Foto: All Blacks

Nesse sábado será dada a largada para o Rugby Champíonship 2019, o grande torneio de seleções do Hemisfério Sul, que reúne Argentina (Pumas), Nova Zelândia (All Blacks), África do Sul (Springboks) e Austrália (Wallabies). Neste ano, o torneio será reduzido, por conta da Copa do Mundo, tendo apenas um jogo entre cada seleção. Springboks e Wallabies duelarão na abertura, no Ellis Park, em Joanesburgo, ao passo que os Pumas receberão em Buenos Aires, no Vélez Sarsfield, os All Blacks, logo na sequência. Ambos os jogos serão exibidos ao vivo na ESPN.

Clique aqui para conferir a prévia do torneio.

Ainda no sábado, a Nova Zelândia receberá um amistoso de grande interesse entre Maori All Blacks e Fiji. É o segundo duelo da série que prepara os fijianos para a Copa do Mundo.

 

- Continua depois da publicidade -

Springboks e Wallabies duelam pensando no futuro

África do Sul e Austrália entrarão em campo nesse sábado com mais questões do que soluções. Por conta do calendário, que fará com que os Springboks viajem logo na sequência para a Nova Zelândia, o técnico sul-africano Rassie Erasmus optou por dividir o elenco em dois, com a equipe que irá a campo contra os Wallabies sendo, no papel, mais fraca que a que irá jogar contra os All Blacks.

Etzebeth será o capitão dos Springboks para o jogo, fazendo dupla na segunda linha forte com Lood de Jager. A primeira linha terá experiência com Mtawarira, Nyakane e Mbonambi, ao passo que a terceira linha terá François Louw e Piet-Steph Du Toit ao lado do debutante Rynhardt Elstadt. Há muito interesse ainda pela dupla escolhida para 9 e 10, com Erasmus escolhendo o scrum-half debutante Herschel Jantjies, que joga no Toulouse, para atuar ao lado de Elton Jantjies (que não são da mesma família). Mapimpi e Nkosi são as novidades nas pontas, ao passo que o genial Warrick Gelant ganhou uma chance com a 15 titular. Os terão Jesse Kriel, sempre importante, e Andre Esterhuizen, que ganhará novo teste entre os titulares.

Há ainda novidades importantes no banco, com os veteranos Marcell Coetzee (após longa ausência), Cobus Reinach e o interminável François Steyn, dando opções para estabilizar o time ao longo da partida caso as novas apostas não vinguem.

Os Wallabies também não têm o time que o torcedor australiano espera ver no Mundial, com Michael Cheika sendo obrigado a experimentar à beira da Copa do Mundo, pelo momento turbulento vivido pelo rugby do país. O scrum-half Nic White volta à seleção para jogar ao lado de Bernard Foley, enquanto a camisa 15, que era de Israel Folau, será agora de Tom Banks, que fez boa temporada com os Brumbies, mas terá os olhos sobre si e terá muito o que provar. Kurtley Beale estará fazendo sombra no banco com a camisa 23. Haylett-Petty e Hodge seguem nas pontas, com Kerevi e Kuridrani fazendo a dupla potente de centros.

Nos forwards haverá muitas questões a serem respondidas, com a aposta nos novatos Isi Naisarani (único debutante Wallaby no jogo, com a 8 no lugar do lesionado Pocock) e Lukhan Salakaia-Loto, que ainda não havia começado de titular. Arnold e Rodda farão uma segunda linha que terá trabalho contra a forte oposição dos donos da casa, ao passo que a primeira linha, após uma onda de lesões, terá a volta do pilar veterano Lukhan Salakaia-Loto, para jogar com Sekope Kepu, e a titularização do ascendente Folau Fainga’a.

 

versus copiar

12h00 – África do Sul x Austrália, em Joanesburgo – ESPN AO VIVO

Árbitro: Paul Williams (Nova Zelândia)

Histórico: 87 jogos, 47 vitórias da África do Sul, 37 vitórias da Austrália e 3 empates. Último jogo: África do Sul 23 x 12 Austrália, em 2018 (The Rugby Championship);

África do Sul: 15 Warrick Gelant, 14 S’bu Nkosi, 13 Jesse Kriel, 12 Andre Esterhuizen, 11 Makazole Mapimpi, 10 Elton Jantjies, 9 Herschel Jantjies, 8 François Louw, 7 Pieter-Steph du Toit, 6 Rynhardt Elstadt, 5 Lood de Jager, 4 Eben Etzebeth (c), 3 Trevor Nyakane, 2 Bongi Mbonambi, 1 Tendai Mtawarira;

Suplentes: 16 Schalk Brits, 17 Lizo Gqoboka, 18 Vincent Koch, 19 Marvin Orie, 20 Marcell Coetzee, 21 Cobus Reinach, 22 Frans Steyn, 23 Dillyn Leyds;

Austrália: 15 Tom Banks, 14 Dane Haylett-Petty, 13 Tevita Kuridrani, 12 Samu Kerevi, 11 Reece Hodge, 10 Bernard Foley, 9 Nic White, 8 Isi Naisarani, 7 Michael Hooper (c), 6 Lukhan Salakaia-Loto, 5 Rory Arnold, 4 Izack Rodda, 3 Sekope Kepu, 2 Folau Fainga’a, 1 James Slipper;

Suplentes: 16 Jordan Uelese, 17 Harry Johnson-Holmes, 18 Taniela Tupou, 19 Rob Simmons, 20 Jack Dempsey, 21 Will Genia, 22 Matt To’omua, 23 Kurtley Beale;

 

Chegou a hora dos Pumas? All Blacks não terão Crusaders

Nunca na história a Argentina obteve uma vitória sobre a Nova Zelândia e para muitos o momento chegou, após grande campanha dos Jaguares no Super Rugby. Mas os All Blacks seguem com um elenco recheado de grandes craques, apesar do técnico Steve Hansen poupar todos os atletas dos Crusaders (campeões do Super Rugby) para a partida.

O técnico Mario Ledesma colocará em campo basicamente o time que jogou a final do Super Rugby pelos Jaguares, com apenas duas adições de atletas que jogam na Europa, fortalecendo o time em posições deficientes. Entraram o abertura Nicolás Sánchez (no posto de Bonilla) e o pilar Juan Figallo (no lugar de Medrano). Com isso, a criação dos Pumas deverá evoluir, com um abertura de classe mundial, e a primeira linha, que vinha sofrendo, ganhou um pilar fechado à altura de suas necessidades.

Já os All Blacks preservarão os atletas do melhor elenco do país, mas contarão com um grupo invejável do mesmo jeito, ainda que cheio de novidades. Na ponta, Sevu Reece, o artilheiro de tries do Super Rugby, debutará na equipe, com Jordie Barrett sendo testado na outra ponta. Ben Smith seguirá com a 15, tendo Laumape e Lienert-Brown de dupla de centros, pelas ausências de Goodhue e Crotty. Beauden Barrett será o camisa 10, tendo que lidar com a sombra de Mo’unga, e Aaron Smith ganhou a 9, em competição com Perenara, poupado desta vez (com Webster, de excelente temporada, na reserva).

O pack terá uma terceira linha de testes, com Sam Cane (capitão) atuando ao lado de Fifita Vaea e Ardie Savea, em um trio que será devidamente testado pelos argentinos (com o debutante Luke Jacobson no banco), ao passo que Brodie Retallick terá Tuipulotu a seu lado na segunda linha em um embate promissor contra a segunda linha argentina, de excelente temporada. A primeira linha terá novidades, com Angus Ta’avao ganhando uma chance de pilar aberto, jogando junto de Dane Coles e Ofa Tuungafasi. Atu Moli debutará a partir do banco.

As escolhes neozelandesas abrem espaço para os argentinos sonharem em fazerem história, tendo um grupo muito mais coeso que os dos All Blacks. Porém, Steve Hansen (que disse que o Championship é somente a terceira prioridade, abaixo da Copa do Mundo e da Bledisloe Cup) preparou uma armadilha para os Pumas, uma vez que selecionou um time repleto de nomes sedentos em ganharem um espaço na Copa do Mundo – ou seja, motivado ao extremo.

 

versus copiar

15h00 – Argentina x Nova Zelândia, em Buenos Aires – ESPN AO VIVO

Árbitro: Angus Gardner (Austrália)

Histórico: 28 jogos, 27 vitórias da Nova Zelândia e 1 empate. Último jogo: Argentina 17 x 35 Nova Zelândia, em 2018 (The Rugby Championship);

Argentina: 15 Emiliano Boffelli, 14 Matías Moroni, 13 Matías Orlando, 12 Jerónimo de la Fuente, 11 Ramiro Moyano, 10 Nicolás Sánchez, 9 Tomás Cubelli, 8 Javier Ortega Desio, 7 Marcos Kremer, 6 Pablo Matera, 5 Tomás Lavanini, 4 Guido Petti, 3 Juan Figallo, 2 Agustín Creevy, 1 Nahuel Tetaz Chaparro;

Suplentes: 16 Julián Montoya, 17 Mayco Vivas, 18 Santiago Medrano, 19 Matías Alemanno, 20 Tomás Lezana, 21 Felipe Ezcurra, 22 Joaquín Díaz Bonilla, 23 Joaquín Tuculet;

Nova Zelândia: 15 Ben Smith, 14 Sevu Reece, 13 Anton Lienert-Brown, 12 Ngani Laumape, 11 Jordie Barrett, 10 Beauden Barrett, 9 Aaron Smith, 8 Ardie Savea, 7 Sam Cane (c), 6 Vaea Fifita, 5 Patrick Tuipulotu, 4 Brodie Retallick, 3 Angus Ta’avao, 2 Dane Coles, 1 Ofa Tuungafasi;

Suplentes: 16 Liam Coltman, 17 Atu Moli, 18 Nepo Laulala, 19 Jackson Hemopo, 20 Luke Jacobson, 21 Brad Weber, 22 Josh Ioane, 23 Braydon Ennor;

 

Fiji busca outra vitória histórica

No último sábado, Fiji e Maori All Blacks duelaram em solo fijiano, no jogo que abriu a série de dois amistosos entre as duas seleções, e Fiji deu o que falar, derrotando os neozelandeses por impressionantes 27 x 10, em jogo marcado pela genialidade fijiana com a bola em mãos e por sua solidez defensiva, provando evolução.

Fiji teve algumas importantes novidades para o jogo em Rotorua, com o técnico John McKee usando o amistoso para rodada o elenco. O pilar veterano Campese Ma’afu está de volta ao time, em uma nova primeira linha com Lee-Roy Atalifo e Veremalua Vugakoto. Apisalome Ratuniyarawa e Tevita Ratuva farão uma nova segunda linha, com Dominiko Waqaniburotu e Mosese Voka entrando na terceira linha.

As posições de criação também terão testes, com Henry Seniloli (que joga na segunda divisão inglesa, no Doncaster) de 9 e Alivereti Veitokani (fullback de origem, do London Irish) de 10, ao passo que o camisa 15 será o excelente Kini Murimurivalu (do La Rochelle). Já Jale Vatubua (do Pau) é novidade na ponta.

versus copiar

04h35 – Maori All Blacks x Fiji, em Rotorua

Árbitro: Nic Berry (Austrália)

Maori All Blacks: 15 Shaun Stevenson, 14 Jordan Hyland, 13 Rob Thompson, 12 Alex Nankivell, 11 Sean Wainui, 10 Otere Black, 9 Bryn Hall, 8 Whetukamokamo Douglas, 7 Mitch Karpik, 6 Reed Prinsep, 5 Pari Pari Parkinson, 4 Tom Franklin, 3 Tyrel Lomax, 2 Ash Dixon (c), 1 Ross Wright;

Suplentes: 16 Nathan Harris, 17 Haereiti Hetet, 18 Marcel Renata, 19 Isaia Walker-Leawere, 20 Akira Ioane, 21 Te Toiroa Tahuriorangi, 22 Fletcher Smith, 23 Teihorangi Walden;

Fiji: 15 Kini Murimurivalu, 14 Patrick Osbourne, 13 Waisea Nayacalevu, 12 Jale Vatubua, 11 Filipo Nakosi, 10 Alivereti Veitokani, 9 Henry Seniloli, 8 Nemani Nagusa, 7 Mosese Voka, 6 Dominiko Waqaniburotu, 5 Apisalome Ratuniyarawa, 4 Tevita Ratuva, 3 Lee-Roy Atalifo 2 Veremalua Vugakoto, 1 Campese Ma’afu;

Suplentes: 16 Samuel Matavesi, 17 Joeli Veitayaki, 18 Luke Tagi, 19 Albert Tuisue, 20 John Dyer, 21 Serupepeli Vularika, 22 Sevanaia Galala, 23 Josh Matavesi;