Steve Hansen e Mourad Boudjelal fizeram propostas de novos torneios para o rugby mundial

Steve Hansen quer duelo entre campeões do Six Nations e do Rugby Championship! Já Boudjelal propôs uma nova Copa da França.

 

Choque de titãs

Nesta semana, o técnico dos All Blacks, Steve Hansen, declarou que seria muito positivo ver no novo calendário mundial que o World Rugby está preparando um Mundial de Clubes, com os campeões da Champions Cup europeia e do Super Rugby se enfrentando, assim como um confronto anual entre os campeões do Rugby Championship e do Six Nations, valendo taça. Vindo do bicampeão mundial a proposta tem outro peso…

 

Mourad Boudjelal se candidata a presidente da liga francesa e tem muitas propostas

Na França, o polêmico presidente do Toulon, Mourad Boudjelal, se candidatou oficialmente à presidência da LNR, a liga francesa, entidade que comanda o rugby profissional de clubes do país e organiza o Top 14 e a Pro D2. No mês passado, o atual presidente Paul Goze já havia revelado os planos de continuidade de sua gestão, que incluem a criação de um circuito profissional de sevens, o fomento ao rugby feminino e a criação de uma terceira divisão como ponte mais sólida para as divisões profissionais, além de buscar novos mercados no norte do país.

 

Boudjelal tem uma candidatura de oposição a Goze e já declarou saber que não deverá ser eleito. Mesmo assim, o homem forte do Toulon deixou públicas em coletiva de imprensa suas propostas e quer ver se algumas delas ganham corpo. O cartola já se posicionou contra o sevens, ao atual formato de teto salarial e a política de formação de atletas franceses, mas se disse favorável ao fomento ao rugby feminino. Boudjelal deixou claro também sua intenção de criar um sistema que favoreça o fortalecimento da seleção francesa com meta de ganhar em breve uma Copa do Mundo. Entre as propostas de Boudjelal estão:

 

  • – Criação de uma Copa da França envolvendo 32 times, sendo 14 do Top 14, 30 da Pro D2 e outros dois times da terceira divisão, com jogos em mata-mata ao longo de 5 rodadas durante os jogos da seleção francesa e sem atletas estrangeiros, a fim de dar espaço a jovens talentos franceses;
  • – Permitir que clube possam excluir da conta do teto salarial todos os seus atletas formados em casa e criar uma sistema de bonificação para clubes que têm atletas revelados em suas categorias de base que chegarem à seleção francesa. A proposta é de pagar 75 mil euros ao clube que tiver um atleta de sua formação sendo convocado 2 vezes; depois mais 200 mil após 8 convocações, 300 mil após 10, como exemplo do sistema. O objetivo é incentivar clubes com menores receitas a investirem em atletas franceses e não prejudicar clubes com dinheiro que, na visão de Boudjelal, precisam seguir contratando grandes craques mundiais;
  • – Desincentivar a naturalização de atletas para as seleções francesas, dificultando o uso de jogadores que não tenham passaporte francês;

 

Será que as propostas irão vingar?

 

 

Comentários