Estádio lotado em Madagascar.

ARTIGO COM VÍDEO – Neste fim de semana foi encerrada a fase classificatória para a Copa da África de 2020, que ganhou formato novo. A competição terá 4 grupos de 3 times no ano que vem, a fim de reduzir custos, e os dois últimos classificados foram conhecidos.

No sábado, o Senegal fez sua parte e derrotou as Ilhas Maurício por 63 x 00. Já no domingo Madagascar derrotou a Nigéria por 63 x 03, fechando as disputas.


Em Madagascar, grande ilha no sudeste da África, no Oceano Índico, de colonização francesa, o rugby se tornou o esporte nacional, sendo praticado em todo o país com grande popularidade. Por ser um dos países mais pobres no mundo, as seleções do país ainda não causaram impacto, pela dificuldade de se criar um sistema de alto rendimento. No entanto, quando os Makis (a seleção local) jogam em casa, os estádios lotam. Neste domingo, foram mais de 30 mil torcedores que acompanharam a vitória do país.

O povo malgaxe (a população nativa de Madagascar) tem origens distintas do restante do continente. Os malgaxes são descendentes de povos que imigraram desde a Indonésia, através do Oceano Índico, e se misturaram com outras populações de origem africana. No rugby, Madagascar expressa sua identidade oceânica seguindo o exemplo das Ilhas do Pacífico e fazendo uma dança de guerra antes de suas partidas, a “Diha Menalamba“.

- Continua depois da publicidade -

Rugby Africa Cup – Copa da África 2020

Preliminares

Senegal 63 x 00 Maurício, em Dakar

Madagascar 63 x 03 Nigéria, em Antananarivo

 

Grupos:

 SeleçãoJogosPontos 
Grupo 1
Namibia
Zâmbia
Madagascar
Grupo 2
Quênia
Marrocos
Costa do Marfim
Grupo 3
Uganda
Argélia
Senegal
Grupo 3
Tunísia
Zimbábue
Gana