Diego Gutierrez

A Seleção Brasileira de Rugby começou o Sul-Americano brilhando, com uma grande vitória por 28 x 12 sobre o Chile – a maior da história dos Tupis sobre os Cóndores. O público não compareceu ao Canindé – somente 526 pessoas – mas os Tupis receberam um apoio caloroso da torcida presente e conseguiram se impor do começo ao fim, mostrando superioridade física evidente sobre os andinos – e maior eficiência.

Josh – bem entrosado com Will, em boa dupla de 9 e 10 – inaugurou o marcador para o Brasil logo no começo, com penal aos 3′. Moisés fez boa ação logo na sequência, chutando sem sucesso ao in-goal, não alcançando para o try. Pouco a pouco, o Chile conseguiu acumular posse de bola no ataque e jogou fora 2 penais seguidos com Ianiszewski, que não estava em seu dia. Isso acabou tirando o momento dos Cóndores.

O primeiro tempo foi de muitos erros de mão dos dois lados e de certa indisciplina brasileira, mas as melhores chances foram dos Tupis. Moisés conseguiu bela infiltração, mas o passe final para Paganini não encaixou. Zé também teve seu momento atropelando e colocando o Brasil de novo no ataque. E não tardou para o Brasil conseguir seu try, com Felipe Sancery armando lindo offload para Moisés guardar. 8 x 0, na velocidade e eficiência da linha verde e amarela. 8 x 0.

Os Tupis cresceram e o pack falou alto, com Matheus Cláudio ganhando no impacto e Jardel cravando o segundo try dos Tupis, para o delírio da torcida, aos 35′. 15 x 00 imponentes dos Tupis no intervalo.

- Continua depois da publicidade -

O Brasil começou com chances de ampliar na segunda etapa, com Josh perdendo penal que não era difícil. Mas o volume de jogo era dos Tupis e o try não tardou, com Sancery fazendo linda jogada e servindo Zé para a corrida. 22 x 00.

O Chile não estava morto e Perrotta devolveu os Cóndores ao embate com uma interceptação de passe de Will no meio campo. Os chilenos cresceram, passaram a ter mais posse de bola, recusaram chutar penal aos postes e foram premiados com o segundo try, de novo com Perrotta, na base do pick and go.

Porém, os Tupis souberam controlar a diferença. O Brasil manteve a bola no ataque nos últimos minutos e arrancou 2 penais para Josh assegurar a vitória. No fim, o scrum brasileiro teve a chance atropelando o chileno, mas o try do bônus não saiu, com o lance sendo invalidado. 28 x 12, números finais para os Tupis, que mantiveram a invencibilidade em casa contra os Cóndores desde 2005.

Nos demais jogos, Paraguai e Colômbia estrearam com derrotas para Argentina XV e Uruguai XV. Os paraguaios fizeram jogo parelho no início contra os argentinos, mas acabaram sendo dominados no fim: 64 x 03. Já os colombianos conseguiram um jogo ainda mais parelho contra o time de desenvolvimento do Uruguai, que triunfou em Medellín por somente 26 x 05, em partida apitada pelo árbitro brasileiro Henrique Platais.

 

28versus copiar12

Brasil 28 x 12 Chile, em São Paulo

Árbitro: Joaquín Montes (Uruguai) / Auxiliares: Murilo Bragotto (Brasil) e Victor Hugo Barboza (Brasil)

Brasil

Tries: Moisés, Jardel e Zé

Conversões: Josh (2)

Penais: Josh (3)

15 Lucas “Zé” Tranquez, 14 Stefano Giantorno, 13 De Wet Van Niekerk, 12 Moisés Duque, 11 Felipe Sancery, 10 Josh Reeves, 9 Will Broderick, 8 Matheus Augusto, 7 Arthur Bergo, 6 João Luiz “Ige” da Ros, 5 Gabriel Paganini, 4 Mauri Canterle, 3 Jardel Vetoratto, 2 Yan Rosetti (c), 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 Endy Willian, 17 Wilton “Nelson” Murilo Rebolo, 18 Caique Silva Segura, 19 Matheus “Blade” Rocha, 20 Michael “Ilha” de Moraes, 21 Daniel “Maranhão” Lima, 22 Robert Tenório, 23 Ariel Rodrigues;

Chile

Tries: Perrotta (2)

Conversão: Ianiszewski (1)

15 Tomás Ianiszewski, 14 Lucas Westcott, 13 José Ignacio Larenas (c), 12 Francisco de la Fuente, 11 Ítalo Zunino, 10 Rodrigo Fernández, 9 Beltrán Vergara, 8 Ignacio Silva, 7 Anton Petrowitsch, 6 Javier Richard, 5 Mario Mayol, 4 Pablo Huete, 3 José Tomás Munita, 2 Tomás Dussaillant, 1 Oliver Thompson;

Suplentes: 16 Rodrigo Moya, 17 Sebastián Otero, 18 Lucas Bordigoni, 19 Martín Sigren, 20 Alfonso Escobar, 21 Juan Pablo Perrotta, 22 Pedro Verschae, 23 Lucca Avelli;

 

05versus copiar26

Colômbia 05 x 26 Uruguai XV, em Medellín

Árbitro: Henrique Platais (Brasil)

 

03versus copiar64

Paraguai 03 x 64 Argentina XV, em Assunção

Árbitro: Frank Méndez (Chile)

 

SeleçãoApelidoPtsJVED4+7-PPPCSP
BrasilTupis133300101315081
Argentina XVArgentina XV1132012116154107
ChileCóndores932011014732115
Uruguai XVUruguai XV63102116191-30
ParaguaiYakarés431020031189-158
ColômbiaTucanes130030136121-85
- Vitória por 3 tries ou mais de diferença = 5 pontos
- Vitória com menos de 3 tries de diferença = 4 pontos
- Empate = 2 pontos
- Derrota por 7 pontos ou menos de diferença = 1 ponto
- Derrota por mais de 7 pontos de diferença = 0 pontos