O Brasil abriu neste sábado sua série de amistosos pela Europa encarando a Alemanha, velha conhecida, em Heidelberg. Os alemães vinham de vitória sobre o Uruguai por 24 x 21 na semana passada, mas os Tupis foram capazes de manter uma partida em absoluto equilíbrio até o fim, obtendo seu melhores resultado diante dos alemães. 16 x 06, com apenas dois tries para os donos da casa.

 

O Brasil começou melhor o duelo pressionando nos minutos iniciais, mas foi a Alemanha quem abriu o placar, com o primeiro try saindo logo aos 8′, com Poppmeier, após as fases. Parkinson ampliaria ainda o marcador a 8 x 0 com penal aos 19′.

 

- Continua depois da publicidade -

Atrás no marcador, mas bem no pack, o Brasil buscou o ataque na base dos chutes de Moisés. Os minutos finais do primeiro tempo foram de pressão brasileiras, com a defesa alemã prevalecendo.

 

A segunda etapa começou positiva para os Tupis, com a Alemanha sendo reduzida a 14 homens por amarelo. Moisés aproveitou para reduzir com penal aos 45′, mas os alemães foram capazes de manter o perigo afastado no período de um homem a menos e o Brasil não capitalizou com tries.

 

Aos 52′, Parkinson respondeu para a Alemanha com penal e aos 59′ quem foi reduzido a 14 jogadores foi o Brasil com amarelo, em momento que se provou decisivo. Com mais espaço, os donos da casa se impuseram na força do pack e Otto cravou o try que abriu 16 x 3 no marcador.

 

A resposta brasileira veio rápido, com penal de Moisés, garantindo minutos finais empolgantes. Os Tupis tiveram suas oportunidades de try no fim, mas a defesa alemã prevaleceu. 16 x 06, fim de papo.

 

Brasil e Alemanha voltarão a se enfrentar no próximo sábado, em Leipzig.

 

alemanha logo aguia16versus(12)06tupi logo

Alemanha 16 x 06 Brasil, em Heidelberg

Árbitro: Iñigo Atorrasagasti (Espanha)

 

Alemanha

 

Tries: Poppmeier e Otto

Conversão: Parkinson (1)

Penais: Parkinson (2)

1 Julius Nostadt (Chambéry, França/3a divisão), 2 Dasch Barber (False Bay, África do Sul/clube amador), 3 Samy Füchsel (Albi, França/2a divisão), 4 Eric Marks (La Rochelle, França/Top14 – intermédia), 5 Michael Poppmeier (Heidelberger RK), 6 Jaco Otto (Heidelberger RK), 7 Adrien Theisinger (sem clube), 8 Jarrid Els (Heidelberger RK), 9 Tim Menzel (Strasbourg, França/4a divisão), 10 Raynor Parkinson (Heidelberger RK), 11 Marvin Dieckmann (RG Heidelberg), 12 Carlos Soteras-Merz (Pforzheim), 13 Marcel Coetzee (Sharks, África do Sul/Currie Cup), 14 Steffen Liebig (Heidelberger RK), 15 Harris Aounallah (Heidelberger RK);

Suplentes: 16 Dale Garner (Heidelberger RK), 17 Jörn Schröder (Heidelberger RK), 18 Chris Howells (1880 Frankfurt), 19 Timo Vollenkemper (Heidelberger RK), 20 Sebastian Ferreira (EP Kings, África do Sul/Currie Cup), 21 Daniel Koch (Germania List), 22 Oliver Paine (Pforzheim), 23 Clemens von Grumbkow (Neuenheim);

 

Brasil

Penais: Moisés (2)

1 Jonatas “Chabal” Paulo (Band Saracens), Yan Rossetti (CUBA – Argentina), 3 Caique Silva (Niterói), 4 Gabriel Paganini (Band Saracens), 5 Lucas “Bruxinho” Piero (Desterro), 6 Cléber “Gelado” Dias (SPAC/Wallys), 7 João Luiz “Ige” da Ros (Desterro), 8 Nick Smith (SPAC) (c), 9 Beukes Cremer (Poli), 10 Guilherme Coghetto (Desterro), 11 Stefano Giantorno (Niterói), 12 Moisés Duque (São José), 13 Felipe Sancery (São José), 14 Mateus Estrela (Niterói), 15 Daniel Sancery (São José);

Suplentes: 16 Daniel “Nativo” Danielewickz (Desterro), 17 Alexandre “Texugo” Figueiredo (Desterro), 18 Wilton “Nelson” Rebolo (São José), 19 Joabe de Souza (Band Saracens), 20 Matheus “Matias” Daniel (Jacareí), 21 Bruno Garcia (Jacareí), 22 Luan Smanio (Desterro), 23 Robert Tenório (Pasteur);

 

Foto: Cristiano Andujar – Fotojump (2015)

4 COMENTÁRIOS

  1. Intervalo de sol na hora do jogo, num dia de chuva. Gramado bem molhado . Dificil correr rapido. Boa defensa brasileira por todo o jogo fora os dois try alemaos.( o primeiro com 4 contra 2 na esquina direita. O segundo um contra-ataque alemao produzindo varias racks ate chegar ao try. Scrum brasileira competitiva e lineout tambem. Cada vez que Brasil abriu uma maul depois de ganhar o lineout os Alemaos caian no chao blocando a maul . O juiz nunca pitou. Faltou um pouco de sorte e na minha opiniao o jogo foi equilibrado . Muito bom n.10. O O team lutou todo o jogo. Alemanha vai ter medo no 2ndo jogo no proximo sabado. Vamos Brasil