Chegou o fim do ano, época de comer muito, pular sete ondas independente da orientação religiosa, fazer a retrospectiva do ano que passou (e o Victor está fazendo uma excelente, confira lá) e também as previsões para o ano que está chegando.

Se você vê o copo meio cheio, confira suas previsões para o Rugby em 2018, e sinceramente, espero MUITO que tudo ali se concretize.

MAAAAAAAAAAAAS como otimismo não é o meu forte, e a zueira não tem limites, vamos lá.

Mais um estrangeiro vai se desligar da CBRu
2017 viu a saída do português Bernardo Duarte após longos e ótimos serviços prestados e do australiano Paul Healy de duração muito mais curta por motivos de treta.

- Continua depois da publicidade -

Quem sai em 2018? Os treinadores Rodolfo Ambrósio, Jake Mangin, Damian Rotondo, Reuben Samuel ou o CEO Agustín Danza? Qual a sua aposta e por qual motivo?

O Brasil vai fazer algo HISTÓRICO por algum motivo
Não se trata de ganhar dos All Blacks ou acabar com a fome. O ano realmente terá muitas oportunidades para Tupis e Yaras atingirem grandes feitos. Os Tupis podem se classificar para o Mundial de Sevens (factível), as Yaras ficarem entre as oito no Mundial (factível), mas não se espantem se verem alguma manchete do tipo: “Brasil faz história e ganha de Bangladesh para ficar na 11a posição”. Se cair 5 posições no ranking e subir 1 isso também será histórico.

Chegaremos a 300mil jogadores de Rugby no país!
O bom ângulo entre Júpiter e Netuno nos signos de Peixes favorecem a multiplicação de jogadores.
Sem categorias de base relevantes ou torneios de XV em proporção à quantidade de estados, o Brasil fechou 2016 com 137.827 jogadores, apenas 400 a menos que a Argentina, que tem mais de 5 divisões adultas e categoria de base até o M3, começou a andar já tá tackleando. A World Rugby não pode estar errada, não é mesmo? Ou tem alguém inflando descaradamente esses números. Como o relatório de 2017 deve indicar um aumento de uns 60mil, vou cravar mais 100mil novos jogadores até 31/12/2018! É a festa da multiplicação dos jogadores, mas o dia do cara milagroso já passou.

CBRu terá orçamento recorde de R$20mi
O astro Netuno continua se opondo ao signo do Brasil, mas a perspicácia empresarial, tino para os negócios e o QI da atual gestão vão levar para os cofres da CBRu cerca de R$20milhões, dos quais 74% serão de verbas privadas, e nem mesmo o fim das Leis de Incentivo que sofrem influência de Júpiter na casa 10 vai abalar o caixa da entidade.
Conselheiros bem intencionados vão colocar quase R$1Mi para cobrir rombos do ano fiscal anterior a entidade seguirá como modelo de governança.

Mesmo assim….

Árbitros e jogadores vão ficar mais de seis meses sem receber
Esse ano, vimos um atraso de mais de quatro meses no pagamento para árbitros e atletas. Provavelmente por culpa do atraso nos repasses do governo federal, apesar do salário da direção da entidade cair religiosamente. Esse ano, com as eleições chegando e Saturno transitando para o signo Capricórnio já em janeiro, prevejo um alinhamento das desculpas esfarrapadas e atletas e árbitros levando em Urano.

Mesmo ficando seis meses sem receber, ninguém vai se rebelar publicamente e tudo continuará igual.

Paulista M15/M17 e M19 serão triangulares
Na contramão das categorias adultas e dos festivais infantis, os torneios M15/M17 e M19 de São Paulo diminuem ano a ano e em 2018, serão triangulares onde cada equipe jogará 5 vezes com a outra ao longo de todo ano, fazendo com que o calendário de Seven a side mais uma vez, coincida com o ENEM e o vestibular.

Poli terá time na divisão de Desenvolvimento Paulista
A contratação de jogadores vai seguir firme e forte na Poli, que depois de perder a briga pela contratação de CJ Stander, vai se contentar com vinte jogadores de outros clubes. O excesso de contingente vai levar o clube a montar o time B para jogar o desenvolvimento, e os alunos da faculdade vão jogar apenas a Copa USP, perdendo mais uma vez para o Demônios de Maxwell.

1 COMENTÁRIO