Edimburgo, capital da Escócia, será o centro das atenções nesse sábado, dia 13, quando o monumental estádio de Murrayfield receberá a grande final da Copa Europeia de Rugby, a Champions Cup, máxima competição de clubes da Europa. Em campo estarão duas jovens potências europeias: de um lado, os atuais campeões e únicos invictos da temporada 2016-17, os ingleses do Saracens, de Londres, que partem em busca da segunda conquista da taça europeia. Do outro lado, os franceses do Clermont, que jamais foram campeões da Champions Cup, tendo engasgados dois vice campeonatos recentes, em 2013 e 2015. A velha rivalidade entre França e Inglaterra apimentará a final pelo segundo ano seguidos e pela terceira vez nos últimos quatro anos, tendo mais uma vez a transmissão ao vivo da ESPN.

 

Os dois clubes estiveram frente a frente em partida decisiva da Copa Europeia recentemente, em 2015, quando se enfrentaram pela última vez, em jogo válido pelas semifinais da competição, com triunfo francês por 13 x 09, depois de terem duelada naquela mesma temporada na fase de grupos, com uma vitória para cada lado. Ambos compartilham de um sucesso recente, sendo clubes emergentes em seus países. O Clermont conquistou o Top 14 francês pela primeira e única vez em 2010, quando deixou para trás o fantasmas dos vices (tendo antes acumulado inacreditáveis 10 vice campeonatos franceses). Entretanto, desde então o fantasma dos vices seguiu assombrando os Vulcões, que perderam a final europeia de 2013 e as finais do Top 14 e da Champions Cup no mesmo ano, em 2015. Em 2017, a pressão (e a desconfiança) voltam a ser inimigos dos amarelos da Auvérnia, que são time de chegada, mas precisam provar serem time de conquistas.

 

- Continua depois da publicidade -

O Saracens, por outro lado, conseguiu se firmar como equipe de finais. Em 2011, o time de Londres foi campeão inglês pela primeira vez em sua história e desde então se firmou no topo, conquistando a Premiership novamente em 2015 e 2016 e a Copa Europeia em 2016, estando invicto na Champions Cup desde 2015. Tal sequência conferiu aos Sarries a condição de clube mais forte da Europa no momento, para muito o “time a ser batido” no continente.

 

O percurso das duas esquadras foi sólido até aqui, seja nas ligas nacionais (ambos já estão garantidos nas semifinais de seus países) ou na Copa Europeia. Enquanto o Saracens ostenta invencibilidade, tendo despachado o Toulon na fase de grupos, o Glasgow Warriors nas quartas de final e o Munster na semifinal, o Clermont ergue a cabeça após ter se imposto na fase de grupos em um grupo que tinha o Exeter Chiefs (de campanha superior à do Saracens na Premiership) e ter derrotado o Toulon nas quartas de final e o Leinster na semifinal, isto é, dois tricampeões europeus que foram os últimos campeões continentais antes do Saracens.

 

Quando o assunto são os elencos, o Saracens é apontado como superior, reforçado por atletas chave da quase invencível seleção inglesa, como Owen Farrll e os irmãos Vunipola, e liderado pelo técnico aclamado Mark McCall, mestre das defesas e do jogos de formações. Os Sarries jogam um rugby eficiente ao limite, como a Inglaterra, com qualidade em absolutamente todos os setores. E, se o time tem talvez a defesa mais temível da Europa, conta no ataque com o maior artilheiro da história da Copa Europeia, Chris Ashton.

 

Já o Clermont, do técnico Franck Azéma, joga o melhor do rugby francês, mesmo em tempos de vacas magras para os Bleus, e conta também com um elenco estrelado, liderado pelo terceira linha Damian Chouly e abrilhantado pelo melhor jogador da Europa de 2015, Nick Abendanon, e pelo ascendente Camille Lopez, que vem se firmando como abertura da França e terá o desafio de sua carreira ao duelas com Farrell, a estrela do momento. Caberá a um linha de grande qualidade dos Jaunards o desafio de quebrar a defesa mais capaz do continente. Favoritismo? Sim, ele é do Saracens, mas o jogo está mais que aberto.

 

Show também reservado para o apito, com o galês Nigel Owens na condução da partida.

 

Stade Français ou Gloucester?

As emoções em Edimburgo começarão na verdade na sexta-feira, quando Murrayfield receberá a grande final da Challenge Cup, a segunda copa europeia, com o duelo entre os franceses do Stade Français, de Paris, que jamais levantaram um título continental, e os ingleses do Gloucester, que contam com dois títulos da Challenge Cup, em 2006 e 2015, tidos como as maiores conquistas do tradicional clube do West Country.

 

Muito estará em jogo para ambos. Para o Gloucester, o título colocará os Cherry and Whites como os maiores vencedores da Challenge Cup, ao lado do Harlequins, e manterá vivas as chances do clube ir à próxima Champions Cup, salvando uma fraca temporada na liga nacional. O Gloucester não obteve classificação à Champions Cup via Premiership e, se vencer na sexta-feira, ganhará vaga no mata-mata da Pré Champions Cup, que começa logo na semana seguinte, envolvendo o próprio Stade Français (7º colocado do Top 14 francês), os galeses do Cardiff Blues e os irlandeses do Connacht (7º e 8º colocados do PRO12) e valendo a última vaga em disputa na competição. Caso o Gloucester seja derrotado na final da Challenge Cup, a vaga inglesa na Pré Champions Cup será do Northampton Saints, 7º colocado da Inglaterra.

 

Já o Stade Français joga por algo mais simbólico. Sofrendo financeiramente, o clube de Paris viveu um pesadelo há um mês, quando teve sua fusão com seu rival parisiense Racing anunciada. O caso levou à greve de jogadores e protestos de torcedores, que conquistaram o cancelamento da fusão. Porém, o clube agora busca desesperadamente novos investidores para poder permanecer na elite francesa e europeia. É nesse espírito de renascimento que o segundo maior campeão francês, liderado pelo icônico capitão italiano Sergio Parisse, irá a Edmburgo, sedento por um título que seu torcedor tanto merece e que seus patrocinadores (atuais e futuros) tanto querem.

 

Sibéria na Escócia

Por fim, no sábado, antes da final da Champions Cup, será realizada a decisão da edição inaugural do Continental Shield, a terceira competição da Europa, que terá em campo um clássico nacional russo, entre os dois gigante do país, Enisei e Krasny Yar. Os dois arquirrivais são da cidade siberiana de Krasnoyarsk, capital do rugby russo, e terão a oportunidade de disputarem uma taça continental pela primeira vez. Ninguém vai dormir na Sibéria, pensando no que estiver rolando na Escócia!

 

champions cup

EPCR Champions Cup – Copa Europeia de Rugby

Sábado, dia 13 de maio

Saracens logoversus copiarclermont copy copy

13h00 – Saracens (Inglaterra) x Clermont (França), em Edimburgo (Escócia) – ESPN AO VIVO

 

challenge cup eprc

EPCR Challenge Cup – Copa Desafio Europeu – 2ª copa europeia

Sexta-feira, dia 12 de maio

stade français logo novo copy copy copyversus copiarGloucester copy copy

16h00 – Stade Français (França) x Gloucester (Inglaterra), em Edimburgo (Escócia)

 

EPCR Continental Shield – 3ª copa europeia

Sábado, dia 13 de maio

versus copiar

08h00 – Enisei (Rússia) x Krasny Yar (Rússia), em Edimburgo (Escócia)

 

*Horários de Brasília

 

Foto: Saracens.co.uk – Saracens x Clermont 2015