Foto: Sung Chung-jun - World Rugby by Getty Images

ARTIGO COM VÍDEO – Não foi a estreia mais vistosa, mas a Itália cumpriu com sua missão e venceu com bônus a Namíbia, que segue com o tabu de não ter vitórias em Mundiais. 47 x 22, com os Welwitschias flertando no fim com um bônus ofensivo.

A Namíbia começou o jogo com tudo, punindo com try um erro de lateral italiano. A linha dos Welwitschias trabalhou bem até Plato romper a defesa e servir o scrum-half Stevens para o try. A Itália logo assumiu o controle da posse de bola e seu scrum falou mais alto arrancando o penal try do empate pouco depois.

A virada italiana veio aos 25′, com boa ação da linha dos Azzurri. Morisi achou o espaço e serviu Tommaso Allan para finalizar. Porém, em jogo de muitos erros de manuseio, a Itália só conseguiu cruzar o in-goal de novo já nos acréscimos do primeiro tempo, com Ruzza saindo pelo lado cego de scrum e dando lindo passe para Tebaldi disparar para o try. 19 x 07.

A Itália abriu o segundo tempo forte, com Padovani cravando try após chute de Benvenuti, quando começou a chuva. O lance garantiu a meta do bônus e deu tranquilidade para o técnico Conor O’Shea rodar o elenco. Logo na sequência, o abertura reserva Carlo Canna marcou novo try, mas a Namíbia ainda tinha seus momentos, com Greyling marcando o segundo try africano, sobrando um homem a mais na linha namibiana após a formação.

- Continua depois da publicidade -

Os Azzurri só voltaram a cruzar o in-goal na reta final do embate, com Polledri, após maul, e Minozzi, mas os Welwitschias ainda marcaram um último try com Plato, em bela corrida, dando uma última esperança à Namíbia na busca por um bônus, que não se consumou. 47 x 22, números finais.

A Itália enfrentará no dia 26 o Canadá e a Namíbia jogará com a África do Sul no dia 28.

47versus copiar22

Itália 47 x 22 Namíbia, em Osaka

Árbitro: Nic Berry (Austrália)

Assistentes: Nigel Owens (Gales) e Federico Anselmi (Argentina) / TMO: Marius Jonker (África do Sul)

Itália

Tries: Penal try, Allan, Tebaldi, Padovani, Canna, Polledri e Minozzi

Conversões: Allan (3) e Canna (2)

15 Jayden Hayward, 14 Mattia Bellini, 13 Tommaso Benvenuti, 12 Luca Morisi, 11 Edoardo Padovani, 10 Tommaso Allan, 9 Tito Tebaldi, 8 Sergio Parisse (c), 7 Maxime Mbandà, 6 Braam Steyn, 5 Federico Ruzza, 4 Alessandro Zanni, 3 Tiziano Pasquali, 2 Luca Bigi, 1 Nicola Quaglio;

Suplentes: 16 Oliviero Fabiani, 17 Simone Ferrari, 18 Marco Riccioni, 19 Dean Budd, 20 Jake Polledri, 21 Guglielmo Palazzani, 22 Carlo Canna, 23 Matteo Minozzi;

Namíbia

Tries: Stevens, Greyling e Plato

Conversões: Loubser (2)

Penais: Loubser (1)

15 Johan Tromp, 14 Chad Plato, 13 Justin Newman, 12 Darryl De La Harpe, 11 JC Greyling, 10 Cliven Loubser, 9 Damian Stevens, 8 Janco Venter, 7 Wian Conradie, 6 Rohan Kitshoff, 5 Tjiuee Uanivi (c), 4 PJ Van Lill, 3 Johannes Coetzee, 2 Torsten van Jaarsveld, 1 Andre Rademeyer;

Suplentes: 16 Louis van der Westhuizen, 17 AJ De Klerk, 18 Nelius Theron, 19 Johan Retief, 20 Max Katjijeko, 21 Eugene Jantjies, 22 Helarius Axasman Kisting, 23 Lesley Klim;

 

 PaísApelido/SímboloJogosPontos
Grupo A
JapãoBrave Blossoms419
IrlandaShamrock (Trevo)416
EscóciaThistle (Cardo)411
SamoaManu Samoa45
RússiaMedvedi (Ursos)40
Grupo B
Nova ZelândiaAll Blacks416
África do SulSpringboks415
ItáliaGli Azzurri412
NamíbiaWelwitschias42
CanadáCanucks42
Grupo C
InglaterraRed Rose (Rosa)417
FrançaLes Bleus415
ArgentinaLos Pumas411
Tonga'Ikale Tahi46
Estados UnidosEagles40
Grupo D
GalesDragons (Dragões)419
AustráliaWallabies416
FijiFlying Fijians47
GeórgiaLelos45
UruguaiLos Teros44