Unificação do calendário mundial é tema em dia de posse de Beaumont e Pichot

Nesta sexta-feira, dia 1º de julho, o World Rugby oficialmente trocou de comando. O inglês Bill Beaumont e o argentino Agustín Pichot oficialmente assumiram a presidência e vice-presidência, respectivamente, da entidade máxima do rugby mundial.

 

No mesmo dia, Steve Tew, CEO da União Neozelandesa de Rugby (NZRU), confirmou que negociações estão em andamento para a unificação do calendário do rugby mundial nos próximos anos e afirmou estar 99% certo de que os objetivos de que o objetivo será alcançado.

 

Nos últimos anos, o rugby vem discutindo seus problemas de calendário, cada vez mais lotado e concorrido, com clubes e federações não raramente entrando em desacordos e vivendo conflitos de datas em suas competições. Um dos maiores problemas quem vem sendo discutido é a harmonização do calendário da Europa e do Hemisfério Sul, tema caro também a outros esportes, como o futebol.

 

Atualmente, o calendário europeu se inicia em agosto/setembro e se encerra em maio para os clubes e junho para as seleções (exceto em 2016, quando o Top 14 francês se prolongou até junho também). Já o Hemisfério Sul (África do Sul, Austrália, Nova Zelândia e Argentina, mas também o Brasil) larga sua temporada em fevereiro e a encerra em outubro/novembro (eventualmente dezembro). Há ainda exceções a tal modelo, como Japão, Estados Unidos e Canadá, que têm um calendário misto entre os dois modelos, e a Rússia, que não segue o modelo europeu por conta do clima.

 

O objetivo das negociações é a criação de um calendário que, ao menos no plano das seleções nacionais, unifique o globo, com períodos definidos nos quais todas as seleções entrem em campo, permitindo que os calendários de clubes se norteiem por tais períodos e que clubes que tenham atletas de todas as partes do globo possam liberar seu atletas sem maiores prejuízos. Tew ainda ressaltou que as discussões buscam preservar tanto as necessidades da Copa do Mundo como a manutenção das giras dos British and Irish Lions a cada quatro anos.

 

Se as negociações correrem como esperado, o mundo do rugby deverá ter um calendário mundial unificado para as seleções nacionais em 2020, após o término do ciclo da Copa do Mundo de 2019.

Comentários