Japão derrota Tonga para a festa da torcida em Osaka. Foto: World Rugby

ARTIGO COM VÍDEOS – Seis seleções de Copa do Mundo entraram hoje em campo pela segunda (penúltima) rodada das World Rugby Pacific Nations Cup (a Copa das Nações do Pacífico) e as três forças emergentes do cenário internacional conquistaram vitórias. O resultado mais expressivo foi o triunfo avassalador do Japão (jogando em Osaka) or 41 x 07, ao passo que os Estados Unidos tiveram a vitória mais dramática, em um muito celebrado 13 x 10 para cima de Samoa. Já Fiji confirmou o amplo favoritismo sobre o Canadá vencendo por 38 x 13 – mas pagará pela derrota contra os japoneses na semana passada, ficando distante do título.

No sábado final, dia 10, Japão e Estados Unidos farão a verdadeira final e quem vencer será o grande campeão.

E este dia 3 ainda contou com jogos na África, tendo como destaque vitória apertada do Zimbábue sobre o Quênia, 30 x 29.

 

- Continua depois da publicidade -

Samoa volta à realidade e EUA celebra

Jogando em estádio neutro (e vazio) em Fiji, Samoa e Estados Unidos fizeram o encontro mais apertado da segunda rodada, com os Eagles conquistando sua segunda vitória na história – e a segunda seguida – sobre os samoanos, que vão ficando para trás no cenário internacional do rugby.

O jogo apitado por Nigel Owens, no entanto, foi parelho e controverso. No primeiro tempo, Leiua recebeu belo passe para furar a defesa americana e marcar o primeiro try do duelo, aos 5′. Mas a resposta dos Eagles foi rápida, com o abertura MacGinty (que já havia chuitado um penal) recebendo a assistência de Ruben De Haas para cravar o try aos 19′. A primeira etapa se encerrou nos 10 x 07 e o segundo tempo começou com Vaili tendo chance clara de try anulada após interceptar passe com os pés. Owens atendeu à sinalização do assistente, mas logo percebeu o erro – o try, no entanto, não poderia ser validado, pela jogada ter sido interrompida antes. Fatal contra Samoa. O jogo se arrastou igualado até o fim quando, aos 72′, Taefu empatou para Samoa com penal. Mas, já com o tempo esgotado, os samoanos cederam penal para MacGinty dar a vitória aos EUA, 13 x 10.

10versus copiar13

Samoa 10 x 13 Estados Unidos, em Suva (Fiji)

Árbitro: Nigel Owens (Gales)

Samoa

Try: Leiua

Conversão: Alatimu (1)

Penais: Taefu (1)

15 Ahsee Tuala, 14 Johnny Vaili, 13 Kieron Fonotia, 12 Henry Taefu, 11 Alapati Leiua, 10 AJ Alatimu, 9 Pele Cowley, 8 Piula Faasalele, 7 TJ Ioane, 6 Henry Stowers, 5 Vaitoasa Senio Toleafoa, 4 Teofilo Paulo, 3 James Lay, 2 Seilala Lam, 1 Jordan Lay;

Suplentes: 16 Elia Elia, 17 Logovii Mulipola, 18 Paul Alo-Emile, 19 Jack Lam-Kane Leaupepe, 20 Afaesetiti Amosa, 21 Auvasa Falealii, 22 Reynold Lee Lo, 23 JJ Taulagi;

Estados Unidos

Try: MacGinty

Conversão: MacGinty (1)

Penais: MacGinty (2)

15 Will Hooley, 14 Blaine Scully (c), 13 Bryce Campbell, 12 Paul Lasike, 11 Martin Iosefo, 10 AJ MacGinty, 9 Ruben De Haas, 8 Cam Dolan, 7 John Quill, 6 Tony Lamborn, 5 Greg Peterson, 4 Ben Landry, 3 Paul Mullen, 2 James Hilterbrand, 1 Chance Wenglewski;

Suplentes: 16 Dylan Fawsitt, 17 David Ainu’u, 18 Paddy Ryan, 19 Nate Brakeley, 20 Ben Pinkelman, 21 Nate Augspurger, 22 Will Magie, 23 Madison Hughes;

 

Fiji mostra a força do elenco

Na sequência do jogo entre Samoa e EUA, foram a campo Fiji e Canadá e os fijianos fizeram valer o favoritismo, atuando com desta vez com mais atletas titulares – ao contrário do jogo passado quando Fiji perdeu para o Japão.

A vitória foi construida com superioridade do início ao fim. O primeiro try já mostrou o poderio fijiano, com ação construída pelos craques Radradra e Murimurivalu e finalizado por Mata. A força do pack fijiano também foi sentida com tries de Senibitu e Nakarawa, mas o Canadá ainda tinha fôlego na primeira etapa e arranjou seu try com o velocista Lloyd, para o jogo ir ao intervalo em Fiji 19 x 13.

No segundo tempo, no entanto, só deu Fiji, com a porta se abrindo para os tries de Kovekalou, Tuisova e Dolokoto. Flying Fijians vão encaixando!



38versus copiar13

Fiji 38 x 13 Canadá, em Suva

Árbitro: Mike Fraser (Nova Zelândia)

Fiji

Tries: Mata, Senibitu, Nakarawa, Kovekalou, Tuisova e Dolokoto

Conversões: Matavesi (4)

15 Kini Murimurivalu, 14 Josua Tuisova, 13 Semi Radradra, 12 Jale Vatubua, 11 Eroni Sau, 10 Josh Matavesi, 9 Henry Seniloli, 8 Viliame Mata, 7 Semi Kunatani, 6 Peceli Yato, 5 Tevita Ratuva, 4 Leone Nakarawa (c), 3 Peni Ravai, 2 Ratu Veremalua Vugakoto, 1 Campese Ma’afu;

Suplentes: 16 Mesulame Dolokoto, 17 Eroni Mawi, 18 Lee-Roy Atalifo, 19 Tevita Cavubati, 20 Mosese Voka, 21 Niko Matawalu, 22 Ben Volavola, 23 Patrick Osbourne;

Canadá

Try: Lloyd

Conversão: O’Leary (1)

Penais: O’Leary (2)

15 Peter Nelson, 14 Jeff Hassler, 13 Nick Blevins, 12 Ciaran Hearn, 11 Kainoa Lloyd, 10 Shane O’Leary, 9 Gordon McRorie, 8 Luke Campbell, 7 Lucas Rumball, 6 Justin Blanchet, 5 Kyle Baillie (c), 4 Conor Keys, 3 Jake Ilnicki, 2 Eric Howard, 1 Rob Brouwer;

Suplentes: 16 Andrew Quattrin, 17 Djustice Sears-Duru, 18 Matt Tierney, 19 Evan Olmstead, 20 Mike Sheppard, 21 Matt Heaton, 22 Jamie Mackenzie, 23 Conor Trainor;

 

Japão 100% e com show

Já em Osaka, com o estádio Hanazono lotado, o Japão atropelou Tonga e provou que pode sonhar mais alto na Copa do Mundo. Foi jogo de um time só, com Tonga pecando na estrutura de seu jogo e se vendo envolvida por um poderoso time dos Brave Blossoms.

O duelo começou com Tonga se vendo em apuros com 14 homens por amarelo. Amanaki Mafi (nascido em Tonga e naturalizado japonês) logo rompeu para o primeiro try dos donos da casa e o primeiro tempo teve ainda mais dois tries nipônicos, com o pilar Valu (também nascido em Tonga) e o centro Lafaele. 21 x 00.

Depois da pausa, Fifita deu esperanças de reação com o try dos visitantes, mas logo o Japão se impôs, aproveitando a indisciplina polinésia para Tamura abrir frente na base dos penais. E logo os donos da casa aceleraram o jogo para sua linha matar o jogo, com tries de Matsushima e Fukuoka, aos 71′ e aos 78′.


41versus copiar07

Japão 41 x 07 Tonga, em Osaka

Árbitro: Jérôme Garcès (França)

Japão

Tries: Mafi, Valu, Lafaele, Matsushima e Fukuoka

Conversões: Tamura (5)

Penais: Tamura (2)

15 Will Tupou, 14 Kotaro Matsushima, 13 Timothy Lafaele, 12 Ryoto Nakamura, 11 Lomano Lemeki, 10 Yu Tamura, 9 Yutaka Nagare, 8 Amanaki Mafi, 7 Yoshitaka Tokunaga, 6 Michael Leitch (c), 5 Wimpie van der Walt, 4 Luke Thompson, 3 Asaeli Ai Valu, 2 Shota Horie, 1 Keita Inagaki;

Suplentes: 16 Atsushi Sakate, 17 Shogo Miura, 18 Yusuke Kizu, 19 Uwe Helu, 20 Kazuki Himeno, 21 Kaito Shigeno, 22 Rikiya Matsuda, 23 Kenki Fukuoka;

Tonga

Try: Fifita

Conversão: Takulua (1)

15 Tevita Halaifonua, 14 Nafi Tuitavake, 13 Siale Piutau (c), 12 Cooper Vuna, 11 Afa Pakalani, 10 Latiume Fosita, 9 Tane Takulua, 8 Ma’ama Vaipulu, 7 Fotu Lokotui,  6 Dan Faleafa, 5 Leva Fifita, 4 Steve Mafi, 3 Ma’afu Fia, 2 Sefo Sakalia, 1 Paea Fa’anunu;

Suplentes: 16 Paul Ngauamo, 17 Toma Taufa, 18 Ben Tameifuna, 19 Ohehunga Havili, 20 Zane Kapeli, 21 Sione Vailanu, 22 Leon Fukofuka, 23 James Faiva;

 

 SeleçãoApelidoJogosPontos
JapãoBrave Blossoms315
FijiFlying Fijians39
Estados UnidosEagles39
SamoaManu Samoa36
Tonga'Ikale Tahi35
CanadáCanucks31

 

Zimbábue e Nigéria vencem na África

Outros dois test matches rolaram neste sábado, ambos na África. Pela Victoria Cup, o Zimbábue derrotou em casa o Quênia em clássico continental acirrado, 30 x 29. O resultado colocou o Zimbábue na liderança isolada da competição que reúne também Uganda e Zâmbia, isto é, forças do Sul e Leste da África.

Enquanto isso, em Gana, a seleção da casa foi derrotada pela Nigéria por 14 x 12 no encerramento do West Africa Tri Nations – que já teve a Costa do Marfim como campeã.

 

30versus copiar29

Zimbábue 30 x 29 Quênia, em Bulawayo

 

West Africa Tri Nations

Gana 12 x 14 Nigéria, em Elmina

1 COMENTÁRIO