Foto: Bruno Ruas

Sexta-feira, dia 20, terá início a Copa do Mundo de Rugby de 2019, com transmissão ao vivo da ESPN. A cerimônia de abertura ocorrerá às 06h30 e às 07h45 será dado o pontapé inicial para Japão e Rússia!


Os dois times já estão escalados e sem maiores novidades , o que facilita a vida de quem quer aprender como fazer apostas online. Jamie Joseph, técnico do Japão, escalou um elenco forte para a partida, para assegurar que o favoritismo amplo do Japão se confirme em campo. A primeira linha de Inagaki, Horie e Valu é destaque, assim como a terceira linha, com o capitão Leitch e Labuschagne. Mafi é o desfalque no setor, dando oportunidade a Himeno aparecer. Na linha, Nagare ganhou a 9 titular e o abertura Tamura é destaque, sempre competente. E a linha tem os matadores Lemeki e Matsushima, sempre implacáveis no contra-ataque, que é uma das armas japonesas.

Os japoneses vão impor um jogo intenso, de fases rápidas e muitos chutes, que dificultarão o pesado time russo. Logicamente, a torcida – que lotará os 50 mil lugares do Tokyo Stadium – será outro ponto importante a favor dos Brave Blossoms, que estão comprometidos em arrancarem não apenas a vitória, mas conquistarem o ponto bônus (isto é, marcarem ao menos 4 tries) – algo que será crucial na busca pelas quartas de final. O momento do rugby japonês é positivo. Apesar do insucesso recorrente dos Sunwolves (base da seleção) no Super Rugby, a equipe vem evoluindo e, quando veste a camisa dos Brave Blossoms, os resultados são mais animadores, com vitória sobre Fiji neste ano e empate recente contra a França em Paris sendo alardeados como a prova de que o Japão seguiu evoluindo desde ter assombrado o mundo em 2015 com a vitória épica sobre os Springboks.

A Rússia, do técnico galês Lyn Jones, é o “patinho feio” do Mundial, por ter chegado ao torneio “pela porta dos fundos” (os russos herdaram a vaga europeia após Romênia e Espanha serem punidas por uso de atletas irregulares). Os russos até tiveram bons momentos em 2019, como vitória sobre a Argentina XV e Namíbia na Nations Cup, no Uruguai, em junho. Porém, os últimos amistosos foram terríveis para os Ursos, que inclusive perderam para o Jersey Reds (clube da segunda divisão inglesa) em Moscou por larga margem.

- Continua depois da publicidade -

Os Ursos jogaram seu único Mundial em 2011 e o elenco de 2019 conta com 7 atletas daquela campanha, quando a Rússia (apesar de sair sem vitórias) brilhou em jogo com a Austrália, fazendo 3 tries em uma positiva derrota. Assim como o japonês, o rugby russo é profissional, mas ainda não conta com um grande número de estrangeiros de grife – ainda que recentemente tenham aportado no país neozelandeses e sul-africanos. Poucos nomes atuam no exterior, mas Andrey Ostrikov, segunda linha do Grenoble (Top 14 francês até a temporada passada) e Valery Morozov, pilar do Sale Sharks (Premiership inglesa) despontam, assim como o fullback Valery Artemiev, que está em fim de carreira, mas já respirou sucesso na Inglaterra pelo Northampton Saints. Vladimir Ostroushko, veterano de 2011, é outro nome importante da linha. Já entre os atletas mais jovens ascendentes, olhos para o potente asa Tagir Gadzhiev, que fez estrago na Argentina XV.

Para tentar surpreender os japoneses, os russos buscarão fechar o jogo e não oferecer chutes que levem os Brave Blossoms a contra atacarem com velocidade. A esperança dos Ursos é um jogo tenso e de muitos erros japoneses, pela pressão de terem que vencer. No entanto, em condições normais, um jogo de ampla superioridade do Japão é o esperado.

 

Copa do Mundo de Rugby – Japão 2019

Sexta-feira, dia 20 de setembro (Horário de Brasília)

GRUPO A

versus copiar

07h45 – Japão x Rússia, em Tóquio – ESPN AO VIVO

Árbitro: Nigel Owens (Gales)

Assistentes: Nic Berry (Austrália) e Matthew Carley (Inglaterra) / TMO: Ben Skeen (Nova Zelândia)

Histórico: 6 jogos, 5 vitórias do Japão e 1 vitória da Rússia. Último jogo: Japão 32 x 27 Rússia, em 2018 (amistoso);

Japão: 15 William Tupou, 14 Kotaro Matsushima, 13 Timothy Lafaele, 12 Ryoto Nakamura, 11 Lomano Lava Lemeki, 10 Yu Tamura, 9 Yutaka Nagare, 8 Kazuki Himeno, 7 Pieter Labuschagne, 6 Michael Leitch (c), 5 James Moore, 4 Wimpie van der Walt, 3 Asaeli Ai Valu, 2 Shota Horie, 1 Keita Inagaki;

Suplentes: 16 Atsushi Sakate, 17 Isileli Nakajima, 18 Jiwon Koo, 19 Luke Thompson, 20 Hendrik Tui, 21 Fumiaki Tanaka, 22 Rikiya Matsuda, 23 Ryohei Yamanaka;

Rússia: 15 Vasily Artemyev (c), 14 German Davydov, 13 Vladimir Ostroushko, 12 Dmitry Gerasimov, 11 Kirill Golosnitskiy, 10 Yury Kushnarev, 9 Vasily Dorofeev, 8 Nikita Vavilin, 7 Tagir Gadzhiev, 6 Vitaly Zhivatov, 5 Bogdan Fedotko, 4 Andrey Ostrikov, 3 Kirill Gotovtsev, 2 Stanislav Selskii, 1 Valery Morozov;

Suplentes: 16 Evgeny Matveev, 17 Andrei Polivalov, 18 Azamat Bitiev, 19 Andrey Garbuzov, 20 Anton Sychev, 21 Dmitry Perov, 22 Ramil Gaisin, 23 Vladislav Sozonov;