Nem mesmo as 6,1 bilhões de libras (quase 30 bilhões de reais) oferecidas pela agência Infront para comercializar a Liga Mundial (batizada de Nations Championship) por 12 anos persuadiu todos os países do primeiro escalão do rugby europeu a aceitarem a introdução do sistema de promoção e rebaixamento que a nova competição implicaria. E, com isso, o projeto morreu.

Hoje, o World Rugby (a federação internacional) confirmou o fim das negociações sem sucesso para se criar uma competição que mudaria a cara do rugby para sempre. A proposta dava conta de 12 seleções (6 europeias e 6 do resto do mundo) jogando uma competição anual no sistema de todas contra todas, que incorporaria o Six Nations e o Rugby Championship, ao mesmo tempo que promoveria novas seleções para enfrentarem anualmente os melhores times do mundo.

O impasse do sistema de rebaixamento (e quando ele seria introduzido) foi o ponto que inviabilizou o projeto. Agora, o World Rugby promete buscar outras formas de desenvolver o rugby no mundo e colocou como prioritária a expansão da Copa do Mundo de Rugby para 24 times em 2027.