ARTIGO COM VÍDEOS – Quem disse que a Copa do Mundo de Rugby League, o rugby de 13 jogadores, é previsível?

Nesta sábado, as quartas de final tiveram dois jogos de arrepiar na Nova Zelândia. Primeiro, o Líbano deu um susto imenso na favorita Tonga, mas os tonganeses carimbaram a classificação com um 24 x 22. Depois, a Nova Zelândia sofreu a maior surpresa da história dos Mundiais da modalidade, sucumbindo em casa diante de Fiji, 4 x 2, em um jogo atípico sem tries. Incrível.

Tonga largou na frente do Líbano com Lolohea marcando o primero try logo aos 4′, mas a resposta foi rápida com try de Doueihi aos 9′ para os Cedros. Quando Fusitua (2 vezes) e Hopoate cruzaram o in-goal para os Mate Ma’s aos 18′ ,aos 22′ e aos 34′ parecia que a porta se abriria, mas o Líbano cresceu, segurou Tonga, que parou de jogar, reduziu com try antes do intervalo de Elias e Miski marcou mais 2 tries na segunda etapa para os libaneses. A virada não veio por conta de 1 conversão perdida. E Tonga resistiu à pressão no fim.

Depois, Nova Zelândia e Fiji fizeram uma batalha que ficará para a história em Wellington. No League, não ter tries em um jogo é impensável, mas foi isso que ocorreu. Fiji, apesar de recheado de grandes nomes da NRL, era o azarão e segurou os Kiwis e a pressão da torcida. Foram 2 penais chutados para os Bati contra apenas 1 pelos Kiwis, dando a vitória e a classificação às semifinais para Fiji. 4 x 2.

- Continua depois da publicidade -

Os fijianos enfrentarão a Austrália na semifinal, enquanto Tonga aguarda o vencedor de Inglaterra e Papua Nova Guiné, que se enfrentarão no domingo.

 

24versus copiar22

Tonga 24 x 22 Líbano, em Christchurch

Tonga

Tries: Fusitua (2), Lolohea e Hopoate

Conversões: Hingano (3)

Penais: Hingano (1)

1 Will Hopoate, 2 Daniel Tupou, 3 Michael Jennings, 4 Konrad Hurrell, 5 David Fusitu’a, 6 Tui Lolohea, 7 Ata Hingano, 8 Andrew Fifita, 9 Sione Katoa, 10 Sio Siua Taukeiaho, 11 Manu Ma’u, 12 Sika Manu (c), 13 Jason Taumalolo;

Interchange: 14 Siliva Havili, 15 Sam Moa, 16 Tevita Pangai Junior, 17 Ben Murdoch-Masila;

Líbano

Tries: Miski (2), Doueihi e Elias

Conversões: Moses (3)

1 Anthony Layoun, 2 Travis Robinson, 3 James Elias, 4 Adam Doueihi, 5 Abbas Miski, 6 Mitchell Moses, 7 Robbie Farah (c), 8 Tim Mannah, 9 Michael Lichaa, 10 Alex Twal, 11 Nick Kassis, 12 Ahmad Ellaz, 13 Jamie Clark;

Interchange: 14 Mitchell Mamary, 15 Ray Moujalli, 16 Elias Sukkar, 17 Jason Wehbe;

 

kiwis RL copy copy02versus copiar04

Nova Zelândia 02 x 04 Fiji, em Wellington

Nova Zelândia

Penal: Johnson (1)

1 Roger Tuivasa-Sheck, 2 Dallin Watene-Zelezniak, 3 Dean Whare, 4 Brad Takairangi, 5 Jordan Rapana, 6 Te Maire Martin, 7 Shaun Johnson, 8 Martin Taupau, 9 Danny Levi, 10 Jared Waerea-Hargreaves, 11 Simon Mannering, 12 Joseph Tapine, 13 Adam Blair;

Interchange: 14 Nelson Asofa-Solomona, 15 Russell Packer, 16 Isaac Liu, 17 Kodi Nikorima;

Fiji

Penais: Koroisau (1) e Milne (1)

1 Kevin Naiqama (c), 2 Suliasi Vunivalu, 3 Taane Milne, 4 Akuila Uate, 5 Marcelo Montoya, 6 Jarryd Hayne, 7 Henry Raiwalui, 8 Ashton Sims, 9 Apisai Koroisau, 10 Eloni Vunakece, 11 Viliame Kikau, 12 Brayden Williame, 13 Tui Kamikamica;

Interchange: 14 Joe Lovodua, 15 Jacob Saifiti, 16 Junior Roqica, 17 Ben Nakubuwai;

 

O que é o Rugby League?

O Rugby League é uma modalidade do rugby que nasceu em 1895 no Norte da Inglaterra. Na época, o rugby (o Rugby Union) proibia o profissionalismo no mundo todo, mas um grupo de clubes ingleses se opôs à proibição de pagamentos a jogadores e romperam com a federação inglesa, formando uma liga independente. A fim de mudar a dinâmica do jogo e torná-lo mais aberto, a liga passou a promover mudanças nas suas regras, criando uma modalidade distinta, jogada com regras diferentes e organizada por entidades distintas do Union. O League, no entanto, se difundiu fortemente apenas no Norte da Inglaterra e na Austrália, onde é mais popular que o Union. O esporte ganhou popularidade ainda na Papua Nova Guiné (país da Oceania onde é o League e não o Union que reina) e, em menor dimensão, na Nova Zelândia e em algumas partes da França, onde segue bem abaixo do Union.

Quais as principais diferenças?

  • O League é jogado por 2 times de 13 jogadores cada, com 4 reservas, sendo que um atleta que foi substituído poderá retornar a campo;
  • No League, o try vale 4 pontos, a conversão 2, o penal 2 e o drop goal (chamado também de field goal) 1 ponto;
  • Não é usado sistema de pontos bônus nas tabelas de classificação. A vitória vale 2 pontos, o empate 1 e a derrota 0;
  • Não existem rucks. Quando um atleta sofre o tackle, é seguro e vai ao chão o jogo é parado. O atleta com a bola é liberado, rola a bola com os pés para trás e o jogo é reiniciado. É o chamado “play the ball”;
  • Cada equipe tem direito a realizar 5 vezes o play the ball e, na sexta vez que um atleta é derruba, a posse da bola troca de equipe. É a chamada “Regra dos 6 tackles”. Com isso, é comum após o 5º tackle a equipe com a posse da bola chutá-la;
  • Se a equipe defensora tocar na bola entre um play the ball e outro a contagem de tackles é zerada. Quando uma equipe com a posse de bola comete um erro de manuseio e a bola troca de posse o primeiro tackle é considerado “tackle zero” e a contagem se inicia apenas após ele;
  • Não há lineouts. A reposição da bola que saiu pela lateral é feita a partir de um scrum. Penais chutados para a lateral são cobrados com free kick;
  • Na prática, os scrums não possuem disputas, pois a equipe que introduz a bola na formação pode introduzi-la diretamente no pé de sua segunda linha. Porém, a equipe sem a bola pode tentar empurrar a formação para roubar a bola (o que é raro de acontecer);
  • Não existe o mark. Com isso, chutes no campo ofensivo são frequentes;
  • Um chute dado atrás da linha de 40 metros do campo de defesa que saia pela lateral após a linha de 20 metros do campo ofensivo é chamado de “40/20” e premia a equipe chutadora com a manutenção da posse da bola e com a contagem de tackles zerada;
  • A numeração dos atletas no League muda. Os números mais altos são para os forwards e os números menos são para a linha. O fullback é o camisa 1 e o pilar o 13, por exemplo;

 

Tabelas do masculino

DiaLocalTime PlacarXPlacarTimeGrupo/Fase
27/10/2017Melbourne (Austrália)AUSTRÁLIA18X04INGLATERRAGrupo A
28/10/2017Auckland (Nova Zelândia)NOVA ZELÂNDIA38X08SAMOAGrupo B
28/10/2017Port Moresby (Papua Nova Guiné)PAPUA NOVA GUINÉ50X06GALESGrupo C
28/10/2017Townsville (Austrália)FIJI58X12ESTADOS UNIDOSGrupo D
29/10/2017Cairns (Austrália)IRLANDA36X12ITÁLIAGrupo C/Grupo D
29/10/2017Cairns (Austrália)ESCÓCIA04X50TONGAGrupo B
29/10/2017Canberra (Austrália)FRANÇA18X29LÍBANOGrupo A
03/11/2017Canberra (Austrália)AUSTRÁLIA52X06FRANÇAGrupo A
04/11/2017Sydney (Austrália)INGLATERRA29X10LÍBANOGrupo A
04/11/2017Christchurch (Nova Zelândia)NOVA ZELÂNDIA74X06ESCÓCIAGrupo B
04/11/2017Hamilton (Nova Zelândia)SAMOA18X32TONGAGrupo B
05/11/2017Port Moresby (Papua Nova Guiné)PAPUA NOVA GUINÉ14X06IRLANDAGrupo C
05/11/2017Townsville (Austrália)ITÁLIA46X00ESTADOS UNIDOSGrupo D
05/11/2017Townsville (Austrália)FIJI72X06GALESGrupo C/Grupo D
10/11/2017Canberra (Austrália)FIJI38X10ITÁLIAGrupo D
11/11/2017Sydney (Austrália)AUSTRÁLIA34X00LÍBANOGrupo A
11/11/2017Cairns (Austrália)SAMOA14X14ESCÓCIAGrupo B
11/11/2017Hamilton (Nova Zelândia)NOVA ZELÂNDIA22X28TONGAGrupo B
12/11/2017Perth (Austrália)GALES06X34IRLANDAGrupo C
12/11/2017Perth (Austrália)INGLATERRA36X06FRANÇAGrupo A
12/11/2017Port Moresby (Papua Nova Guiné)PAPUA NOVA GUINÉ64X00ESTADOS UNIDOSGrupo C/Grupo D
17/11/2017Darwin (Austrália)AUSTRÁLIA46X00SAMOAQuartas de final
18/11/2017Christchurch (Nova Zelândia)TONGA24X22LÍBANOQuartas de final
18/11/2017Wellington (Nova Zelândia)NOVA ZELÂNDIA02X04FIJIQuartas de final
19/11/2017Melbourne (Austrália)INGLATERRA36X06PAPUA NOVA GUINÉQuartas de final
24/11/2017Brisbane (Austrália)AUSTRÁLIA54X06FIJISemifinal
25/11/2017Auckland (Nova Zelândia)TONGA18X20INGLATERRASemifinal
02/12/2017Brisbane (Austrália)AUSTRÁLIA06X00INGLATERRAFINAL