Brasil e Portugal são nações irmãs e se enfrentarão nesse sábado, às 13h00, no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, com transmissão ao vivo do Esporte Interativo. Essa será a terceira partida na história entre Tupis e Lobos, a segunda em solo brasileiro, e até hoje foram duas vitórias lusitanas, a última em Portugal, em 2016, por apenas 21 x 17.Os Tupis, no entanto, estão invictos em casa neste ano e só perderam um compromisso no Pacaembu em 2015, para a Alemanha.

O amistoso vale demais para os dois times, pois pontos valiosos no Ranking Mundial estarão em jogo. O Brasil ocupa hoje o 31º lugar do mundo e uma vitória poderá elevar o Brasil até três posições, ganhando 1.2 a 1.8 pontos no Ranking, a depender do placar. Isso significa que o Brasil poderá ultrapassar Coreia do Sul, Suíça e Chile no ranqueamento nesse fim de semana. Já Portugal está em 25º lugar geral e não quer escorregar até o 27º, que poderia ocorrer em caso de insucesso.

A partida ainda será especial porque fará parte das comemorações ao Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. “O Experimenta Portugal traz a São Paulo arte e cultura de expressão portuguesa, procurando reforçar todos os ângulos de intercâmbio entre as duas sociedades num momento de crescente redescobrimento mútuo. Poder realizar um amistoso de rubgy entre os dois países, no Dia de Portugal, num dos estádios mais emblemáticos de São Paulo, é uma enorme alegria”, ressalta Paulo Lourenço, Cônsul Geral de Portugal em São Paulo.

 

- Continua depois da publicidade -

Martim Aguiar, técnico de Portugal, confirmou o XV luso com 9 atletas que começaram jogando contra os Tupis em Coimbra em dezembro passado. A linha é o setor com mais trocas, mantendo apenas a dupla de 9 e 10, o experiente Francisco Pinto Magalhães e o abertura Nuno Penha e Costa, além do centro veterano Tomás Appleton. A ele se somarão os também veteranos Gonçalo Foro, que jogou o Mundial de 2007, e Adérito Esteves, de longa trajetória e que estiveram no primeiro jogo contra o Brasil, em 2013, na Arena Barueri (quando os portugueses triunfaram por 68 x 00). A grande ausência será o fullback José Lima, do Oyonnax, da França, que fez grande partida em Coimbra contra o Brasil.

No pack, as únicas trocas com relação ao encontro de 2016 foram na terceira linha, com os Lobos entrando com João Lino de oitavo, no posto de Pedro Rosa, e com o asa australiano Geordie Mcsullea, ao invés de Maxime Vaz. A batalha nos forwards será crucial, com o Brasil tendo mostrado combatividade no jogo de contato na partida passada.

Rodolfo Ambrosio, técnico dos Tupis, apostou em 7 dos 15 atletas que entraram em campo em Coimbra como titulares para esse sábado. Com relação àquele jogo, na linha permaneceram Daniel e Felipe Sancery, Stefano e Moisés, ao passo que entre os forwards irão encarar Portugal de novo Nick, Paganini e Yan, sendo que Chabal, que foi reserva naquela vez, será titular agora, e Robert, Gelado e Caique, que jogaram o último duelo com os Lobos, serão opção no banco no Pacaembu.

Com relação ao time que bateu o Paraguai há duas semanas, Rodolfo optou por renovar parte do elenco, com 5 trocas. A primeira linha terá a novidade da entrada do jovem pilar Blade no posto de Caique, ao passo que a segunda linha terá Paganini, ao invés de Bruxinho, jogando ao lado de Gelado. A terceira linha também teve a saída de Ige para a entrada de Nick, com Bergo indo para a asa. Ige será arma para o segundo tempo, junto de Matias, apontando para uma renovação que poderá ser crucial no desenrolar do jogo na batalha do breakdown.

Na linha, Rodolfo terá Tanque com a 9, ao invés de Laurent, voltando a colocar em campo juntos os dois pares de irmãos, os Duque e os Sancery, com Josh na 10 e Stefano com a 11. A novidade nos 3/4s será na outra ponta, com Zé ganhando seu espaço no posto que foi de De Wet, agora no banco. A manutenção de 6 nomes na linha mostra que Rodolfo já tem sua formação ideal consolidada e com condições de exercer seu melhor. Contra uma seleção sempre hábil com a bola em mãos, como os Lobos, a linha brasileira será posta à prova, assim como imporá desafio a uma formação com muitos veteranos do lado lusitano.

 

versus copiar

13h00 – Brasil x Portugal, em São Paulo – Esporte Interativo e Brasil Rugby TV – AO VIVO

Ingressos: StubHub

Árbitro: Damian Schneider (Argentina) / Assistentes: Henrique Platais e Ricardo Sant’Anna (Brasil);

Histórico: 2 jogos e 2 vitórias de Portugal. Último jogo: Portugal 21 x 17 Brasil, em 2016;

Brasil: 15 Daniel Sancery, 14 Stefano Giantorno, 13 Felipe Sancery, 12 Moisés Duque, 11 Lucas Tranquez “Zé”, 10 Josh Reeves, 9 Lucas Duque “Tanque”, 8 Nick Smith, 7 Arthur Bergo, 6 André Arruda “Buda”, 5 Gabriel Paganini, 4 Cléber Dias “Gelado”, 3 Matheus Rocha “Blade”, 2 Yan Rosetti (c), 1 Jonatas Paulo “Chabal”;
Suplentes: 16 Endy Willian, 17 Caique Segura, 18 Pedro Bengaló, 19 Matheus Daniel “Matias”, 20 João Luiz da Ros “Ige”, 21 Laurent Bourda-Couhet, 22 Jacobus De Wet, 23 Robert Tenorio;

Portugal: 15 Manuel Cardoso Pinto, 14 Gonçalo Foro (c), 13 Tomás Appleton, 12 José Cabral, 11 Adérito Esteves, 10 Nuno Penha e Costa, 9 Francisco Pinto Magalhães, 8 João Lino, 7 Sebastião Villax, 6 Geordie Mcsullea, 5 Gonçalo Uva, 4 José Andrade, 3 Francisco Bruno, 2 Duarte Diniz, 1 Bruno Medeiros;
Suplentes: 16 João Corte-Real, 17 Nuno Mascarenhas, 18 José Conde, 19 João Granate, 20 Francisco Appleton, 21 Jorge Abecassis, 22 Manuel Queirós, 23 Caetano Castelo Branco;

 

Foto: Luis Cabelo Cabelo

2 COMENTÁRIOS

  1. (agora um comentário nada a ver com nada: a CBRu – um dia quem sabe – podia ficar de olho nos Jogos Indígenas, eles tem umas modalidades de precisão, força e de equipe bem interessantes. Já imaginou formar uma equipe de rugby do Parque do Xingu?! Eu sei que algumas etnias curtem futebol, de repente se houvesse interesse… É cada doideira que eu falo… nem eu acredito) Super trabalho, pessoal!