaders) escaldos no XV titular. O pack, no entanto, é o setor de preocupação do time, que tem uma terceira linha competente, com o oitavo e capitão Akapusi Qera (Montpellier) e o asa Waqaniburotu (Brive), além do ótimo Nakarawa (Glasgow) na segunda linha, mas sofre demais na primeira linha e nas formações. Na reserva, nota para o debut do promissor abertura Ben Volavola, do Waratahs. Já os Maori All Blacks irão a campo com atletas que ainda sonham em impressionar Steve Hansen e beliscarem um lugar no time da Copa do Mundo. Charlie Ngatai, no centro, será o capitão, com destaques ainda para a dupla de scrum-half e abertura Tawera Kerr-Barlow e Marty McKenzie, ambos do Chiefs.

 

Ao longo da história, os dois times se enfrentaram 27 vezes, com 18 vitórias dos maoris, 7 dos fijianos e 2 empates. O último jogo foi justamente em Suva, em 2005, com vitória neozelandesa por 29 x 27.

 

fiji copyversus(16)Maori All Blacks copy

oohoo – Fiji x Maori All Blacks, em Suva

Árbitro: Angus Gardner (Austrália)

Fiji: 15 Kini Murimurivalu, 14 Benito Masilevu, 13 Vereniki Goneva, 12 Gabby Lovobalavu, 11 Nemani Nadolo, 10 Josh Matavesi, 9 Nemia Kenatale, 8 Akapusi Qera (c), 7 Malakai Ravulo, 6 Dominiko Waqaniburotu, 5 Leone Nakarawa, 4 Api Ratuniyarawa, 3 Manasa Saulo, 2 Tuapati Talemaitoga, 1 Campese Ma’afu.

Suplentes: 16 Villiame Veikoso, 17 Peni Ravai, 18 Isei Calati, 19 Nemia Soqeta, 20 Masi Matadigo, 21 Niko Matawalu, 22 Ben Volavola, 23 Napolioni Nalaga.

Maori All Blacks: 15 Damian McKenzie, 14 Rieko Ioane, 13 Matt Proctor, 12 Charlie Ngatai (c), 11 Kurt Baker, 10 Marty McKenzie, 9 Tawera Kerr-Barlow, 8 Blade Thomson, 7 Mitchell Crosswell, 6 Akira Ioane, 5 Hayden Triggs, 4 Jacob Skeen, 3 Ben May, 2 Ash Dixon, 1 Joe Moody.

Suplentes: 16 Quentin MacDonald, 17 Brendon Edmonds, 18 Josh Hohneck, 19 Heiden Bedwell-Curtis, 20 Elliot Dixon, 21 Jamison Gibson-Park, 22 Otere Black, 23 Jason Emery.

 

Welwitschias em busca de sintonia

Jogando em casa, em Windhoek, a Namíbia segue sua preparação para a Copa do Mundo enfrentando a melhor seleção que não irá ao Mundial: a Rússia, eliminada pelo Uruguai na Repescagem Mundial. Os africanos começaram seus trabalhos neste ano vencendo a Tunísia (22 x 14) fora de casa pela Copa da África, mas foram derrotados em suas três partidas na Romênia pela Copa das Nações, caindo diante de Romênia (43 x 3), Argentina Jaguares (30 x 10) e Espanha (por alarmantes 20 x 3, contra uma seleção que não irá à Inglaterra). Mas, em nenhum desses desafios, os Welwitschias estavam completos. Para o primeiro jogo contra os Ursos, a Namíbia contará com seu principal nome, o asa do Saracens e capitão da seleção Jacques Burger, ao passo que o fullback Chrysander Botha, do Exeter, inicia o jogo no banco. Este é o primeiro desafio do novo técnico, o galês Phil Davies, com força máxima, para preparar o time que irá ao Mundial. Até hoje, os dois países duelaram duas vezes, com duas vitórias russas (a última em 2010, 30 x 15). Não precisa dizer que a vitória é essencial para que a Namíbia entre mais confiante na Copa do Mundo.

 

namibia logo copy copy copyversus(16)russia copy copy copy copy copy

10h00 – Namíbia x Rússia, em Windhoek

Árbitro: Lesego Legoete (África do Sul)

 

Springboks e World XV, um desfile de craque

O estádio de Newlands, na Cidade do Cabo, será o palco nesse sábado, às 12h00 de Brasília, para um desfile de craques emotivo, de muitas despedidas.

 

O embate entre África do Sul e World XV servirá de preparação e luxo dos Springboks para o Rugby Championship, com a equipe estreando no sábado que vem diante da Austrália fora de casa. Para a partida, Heyneke Meyer escalou um grupo forte, mas com espaço para alguns testes. Nos centros, Jesse Kriel, do Bulls, de 21 anos, fará seu debut na seleção adulta e jogará ao lado de Damian de Allende, do Stormers, com o veterano Jean De Villiers, enfim, voltando ao elenco, no banco. Novidade também na terceira linha, com Whiteley, do Lions, ganhando seu espaço no lugar do lesionado Vermeulen para formar com Coetzee e Louw, enquanto Schalk Burger começa no banco. No banco, o pilar Vincent Koch, do Stormers, também debuta.

 

O World XV terá um grupo muito forte, mas as atenções se voltam o ex Springbok Bakkies Botha, e os ex All Blacks Ali Williams e Carl Hayman, o trio de veteranos do Toulon que pendura as chuteiras ao final da partida. Além de Botha, outros três ex Springboks estão na equipe, JJ Engelrecht, Steenkamp e Flip van der Merwe. O grupo conta ainda com os irmãos ingleses Delon e Steffon Armitage, os australianos Lachlan Turner e Luke Burgess, o samoano David Smith e o francês Maxime Mermoz, entre os destaques.

 

springbok-logo copy copyversus(16)world xv

12h00 – África do Sul x World XV, na Cidade do Cabo

Árbitro: John Lacey (Irlanda)

África do Sul: 15 Willie le Roux, 14 JP Pietersen, 13 Jesse Kriel, 12 Damian de Allende, 11 Bryan Habana, 10 Handré Pollard, 9 Ruan Pienaar, 8 Warren Whiteley, 7 Marcell Coetzee, 6 Francois Louw, 5 Victor Matfield (c), 4 Eben Etzebeth, 3 Jannie du Plessis, 2 Bismarck du Plessis, 1 Tendai Mtawarira.

Suplentes: 16 Adriaan Strauss, 17 Trevor Nyakane, 18 Vincent Koch, 19 Oupa Mohoje, 20 Schalk Burger, 21 Cobus Reinach, 22 Pat Lambie, 23 Jean de Villiers.

World XV: 15 Delon Armitage, 14 Lachlan Turner, 13 JJ Engelbrecht, 12 Maxime Mermoz, 11 David Smith, 10 Mike Harris, 9 Luke Burgess, 8 Luke Whitelock, 7 Steffon Armitage, 6 Jordan Taufua, 5 Bakkies Botha, 4 Ali Williams, 3 Carl Hayman, 2 Craig Burden, 1 Gurthro Steenkamp.

Suplentes: 16 David Roumieu, 17 Alexandre Menini, 18 Petrus du Plessis, 19 Flip Van der Merwe, 20 Louis-Benoit Madaule, 21 Maxime Machenaud, 22 Andrew Horrell, 23 Rudi Wulf.

 

Uganda e Madagascar na briga pelo título da segunda divisão africana

Pela Copa da África, a segunda divisão do continente (a 1ª Divisão B) segue pegando fogo em Uganda, com a decisão do título marcada para esse sábado. Na última quarta-feira, Uganda, Madagascar e Botsuana comemoraram vitórias na segunda rodada do torneio. Botsuana se recuperou da derrota na abertura e bateu o Senegal, que havia largado com vitória, ao passo que Uganda assumiu isoladamente a liderança ao conseguir sua segunda vitória bonificada, agora contra as Ilhas Maurício. Madagascar também venceu com bônus a Costa do Marfim, em jogo apertado, chegando aos mesmos 10 pontos que Uganda, mas com saldo inferior.

 

Com um regulamento bizarro, a competição poderá ter duas equipes invictas empatadas no primeiro lugar, com o título sendo decidido no saldo. Isso porque o torneio terá apenas 3 rodadas, com 6 participantes, sendo que nem todos os times se enfrentam. Caso Uganda vença Botsuana e Madagascar supere Maurício nesse sábado, Uganda e Madagascar poderão terminar empatados no primeiro lugar e a promoção à primeira divisão seria definida sem que os dois times se enfrentem.

 

rugby afrique copy

Copa da África – 1ª Divisão A – 1ª divisão africana

2ª rodada

Uganda 35 x 11 Maurício

Botsuana 26 x 21 Senegal

Costa do Marfim 26 x 30 Madagascar

 

3ª rodada

Senegal x Costa do Marfim

Madagascar x Maurício

Uganda x Botsuana

 

Classificação: 1 Uganda, 10 pontos; 2 Madagascar, 10 pts; 3 Senegal, 6 pts; 4 Botsuana, 4 pts; 5 Costa do Marfim, 1 pt; 6 Maurício, 0 pts.

Comentários