Top 14 tem treinador mais bem pago do mundo, NZ vive polêmica policial e PRO12 inova em transmissão

O Top 14, o Campeonato Francês, vem se notabilizando por quebrar recordes salariais para atletas, com vários dos jogadores mais bem pagos do mundo atuando na França (clique aqui para conferir a lista que publicamos neste ano)

.

 

Nesta semana, o neozelandês Vern Cotter se tornou o primeiro técnico do mundo a ter um salário de 1 milhão de euros por ano (mais de 3,6 milhões de reais), quebrando o recorde mundial para a categoria ao assinar contra com o Montpellier. Cotter comandou o Clermont ao título inédito do Top 14 em 2010, deixando o clube após o vice campeonato europeu de 2013. Depois, o kiwi assumiu o comanda da seleção da Escócia, conduzindo o time às quartas de final da Copa do Mundo de 2015. Cotter assumirá a equipe apenas na próxima temporada, quando o contrato do sul-africano Jake White, campeão do mundo de 2007 com os Springboks e atual técnico do Montpellier, acabar. Na Escócia, Cotter será substituído pelo escocês Gregor Townsend a partir de junho de 2017, o que significa que a despedida de Cotter da seleção escocesa será no próximo Six Nations.

 

Bath contrata Fruean

O neozelandês Rob Fruean também já tem casa nova para 2017. O atleta dos Crusaders acertou contrato com o Bath, da Inglaterra, para a próxima temporada. O atleta de 28 anos jamais vestiu a camisa dos All Blacks, apesar de ter se destacado no Super Rugby.

 

Polêmica policial na Nova Zelândia

A grande polêmica na Nova Zelândia no momento não é nada boa para a imagem do rugby no país. O jovem Losi Filipo, jovem promessa de 17 anos do Wellington, da Mitre 10 Cup (Campeonato Neozelandês), foi acusado de agredir violentamente quatro pessoas, mas foi absolvido pela justiça sem o devido julgamento justamente por ser uma promessa do rugby e treinar com a seleção juvenil do país. O caso gerou revolta pública, incluindo declarações fortes do Primeiro-Ministro do país, contra a falta de efetividade da justiça, que teria privilegiado Filipo por sua qualidade como jogador. As críticas recaíram no país também sobre o Wellington e a União Neozelandesa de Rugby, por não tomarem atitudes imediatas contra o atleta, que confessou os crimes. Somente hoje o contrato de Filipo foi rescindido. O jogador pode ainda ser preso por 18 meses.

 

SkySports coloca microfone em atleta no PRO12

Na última rodada do PRO12, a Liga Ítalo-Celta, a transmissão da SKY Sports britânica inovou e na partida entre Munster, da Irlanda, e Edinburgh, da Escócia, o capitão do Munster CJ Stander usou um microfone, permitindo ao espectador ouvir seus comandos em campo. Tal equipamento já é comum para árbitros, mas agora chega aos atletas.

 

Comentários