Samoa confirma favoritismo e vence os EUA

ARTIGO COM VÍDEO – Samoa entrou em campo em Brighton favorita para o confronto contra os Estados Unidos e, mesmo jogando no estádio da zebra do jogo do Japão e África do Sul, o raio não caiu duas vezes no mesmo lugar. Samoa contando com Tusi Pisi e seu ótimo trabalho com os pés, venceu os Estados Unidos confirmando seu favoritismo. Por sua vez, os Estados Unidos mostraram que estão investindo no esporte e quando isso acontece, eles se dedicam e se empenham mostrando resultados. A vitória de Samoa não foi fácil como se imaginava.

 

Até os 4 minutos de jogo, a partida foi pegada e nenhuma jogada tinha sido aberta até o desenvolvimento da linha. A bola ficava em disputa em rucks e jogadas truncadas. E somente aos 7 minutos, em um penal cometido pelos EUA, Tusi Pisi abriu o placar para Samoa.

 

O jogo seguiu disputado e sempre truncado com esparsas corridas e somente na metade da etapa, aos 20 minutos que em uma assistência genial de Tusi Pisi com um pequeno chute colocado perto do ingoal americano, Nanai-Williams pegou a bola já la dentro e a apoiou anotando o primeiro try da partida. Na sequência, Tusi Pisi não teve a mesma felicidade no chute de conversão, deixando o placar apenas em 8 x 0 para Samoa.

 

Os Estados Unidos sobravam em vontade, mas pecavam em fundamentos e em indisciplina. Cometeram muitas penalidades e cediam muitos turnovers para Samoa. Durante o jogo, os EUA cometeram 14 penalidades. O número em si, não é grande, mas grande parte comprometeu o ataque de sua equipe. Aos 27 minutos, mais um destes penais proporciona a Pisi mais uma conversão. Neste momento, Samoa já vencia por 11 x 0.

 

Somente aos 30 minutos que os EUA conseguiriam reduzir a diferença no placar. Em um penal cometido por offside me ruck, MacGinty converteu e mudou o placar. E três minutos depois, em uma bola vencida em um lateral, o mesmo MacGinty armou um belo ataque numa corrida veloz que terminou com o try do capitão Cris Wyles. Os EUA encostavam no placar: 11 x 8 para Samoa.

 

Mas a indisciplina dos EUA, continuava penalizando. Pouco antes do fim da primeira etapa, mais um penal para Pisi converter e dar os números finais do primeiro tempo: 14 x 8 para Samoa.

 

O segundo tempo começou como terminou o primeiro, Samoa dominando a posse de bola e os EUA tendo problemas com as penalidades.

 

Aos 5 minutos, outra assistência primorosa de Tusi Pisi. Novamente, com os pés e novamente para Nanai-Williams. Mas em choque com defensor americano, a bola sobrou para Treviranus, o capitão samoano, que invadiu o ingoal e anotou o segundo try da equipe do Pacífico. Eficiência nas assistências apenas. Nos chutes de conversão, nenhum efetuado com perfeição. Neste momento, Samoa liderava o placar por 19 x 8.

 

Samoa continuava a dominar o jogo. E a pressão fazia os EUA cometer penais. E Pisi não perdeu outro aos 10 minutos. Mas, dois minutos depois, MacGinty devolveu na mesma moeda.  EUA e sua indisciplina continuavam se complicando e, com um corta-luz, aconteceu mais um penal. Mike Stanley, que acabara de entrar, chutou pela primeira vez e converteu para Samoa que liderava o placar por 25 x 11 aos 30 minutos.

 

Aos 33 minutos, um lampejo de reação dos EUA. Chris Baumann, o pilar que entrou na segunda etapa anotou o segundo try do time americano, mas MacGinty não converteu. E a reação terminou aí. Deixando o placar assim até o fim, nos 25 x 16 para Samoa.

 

Com este resultado, Samoa passa a liderar o grupo após a primeira rodada seguida de perto pelo Japão. África do Sul, que apesar da derrota na zebra histórica de ontem é a terceira colocada com dois pontos bônus e os EUA seguem em quarto lugar sem pontos, assim como a Escócia que não jogou.

 

 

samoa copy  25  versus copiar  16  estados unidos

 

Samoa 25 x 16 Estados Unidos, em Brighton

Árbitro: George Clancy (Irlanda)

 

Samoa

 

Tries:Nanai-Williams, Treviranus

Penais:Tusi Pisi (4), Stanley

 

15 Tim Nanai-Williams, 14 Ken Pisi, 13 Paul Perez, 12 Rey Lee-Lo, 11 Alesana Tuilagi, 10 Tusi Pisi, 9 Kahn Fotuali’i, 8 Ofisa Treviranus (c), 7 Jack Lam, 6 Maurie Fa’asavalu, 5 Joe Tekori, 4 Teofilo Paulo, 3 Anthony Perenise, 2 Ole Avei, 1 Zak Taulafo.

Suplentes: 16 Viliami Afatia, 17 Motu Matu’u, 18 Census Johnston, 19 Faifili Levave, 20 Alafoti Faosiliva, 21 Vavao Afemai, 22 Mike Stanley, 23 Fa’atoina Autagavaia.

 

 

Estados Unidos

 

Tries: Wyles, Baumann

Penais: MacGinty (2)

 

15 Blaine Scully, 14 Takudzwa Ngwenya, 13 Seamus Kelly, 12 Thretton Palamo, 11 Chris Wyles (c), 10 AJ MacGinty, 9 Mike Petri, 8 Samu Manoa, 7 Andrew Durutalo, 6 Al McFarland, 5 Greg Peterson, 4 Hayden Smith, 3 Titi Lamositele, 2 Zach Fenoglio, 1 Eric Fry.

Suplentes: 16 Phil Thiel, 17 Oli Kilifi, 18 Chris Baumann, 19 Cam Dolan, 20 Danny Barrett, 21 Shalom Suniula, 22 Folau Niua, 23 Brett Thompson

 

 

 

 

 

Clube P J V E D 4+ -7 PP PC SP
Grupo A
Austrália 17 4 4 0 0 1 0 141 35 106
Gales 13 4 3 0 1 1 0 111 67 44
Inglaterra 11 4 2 0 2 2 1 133 75 58
Fiji 5 4 1 0 3 1 0 84 101 -17
Uruguai 0 4 0 0 4 0 0 30 226 -196
Grupo B
África do Sul 16 4 3 0 1 3 1 176 56 120
Escócia 14 4 3 0 1 2 0 142 139 3
Japão 12 4 3 0 1 0 0 98 100 -2
Samoa 6 4 1 0 3 1 1 69 124 -55
Estados Unidos 0 4 0 0 4 0 0 50 156 -106
Grupo C
Nova Zelândia 19 4 4 0 0 3 0 174 49 125
Argentina 15 4 3 0 1 3 0 179 70 109
Geórgia 8 4 2 0 2 0 0 53 122 -69
Tonga 6 4 1 0 3 1 1 70 130 -60
Namíbia 1 4 0 0 4 0 1 70 174 -104
Grupo D
Irlanda 18 4 4 0 0 2 0 135 35 100
França 14 4 3 0 1 2 0 117 64 53
Itália 10 4 2 0 2 1 1 74 88 -14
Romênia 4 4 1 0 3 0 0 60 126 -66
Canadá 2 4 0 0 4 0 2 58 141 -83

Comentários