ARTIGO COM VÍDEO – Rotorua, no coração da Ilha do Norte da Nova Zelândia, recebeu hoje sua rodada dupla final do quadrangular de XV feminino envolvendo a seleção da casa, a Inglaterra, o Canadá (três das grandes favoritas ao título mundial) e a Austrália, em preparação para a Copa do Mundo Feminina de agosto. O resultado, no entanto, não foi o que o torcedor kiwi gostaria e as Black Ferns terão muito a trabalhar nas próximas semanas, pois pela primeira vez desde 2001 foram derrotadas em casa pela Inglaterra, que desde já se coloca como a grande favorita ao título mundial.

O primeiro jogo do dia foi menos emocionante, com o Canadá passando com tranquilidade pela Austrália, que não tem nem de perto o mesmo nível no XV do que no sevens. As Canucks, atuais vice campeãs mundiais, correram para 7 tries e expressivos 45 x 05. Julianne Zussman (2 vezes), Jane Kirby, Frederique Rajotte, Emily Belchos, Brianna Miller e Kelly Russell fizeram os tries canadenses, enquanto Hilisha Samoa marcou para as Wallaroos.

Na sequência, todos os olhos se voltaram para o embate entre as duas maiores potências do XV feminino, a atual campeã Inglaterra e a maior campeã Nova Zelândia. As Black Ferns vinham de vitórias nos últimos 5 confrontos contra as ingleses, mas o domínio caiu com uma partida irrepreensível das Red Roses, que foram superiores nos scrums e laterais, com um pack dominante.

O primeiro try inglês saiu logo aos 2′, com corrida pela ponta de Emily Scarratt. As kiwis deram o troco em pintura de contra golpe da scrum -half Cocksedge e viraram aos 19′ com try em corrida após interceptação de Portia Woodman. Mas antes do intervalo o maul inglês funcionou e Abbie Scott caiu para o try, aproveitando que as Black Ferns tinham uma atleta a menos por amarelo.

- Continua depois da publicidade -

Os espaços a mais pela jogadora extra renderam à Inglaterra o terceiro try e a virada logo após o intervalo, com Lydia Thompson dando o hand-off e correndo para o try na ponta. Aos 53′, veio lance decisivo, com o lineout inglês funcionando e a Nova Zelândia falhando no combate ao maul, abrindo terreno para Fleetwood marcar o quarto try das Red Roses, que dominavam o jogo. O assunto se repetiu e, aos 66′, com a mesma fórmula de lateral seguido de maul, a Inglaterra cravou seu quinto try, com Packer. Aos 77′, Subritsky-Nafatali ainda fez o terceiro try neozelandês, dando esperanças à torcida, mas já sem tempo para a virada. 29 x 21, números finais.

As quatro seleções voltarão agora a campo somente para a Copa do Mundo, que começará no dia 9 de agosto, na Irlanda.

 

wallaroos05versus copiar45

Austrália 05 x 45 Canadá, em Rotorua

 

black ferns21versus copiar29

Nova Zelândia 21 x 29 Inglaterra, em Rotorua

Nova Zelândia: 15 Selica Winiata, 14 Portia Woodman, 13 Stacey Waaka, 12 Chelsea Alley, 11 Renee Wickliffe, 10 Kelly Brazier, 9 Kendra Cocksedge, 1 Toka Natua, 2 Fiao’o Faamausili, 3 Aldora Itunu, 4 Eloise Blackwell, 5 Charmaine Smith, 6 Rawinia Everitt, 7 Sarah Goss, 8 Linda Itunu;

Suplentes: 16 Te Kura Ngata-Aerengamata,17 Sosoli Talawadu, 18 Aleisha Nelson, 19 Becky Wood, 20 Charmaine McMenanim, 21 Kristina Sue, 22 Victoria Subritzky-Nafatali, 23 Honey Hireme
Inglaterra: 15 Danielle Waterman, 14 Lydia Thompson, 13 Emily Scarratt, 12 Rachael Burford, 11 Kay Wilson, 10 Katy Mclean, 9 Natasha Hunt, 1 Rochelle Clark, 2 Amy Cokayne, 3 Sarah Bern, 4 Tamara Taylor, 5 Abbie Scott, 6 Alex Matthews, 7 Marlie Packer, 8 Sarah Hunter (c);

Suplentes: 16 Vicky Fleetwood, 17 Vickii Cornborough, 18 Justine Lucas, 19 Harriet Millar-Mills, 20 Izzy Noel-Smith, 21 La Toya Mason, 22 Amber Reed, 23 Emily Scott;

 

Classificação final: 1 Inglaterra, 2 Nova Zelândia, 3 Canadá, 4 Austrália;

 

Foto: Scrum Queens