Em junho, a África do Sul venceu 2 de 3 jogos em junho sobre a Inglaterra. Foto: SA Rugby

ARTIGO ATUALIZADO – Amistosos internacionais em destaque! O sábado oval contará com nada menos que 9 das 15 melhores seleções do mundo indo a campo, além de dois grandes amistosos femininos.

As ações começarão no Japão, com a seleção da casa recebendo os All Blacks em um jogo muito aguardado na terra da próxima Copa do Mundo.

Na Europa – e ao vivo na tela da ESPN2 para o Brasil – tem o super clássico mundial entre Inglaterra e África do Sul, que duelarão pela quarta vez no ano. Em paralelo, em Cardiff, Gales e Escócia também medirão forças, em evento beneficente.

Mas o grande evento será a rodada tripla organizada em Chicago que começará com o embate feminino entre Estados Unidos e Nova Zelândia, seguido pelo duelo masculino entre Estados Unidos e Maori All Blacks (que jogam na América do Norte antes de virem ao Brasil), e finalizado com o jogo entre Irlanda e Itália, que deverá atrair as comunidades de descendentes de irlandeses e italianos, numeroso no país.

- Continua depois da publicidade -

Por fim, haverá XV feminino ainda no domingo, com jogo entre Itália e Escócia.

 

Japão desafia os All Blacks

Os All Blacks venceram os Wallabies na semana passada e fazem uma última parada me solo japonês antes de irem à Europa. O embate é com a ascendente seleção do Japão que, apesar da evolução recente, precisará de um milagre para derrubar o melhor time do mundo.

  • O Japão terá a base do time que perdeu na sexta para o World XV;
  • A ausência mais sentido é o homem try Lemeki, substituído pelo fullback Ryohei Yamanaka;
  • A Nova Zelândia usará o jogo para rodar o elenco, trocando o XV titular todo;
  • Milner-Skudder e Jackson Hemopo, que defenderão os Maori All Blacls contra o Brasil na semana que vem, estão escalados entre os titulares dos All Blacks contra o Japão;
  • Novidades: debutarão pelos All Blacks o centro Matt Proctor e o asa Denton Papalii.  O oitavo Luke Whitelock será o capitão do time, seguindo os passos de seu irmão Sam;
  • Olhos para o teste na dupla de 10 e 9: Richie Mo’unga e Te Toiroa Tahuriorangi;

 

Gales e Escócia jogam de novo

Raramente seleções do Six Nations se enfrentam em amistosos. Mas Gales e Escócia optaram por se enfrentarem antes dos desafios contra time do Hemisfério Sul. O jogo não será para brincadeiras, com os dois treinadores usando o que têm de melhor disponível.

  • No Six Nations, Gales venceu com imponência: 34 x 07;
  • O ponta Luke Morgan (maior pontuador da história do sevens galês) é a novidade debutando por Gales;
  • Gareth Anscombe será o abertura de Gales, jogando com Gareth Davies. Alun Wyn Jones será o capitão e Leigh Halfpenny, que jogou muito na vitória no Six Nations, está confirmado no XV;
  • Escócia aposta em elenco experiente, capitaneado pelo hooker Stuart McInally;
  • A dupla de 9 e 10 será Ali Price e o jovem Adam Hastings, que vai cavando seu espaço na seleção. Blair Kinghorn foi confirmado de fullback;
  • Jonny Gray, Willem Nel, Hamish Watson e Ryan Wilson retornam ao grupo após folgarem nos amistosos de junho;

 

Para os Springboks a gira já começou: hora da Inglaterra

África do Sul e Inglaterra se enfrentaram 3 vezes em junho de 2018 em solo sul-africano, com 2 vitórias para os Springboks e 1 para os ingleses. Agora, será a vez da Inglaterra receber o clássico, com as duas seleções já pensando na Copa do Mundo de 2019. O jogo em Twickenham nesse sábado – com ESPN2 ao vivo – é o melhor da rodada e todos os olhares estarão nele.

  • Após tantas derrotas no ano (5), a Inglaterra não pode nem pensar em novos insucessos em casa neste mês. O técnico Eddie Jones nomeou Dylan Hartley e Owen Farrell como co-capitães, para liderarem o time;
  • George Kruis, Jack Nowell e Ben Te’o retornarão ao grupo após ausência nos amistosos de junho, ao passo que o pilar Alec Hepburn debutarão com a seleção. Manu Tuilagi (fora da seleção desde 2016) é opção no banco;
  • A terceira linha inglesa será bastante diferente, com Mark Wilson, Tom Curry e Brad Shields fazendo um trio inédito e que terá a missão de igualar a força sul-africana no breakdown;
  • Os Springboks comemoraram o retorno de Duane Vermeulen de asa, fazendo um trio de terceira linha poderoso com Siya Kolisi (o capitão) e Warren Whiteley;
  • Ao lado de Pollard, efetivado de abertura, o técnico Rassie Erasmus apostou no scrum-half IIvan van Zyl, de 23 anos, já que Faf De Klerk não está disponível. Já de fullback estará o jovem Willemse, com Le Roux também ausentado;
  • A Inglaterra, se vencer, poderá ir do 4º ao 3º lugar do Ranking, ao passo que a África do Sul (5ª do mundo) se vencer passaria a Inglaterra e assumiria o 4º lugar;

 

Chicago é terra de rugby de novo

Os Estados Unidos adotaram Chicago como casa dos grandes eventos da seleção de rugby. O evento triplo no Soldier Field empolga. Primeiro, a seleção feminina do país encara as campeãs mundiais, a Nova Zelândia. Depois, tem a seleção masculina dos EUA medindo forças com os Maori All Blacks (que jogarão no Brasil na semana que vem). E, por fim, tem duelo europeu entre Irlanda e Itália;

  • No feminino, a missão dos Estados Unidos é dificílima. As Black Ferns são indiscutivelmente as melhores do mundo e agora são um time profissional de XV. Os dois países se enfrentaram no ano passado na semifinal da Copa do Mundo e a Nova Zelândia não teve problemas para vencer por 45 x 12;
  • Os Eagles, por sua vez, encararão os Maori All Blacks, em duelo que terá um time neozelandês sem Milner-Skudder e um time americano em alta após derrotar a Escócia em junho e viver uma temporada doméstica profissional com a Major League Rugby. O favoritismo é neozelandês, mas os EUA prometem entregar um belo espetáculo a seu torcedor;
  • Irlanda e Itália se enfrentaram no Six Nations deste ano e o resultado foi uma vitória irlandesa acachapante por 56 x 19. Os irlandeses se tornaram campeões e são o time a ser batido no momento na Europa;
  • Desde então, o rugby italiano vem sorrindo no PRO14 com Benetton Treviso e Zebre vivendo ótimo momento. Com isso, a expectativa está aumentando sobre os Azzurri, mas a Itália não vence a Irlanda desde 2013;
  • Sergio Parisse não estará na partida para comandar a Itália, que terá como capitão Michele Campagnaro, seu jogador de linha mais destacado. O time escolhido pelo técnico Conor O’Shea é bastante inexperiente, cheio de jovens jogadores, como o debutante asa Johan Meyer. Carlo Canna voltará a ser o camisa 10 azul;
  • A Irlanda usará a partida para dar oportunidades a seu elenco. Carbery e McGrath farão dupla de abertura e scrum-half, com Sexton e Murray poupados, ao passo que Jordon Larmour ganhou titularidade como fullback. Rhys Ruddock será o capitão, jogando ao lado de Josh van der Flier, que retorna à terceira linha verde. Andrew Porter, Niall Scannell e Jack McGrath serão testados como trio da primeira linha;

 

*Horários de Brasília

Sábado, dia 03 de novembro

versus copiar

02h45 – Japão x Nova Zelândia, em Tóquio

Árbitro: Matthew Carley (Inglaterra)

Histórico: 3 jogos e 3 vitórias da Nova Zelândia. Último jogo: Japão 06 x 54 Nova Zelândia, em 2013 (amistoso);

Japão: 15 Ryohei Yamanaka, 14 Jamie Henry, 13 Will Tupou, 12 Tim Lafaele, 11 Kenki Fukuoka, 10 Yu Tamura, 9 Yutaka Nagare, 8 Hendrik Tui, 7 Shunsuke Nunomaki, 6 Michael Leitch (c), 5 Samuela Anise, 4 Wimpie van der Walt, 3 Hiroshi Yamashita, 2 Yusuke Niwai, 1 Keita Inagaki;

Suplentes: 16 Yusuki Niwai, 17 Masataka Mikami, 18 Asaeli Valu, 19 Uwe Helu, 20 Vaka Nakajima, 21 Fumiaki Tanaka, 22 Rikiya Matsuda 23 Ryoto Nakamura;

Nova Zelândia: 15 Jordie Barrett, 14 Nehe Milner-Skudder, 13 Matt Proctor, 12 Ngani Laumape, 11 Waisake Naholo, 10 Richie Mo’unga, 9 Te Toiroa Tahuriorangi, 8 Luke Whitelock (c), 7 Dalton Papalii, 6 Vaea Fifita, 5 Jackson Hemopo, 4 Patrick Tuipulotu, 3 Angus Ta’avao, 2 Dane Coles, 1 Ofa Tuungafasi;

Suplentes: 16 Liam Coltman, 17 Tim Perry, 18 Tyrel Lomax, 19 Dillon Hunt, 20 Gareth Evans, 21 Mitch Drummond, 22 Brett Cameron, 23 George Bridge;

 

versus copiar

11h45 – Gales x Escócia, em Cardiff

Árbitro: Mathieu Raynal (França)

Histórico: 123 jogos, 71 vitórias de Gales, 49 vitórias da Escócia e 3 empates. Último jogo: Gales 34 x 07 Escócia, em 2018 (Six Nations);

Gales: 15 Leigh Halfpenny, 14 George North, 13 Jonathan Davies, 12 Hadleigh Parkes, 11 Luke Morgan, 10 Gareth Anscombe, 9 Gareth Davies, 8 Ross Moriarty, 7 Justin Tipuric, 6 Dan Lydiate, 5 Alun Wyn Jones (c), 4 Cory Hill, 3 Dillon Lewis, 2 Ken Owens, 1 Nicky Smith;

Suplentes: 16 Elliot Dee, 17 Rob Evans, 18 Leon Brown, 19 Adam Beard, 20 Aaron Wainwright, 21 Tomos Williams, 22 Jarrod Evans, 23 Steff Evans;

Escócia: 15 Blair Kinghorn, 14 Tommy Seymour, 13 Huw Jones, 12 Alex Dunbar, 11 Lee Jones, 10 Adam Hastings, 9 Ali Price, 8 Ryan Wilson, 7 Hamish Watson, 6 Jamie Ritchie, 5 Jonny Gray, 4 Ben Toolis, 3 Willem Nel, 2 Stuart McInally (c), 1 Allan Dell;

Suplentes: 16 Fraser Brown, 17 Alex Allan, 18 Simon Berghan, 19 Grant Gilchrist, 20 Matt Fagerson, 21 George Horne, 22 Pete Horne, 23 Darcy Graham;

 

versus copiar

12h00 – Inglaterra x África do Sul, em Londres – ESPN2 AO VIVO

Árbitro: Angus Gardner (Austrália)

Histórico: 41 jogos, 25 vitórias da África do Sul, 14 vitórias da Inglaterra e 2 empates. Último jogo: África do Sul 10 x 25 Inglaterra, em 2018 (amistoso);

Inglaterra: 15 Elliot Daly, 14 Jack Nowell, 13 Henry Slade, 12 Ben Te’o, 11 Jonny May, 10 Owen Farrell (cc), 9 Ben Youngs, 8 Mark Wilson, 7 Tom Curry, 6 Brad Shields, 5 George Kruis, 4 Maro Itoje, 3 Kyle Sinckler, 2 Dylan Hartley (cc), 1 Alec Hepburn;

Suplentes: 16 Jamie George, 17 Ben Moon, 18 Harry Williams, 19 Charlie Ewels, 20 Zach Mercer, 21 Danny Care, 22 George Ford, 23 Manu Tuilagi;

África do Sul: 15 Damian Willemse, 14 Sbu Nkosi, 13 Jesse Kriel, 12 Damian de Allende, 11 Aphiwe Dyantyi, 10 Handré Pollard, 9 Ivan van Zyl, 8 Warren Whiteley, 7 Duane Vermeulen, 6 Siya Kolisi (c), 5 Pieter-Steph du Toit, 4 Eben Etzebeth, 3 Frans Malherbe, 2 Malcolm Marx, 1 Steven Kitshoff;

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Thomas du Toit, 18 Wilco Louw, 19 RG Snyman, 20 Lood de Jager, 21 Embrose Papier, 22 Elton Jantjies, 23 André Esterhuizen;

 

versus copiar

14h15 – Estados Unidos x Maori All Blacks, em Chicago

Árbitro: Karl Dickson (Inglaterra)

Histórico: 4 jogos e 4 vitórias dos Maori All Blacks. Último jogo: Estados Unidos 07 x 54 Maori All Blacks, em 2016 (amistoso);

Estados Unidos: em breve

Maori All Blacks: em breve

 

versus copiar

17h00 – Irlanda x Itália, em Chicago (EUA)

Árbitro: Nigel Owens (Gales)

Histórico: 28 jogos, 24 vitórias da Irlanda e 4 vitórias da Itália. Último jogo: Irlanda 56 x 19 Itália, em 2018 (Six Nations);

Irlanda: 15 Jordan Larmour, 14 Andrew Conway, 13 Garry Ringrose, 12 Bundee Aki, 11 Jacob Stockdale, 10 Joey Carbery, 9 Luke McGrath, 8 Jack Conan, 7 Josh van der Flier, 6 Rhys Ruddock (c), 5 Quinn Roux, 4 Tadhg Beirne, 3 Andrew Porter, 2 Niall Scannell, 1 Jack McGrath;

Suplentes: 16 Sean Cronin, 17 Dave Kilcoyne, 18 Finlay Bealham, 19 Devin Toner, 20 Jordi Murphy, 21 John Cooney, 22 Ross Byrne, 23 Will Addison;

Itália: 15 Luca Sperandio, 14 Mattia Bellini, 13 Michele Campagnaro (c), 12 Luca Morisi, 11 Giulio Bisegni, 10 Carlo Canna, 9 Tito Tebaldi, 8 Rento Giammarioli, 7 Bram Steyn, 6 Johan Meyer, 5 George Fabio Biagi, 4 Marco Fuser, 3 Tiziano Pasquali, 2 Luca Bigi, 1 Nicola Quaglio;

Suplentes: 16 Oliviero Fabiani, 17 Cherif Traore, 18 Giosue Zilocchi, 19 Marco Lazzaroni, 20 Federico Ruzza, 21 Jimmy Tuivatti, 22 Guglielmo Palazzani, 23 Ian McKinley;

 

Feminino

Sábado, dia 03 de novembro

versus copiar

09h00 – Estados Unidos x Nova Zelândia, em Chicago

Histórico: 11 jogos, 10 vitórias da Nova Zelândia e 1 vitória dos Estados Unidos. Último jogo: Nova Zelândia 45 x 12 Estados Unidos, em 2017 (Copa do Mundo Feminina);

 

Domingo, dia 04 de novembro

versus copiar

10h45 – Itália x Escócia, em Calvisano

Histórico: 18 jogos, 11 vitórias da Escócia, 6 vitórias da Itália e 1 empate. Último jogo: Itália 26 x 12 Escócia, em 2018 (Six Nations Feminino);