Sunwolves vencem pela primeira vez na Nova Zelândia. Foto: Super Rugby

ARTIGO COM VÍDEOS – Se algo não parece mudar no Super Rugby é o domínio do Crusaders, que nesse sábado emplacou sua terceira vitória e segue com tudo no topo da competição. Mas a rodada do Super Rugby foi atípica, afinal, nada menos que 3 times da Nova Zelândia foram derrotados: Chiefs, Blues e Highlanders. O destaque sem dúvida ficou com os japoneses do Sunwolves, que pela primeira vez na história venceram em solo neozelandês.

Os Sunwolves foram à Nova Zelândia e provaram que as perspectivas dos Chiefs para 2019 são preocupantes. E o jogo começou péssimo para os donos da casa com os Sunwolves marcando a partir de uma linda sequência de offloads com Matsuhashi finalizando o try. A situação piorou antes do intervalo com Uwe Helu fazendo o segundo try e punindo um inoperante Chiefs. A reação foi esboçada no segundo tempo com Nankivell marcando o primeiro try dos Chiefs, após chute de Damian McKenzie, mas aos 57′ Gerhard van den Heever finalizou outra bela ação da linha do time japonês. Nanai-Seturo ainda fez mais um try para os neozelandeses, mas a frente de 30 x 15 se provou insuperável.

Outro neozelandês derrotado, o Blues já sabia que sua viagem a Buenos Aires seria dura e os Jaguares argentinos celebraram o momento ascendente vencendo por 23 x 19, em jogo que teve os Blues somando 70% de domínio territorial e sendo incapazes de pontuarem, parando na forte defesa argentina, que provou sua evolução. E com a bola em mãos os argentinos foram letais, a começar pelo primeiro try de Moyano, aproveitando o caos na defesa neozelandesa após penal cobrado rápido pelos Jaguares, abrindo 11 x 09 antes do intervalo.

Na volta, os Blues pressionaram mais e a defesa argentina resistiu, com direito a try anulado de Tuungafasi. E aos 64′ veio a máxima do quem não faz, leva. Moyano, de novo, disparou em contra-ataque e cravou o segundo e decisivo try dos Jaguares, abrindo a porta para Montoya, logo na sequência, marcar em maul o terceiro try. Papali’i ainda reduziu com try solitário dos Blues, mas a vitória já era argentina.

Os Highlanders, por sua vez, caíram em visita à Austrália, perdendo em Melbourne para o invito Rebels, do abertura Quade Cooper, que vai fazendo grandes apresentações. O jogo foi eletrizante, com chute cruzado de Bryn Gatland alcançando Shannon Frizell para o primeiro try neozelandês. Mas Halylett-Petty deu offload para Tom English fazer o try de resposta para os Rebels. Os Highlanders devolveram com try em maul de Tokolahi, esquentando o jogo. Cooper apareceu e deu passe mágico para o try de Maddocks, virando o placar para os Rebels, e antes do intervalo English ainda fez outro try. Bill Meakes marcou o quarto try australiano antes do intervalo em bobeada neozelandesa após chute de Cooper e, mesmo com Hemopo fazedo o terceiro try dos Highlanders, a frente garantiu a vitória dos Rebels. 24 x 19.

A máquina dos Crusaders, por outro lado, não desapontou, e o time de Christchurch venceu na Austrália os Reds por 22 x 12, em jogo de 4 tries para os visitantes, com Ennor, Jordan, Douglas e Taufua cruzando o in-goal e mostrando a força do elenco dos ‘Saders.

Já os Hurricanes deixaram as dúvidas de lado e atropelaram os Brumbies por 43 x 13, com 6 tries a 2. Ngani Laumape foi o destaque com 3 tries (hat-trick), incluindo um lindo try recebendo passe mágico de Vince Aso e um magnífico atropelo após apanhar lindo offload de Perenara. Dane Coles marcou 2 tries e também brilhou, com direito a outro offload incrível de Perenara. Os ‘Canes mostraram um rugby vibrante, mas ainda cederam muitos turnovers e penais ao oponente.

Na África do Sul, o sábado foi de clássicos nacionais. Em Joanesburgo, os Lions receberam os Bulls para o dérbi do Gauteng e os vice campeões de 2018 parecem estarem muito longe do nível que seu torcedor esperava. Os Bulls se reergueram da derrota para os Jaguares e fizeram 30 x 12 em pleno Ellis Park, com Handré Pollard punindo a indisciplina dos Lions com 6 penais para os Bulls. Em tries, houve empate de 2 a 2, com Vermeulen e Gelant marcando para os visitantes.

Por fim, em Durban, os Stormers quebraram a invencibilidade dos Sharks, vencendo na casa do oponente por 16 x 11. Damian Willemse marcou o único try do time do Cabo logo aos 4′ interceptando passe e SP Marais chutou 3 penais para assegurar o triunfo em jogo muito físico e de muitos turnovers cedidos pelos Sharks.

Super Rugby 2019

- Continua depois da publicidade -

Hurricanes 43 x 13 Brumbies

Rebels 24 x 19 Highlanders

Chiefs 15 x 30 Sunwolves

Reds 12 x 22 Crusaders

Lions 12 x 30 Bulls

Sharks 11 x 16 Stormers

Jaguares 23 x 19 Blues

 EquipeConferênciaPaísCidadeJogosPontos
CrusadersNova ZelândiaNova ZelândiaChristchurch619
LionsÁfrica do Sul/ArgentinaÁfrica do SulJoanesburgo618
WaratahsAustrália/JapãoAustráliaSydney514
HurricanesNova ZelândiaNova ZelândiaWellington619
sharks SR copy copySharksÁfrica do Sul/ArgentinaÁfrica do SulDurban515
Stormers_Rugby.svgStormersÁfrica do Sul/ArgentinaÁfrica do SulCidade do Cabo514
BullsÁfrica do Sul/ArgentinaÁfrica do SulPretória513
RebelsAustrália/JapãoAustráliaMelbourne513
Highlanders NZ rugby union team logo.svgHighlandersNova ZelândiaNova ZelândiaDunedin613
Brumbies logo copyBrumbiesAustrália/JapãoAustráliaCanberra611
RedsAustrália/JapãoAustráliaBrisbane510
BluesNova ZelândiaNova ZelândiaAuckland510
JaguaresÁfrica do Sul/ArgentinaArgentinaBuenos Aires49
ChiefsChiefsNova ZelândiaNova ZelândiaHamilton68
SunwolvesAustrália/JapãoJapãoTóquio66
- Vitória = 4 pontos;
– Empate = 2 pontos;
– Derrota = 0 pontos;
– Vencer marcando 3 ou mais tries que o oponente = 1 ponto extra;
– Perder por diferença de 7 pontos ou menos = 1 ponto extra;

- Classificam-se às quartas de final o 1º colocado de cada uma das 3 conferências + os 5 melhores da classificação geral;