Springboks passam fácil pelo World XV

Seis jogos internacionais de XV movimentaram este sábado. Os mais importantes envolveram três seleções que irão à Copa do Mundo: África do Sul, que atropelou o World XV, Fiji, que perdeu em casa no finzinho para o Maori All Blacks, e a Namíbia, que se impôs sobre a Rússia.

 

Springboks aposentam Bakkies Botha, Ali Williams e Carl Hayman com estilo

O grande jogo do final de semana aconteceu na África do Sul, com os Springboks fzendo seu jogo de preparação para o Rugby Championship contra o combinado mundial do World XV, que foi à Cidade do Cabo com um elenco estrelado, com os holofotes voltados para o trio Bakkies Botha, Ali Williams e Carl Hayman, que se despediram do rugby na partida.

 

Desentrosado, o World XV foi presa fácil para os Boks, que deram uma apresentação de gala para empolgar seu torcedor. 46 x 10 no placar, com facilidade. Entretanto, apesar de dominar o jogo, a África do Sul pecou na manutenção da posse de bola, passando muito tempo preso em seu campo de defesa, A defesa do World XV, porém, não fez oposição e os tries saíram naturalmente e pela velocidade dos Boks. De Allende, Etzebeth (após grande jogada de Kriel, quebrando a defesa adversária) e Le Roux abriram 22 x 3 em 22 minutos, com os dois lados desperdiçando muitos penais e o jogo caindo de ritmo antes do intervalo. Aos 33′, Burden aproveitou o erro no lateral sul-africano e fez o try do World XV.

 

Na volta dos vestiários, Harris perdeu novo penal para os visitantes e a África do Sul, enfim, se impôs, com mais um try de Le Roux, recebendo lindo offload de Habana. A porta se abriu e os Boks chegaram a seus últimos três tries, com Le Roux outra vez, Reinach e De Allende, mostrando uma linha promissora dos verdes para o Mundial. A África do Sul se foca agora no jogo do próximo sábado fora de casa diante da Austrália na primeira rodada do Rugby Championship.
 
Ao final, homenagens aos três ídolos dos Springboks e doa All Blacks que se aposentaram. Bakkies Botha atuou pela seleção sul-africana por 85 jogos, fazendo 35 pontos (7 tries) e conquistando a Copa do Mundo de 2007. Já Ali Williams e Carl Hayman ajudaram os All Blacks por 77 e 45 partidas respectivamente, com Williams conqistando a Copa do Mundo de 2011 pela Nova Zelândia e Hayman, apesar de não ter levantado a taça, foi considerado até sua aposentadoria o melhor pilar fechado do mundo.

 

springbok-logo copy copy46versus(16)10world xv

África do Sul 46 x 10 World XV, na Cidade do Cabo

Árbitro: John Lacey (Irlanda)

 

África do Sul

Tries: Le Roux (3), De Allende (2), Etzebeth e Reinach

Conversões: Pollard (2) e Lambie (2)

Penais: Pollard (1)

15 Willie le Roux, 14 JP Pietersen, 13 Jesse Kriel, 12 Damian de Allende, 11 Bryan Habana, 10 Handré Pollard, 9 Ruan Pienaar, 8 Warren Whiteley, 7 Marcell Coetzee, 6 Francois Louw, 5 Victor Matfield (c), 4 Eben Etzebeth, 3 Jannie du Plessis, 2 Bismarck du Plessis, 1 Tendai Mtawarira.

Suplentes: 16 Adriaan Strauss, 17 Trevor Nyakane, 18 Vincent Koch, 19 Oupa Mohoje, 20 Schalk Burger, 21 Cobus Reinach, 22 Pat Lambie, 23 Jean de Villiers.

 

World XV

Try: Burden

Conversão: Harris (1)

Penal: Harris (1)

15 Delon Armitage, 14 Lachlan Turner, 13 JJ Engelbrecht, 12 Maxime Mermoz, 11 David Smith, 10 Mike Harris, 9 Luke Burgess, 8 Luke Whitelock, 7 Steffon Armitage, 6 Jordan Taufua, 5 Bakkies Botha, 4 Ali Williams, 3 Carl Hayman, 2 Craig Burden, 1 Gurthro Steenkamp.

Suplentes: 16 David Roumieu, 17 Alexandre Menini, 18 Petrus du Plessis, 19 Flip Van der Merwe, 20 Louis-Benoit Madaule, 21 Maxime Machenaud, 22 Andrew Horrell, 23 Rudi Wulf.

 

Fiji perde chance de bater os Maoris

Outra seleção neozelandesa foi ao Pacífico Sul, seguindo o exemplo dos All Blacks, que visitaram Samoa na quarta-feira. A seleção maori da Nova Zelândia, considerada a segunda seleção do país, foi a Fiji e venceu por 27 x 26 a seleção da casa, em jogo empolgante decisivo apenas no fim.

 

Fiji colocou o seu melhor em campo e largou na frente com try de Murimurivalu, logo aos 3′. A resposta maori veio aos 29′, com try de Ioane, mas o amarelo para Blade Thomson deu espaço para os fijianos, que puniram os visitantes com tries de Nadolo e Qera antes do intervalo, abrindo 24 x 10. O astro do Crusaders, Nadolo, no entanto, saiu lesionado, e agora preocupa o torcedor fijiano para o Mundial. Fiji desabou na segunda etapa e não somou mais nenhum ponto, mostra sua característica instabilidade. McKenzie, colou os Maori All Blacks no jogo aos 52′ com o segundo try do time e, aos 69′, Elliott Dixon, o terceira linha herói do título do Super Rugby do Highlanders, fez o try que, convertido por Otere Black, deu a virada para os visitantes, 27 x 26. Com a vitória, os maoris chegaram a seu 19º triunfo consecutivo, seguindo a tradição do rugby internacional do país.

 

fiji copy26versus(16)27Maori All Blacks copy

Fiji 26 x 27 Maori All Blacks, em Suva

Árbitro: Angus Gardner (Austrália)

 

Fiji: 15 Kini Murimurivalu, 14 Benito Masilevu, 13 Vereniki Goneva, 12 Gabby Lovobalavu, 11 Nemani Nadolo, 10 Josh Matavesi, 9 Nemia Kenatale, 8 Akapusi Qera (c), 7 Malakai Ravulo, 6 Dominiko Waqaniburotu, 5 Leone Nakarawa, 4 Api Ratuniyarawa, 3 Manasa Saulo, 2 Tuapati Talemaitoga, 1 Campese Ma’afu.

Suplentes: 16 Villiame Veikoso, 17 Peni Ravai, 18 Isei Calati, 19 Nemia Soqeta, 20 Masi Matadigo, 21 Niko Matawalu, 22 Ben Volavola, 23 Napolioni Nalaga.

Maori All Blacks: 15 Damian McKenzie, 14 Rieko Ioane, 13 Matt Proctor, 12 Charlie Ngatai (c), 11 Kurt Baker, 10 Marty McKenzie, 9 Tawera Kerr-Barlow, 8 Blade Thomson, 7 Mitchell Crosswell, 6 Akira Ioane, 5 Hayden Triggs, 4 Jacob Skeen, 3 Ben May, 2 Ash Dixon, 1 Joe Moody.

Suplentes: 16 Quentin MacDonald, 17 Brendon Edmonds, 18 Josh Hohneck, 19 Heiden Bedwell-Curtis, 20 Elliot Dixon, 21 Jamison Gibson-Park, 22 Otere Black, 23 Jason Emery.

 

Namíbia afasta fantasmas batendo a Rússia

Para os que consideram a Namíbia o time mais fraco do Mundial, algumas dúvidas ficaram na cabeça após este sábado. Jogando completos, com Jacques Burger e Chrysander Botha, os Welwitschias receberam a Rússia e construiram uma convincente vitória por 39 x 19, recuperando a confiança do time, que havia sofrido duras derrotas na Copa das Nações em junho na Romênia. A Rússia não irá para a Copa do Mundo, mas estava a frente da Namíbia no ranking mundial. As duas seleções voltam a se enfrentar em Windhoek, capital namibiana, no próximo sábado.

 

namibia logo copy copy copy39versus(16)19russia copy copy copy copy copy

Namíbia 39 x 19 Rússia, em Windhoek

Árbitro: Lesego Legoete (África do Sul)

 

Uganda volta à elite da África

Por fim, em Uganda, a segunda divisão da Copa da África chegou ao fim com a seleção da casa garantindo o título e a promoção à primeira divisão de 2016. Uganda não teve problemas para fazer 59 x 10 sobre Botsuana, ficando em vantagem sobre Madagascar no saldo de pontos. Os Makis malgaxes venceram Maurício, rebaixaram a ilha vizinha para a terceira divisão africana, mas seus 33 x 24 não foram suficientes para garantir o título. Já a Costa do Marfim acabou com o terceiro lugar com boa vitória sobre o Senegal, 22 x 19.

 

rugby afrique copy

Copa da África – 1ª Divisão A – 1ª divisão africana

3ª rodada

Senegal 19 x 22 Costa do Marfim

Madagascar 33 x 24 Maurício

Uganda 59 x 10 Botsuana

 

Classificação final: 1 Uganda, 15 pontos (campeã e promovida; 2 Madagascar, 15 pts; 3 Senegal, 7 pts; 4 Costa do Marfim, 5 pts; 5 Botsuana, 4 pts; 6 Maurício, 0 pts (rebaixado).

 
Foto: Springboks x World XV, www.planetrugby.com

Comentários