Em 2013, na primeira vez que Brasil e Portugal se enfrentaram na história do rugby, em Barueri, a vitória havia sido dos Lobos, 68 x 0. Três anos se passaram e o Brasil retribuiu a visita indo a Coimbra nesta quinta-feira. O resultado, todavia, foi muito diferente, provando a evolução dos Tupis. 21 x 17 a favor de Portugal, com o Brasil flertando com a vitória no fim. Assim se encerrou a primeira gira brasileira pela Europa na história da seleção de XV, com o técnico Rodolfo Ambrosio experimentando opções para seu elenco que disputará a partir de fevereiro o Americas Rugby Championship novamente.
Veja as fotos da partida, por Tárlis Schneider, da Acurácia Fotojornalismo!

A partida no Estádio Municipal de Taveiro começou boa para os Tupis, com Moisés aproveitando bem o primeiro penal, aos 3′, colocando 3 x 0 a favor do Brasil. A resposta portuguesa foi rápida, com contra golpe em velocidade detido por Robert, que apanhou chute sob pressão nas 22 e se saiu bem.

 

O Brasil começava a partida combativo nos rucks e muito bem na defesa, fazendo com que Portugal tivesse sua primeira chance de pontuar somente aos 14′, com penal que José Lima – profissional do Oyonnax, da 2ª divisão da França, formado no rugby de clubes português – que acertou a trave. E logo o Brasil puniria os Lobos pelo erro. Aos 19′, Daniel Sancery foi muito inteligente, cobrando rápido um lateral para seu irmão Felipe, que arrancou para o primeiro try brasileiro sobre os lusos. 10 x 00, para assustar a torcida da casa, que preencheu a arquibancada do pequeno mas aconchegante estádio.

- Continua depois da publicidade -

 

A vantagem brasileira no jogo teria tempo contado, com Portugal impondo seu jogo de velocidade na segunda metade do primeiro tempo. Aos 23,’ o jogo fluido dos Lobos saiu, com Appleton largando offload para Lima cravar o primeiro try dos Lobos na ponta. A conversão, no entanto, não foi feliz, e o placar foi a 10 x 05.

 

A réplica brasileira veio apostando na força do pack, com lateral seguido de maul nas 22 dos rubroverdes, que resistiram e quando voltaram ao ataque conquistaram penal importante, que Lima chutou para colocar vantagem mínima de 10 x 8 para os brasileiros. E a virada ainda viria pouco antes do intervalo, novamente pelos pés de Lima em penal, levando a peleja em 11 x 10 aos vestiários.

 

Na retomada das ações no segundo tempo, quem deu as cartas foi Portugal, com um try logo nos instantes iniciais, com contra golpe conduzido na velocidade de Lima, que serviu o abertura Nuno Penha Costa, muito bem no apoio. O Brasil buscou responder novamente apostando na arma do pack, usando a força de seu scrum para levar perigo, mas sem sucesso, pois os Lobos souberam neutralizar as formações brasileiras. Somente aos 60′ os Tupis levaram real perigo novamente, com Gelado rompendo a linha em velocidade e conduzindo o Brasil adiante, mas os passes não encaixaram na sequência.

 

A reação brasileira se esfriou aos 63′ com amarelo para Matias. Lima aproveitou bem o penal e abriu vantagem confortável para os portugueses, que se provou determinante. 21 x 10. Mas, os Tupis ainda tinham fôlego e recobraram as esperanças nos 10 minutos finais, quando Pedro Rosa (português) recebeu amarelo, aos 71′. A pressão brasileira no fim fez o jogo ferver, com os Tupis apostando em lateral após penal, e não em 3 pontos. A aposta vingou. O Brasil ganhou novo penal no centro e Beukes foi esperto, cobrou rápido e deixou para Moisés cruzar o in-goal, fazendo o segundo try brasileiro, que deixou os Tupis a um try da vitória.

 

O tempo esquentou nos minutos finais, com Bruxinho e Gonçalo Uva recebendo amarelo para cada lado. Depois, ainda Portugal teve mais um amarelo, mas amarrou o jogo e não deu espaços para o Brasil tentar a virada. Placar final de 21 x 17 para os Lobos, que agora pensam no ano que vem, quando em fevereiro e março buscarão vencer o Rugby Europe Trophy (o “Six Nations C”) para retornarem ao Rugby Europe Championship (o “Six Nations B”) e se manterem no páreo das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2019.

 

portugal rugby logo21versus(12)17tupi logo

Portugal 21 x 17 Brasil, em Coimbra

Árbitro: Vlad Iordachescu (Romênia)

 

Portugal

Tries: José Lima e Nuno Penha Costa

Conversões: José Lima (1)

Penais: José Lima (3)

15 José Lima (Oyonnax, França), 14 Pedro Silvério (Direito), 13 Tomás Appleton (CDUL), 12 Vasco Ribeiro (Agronomia), 11 Duarte Moreira (Belenenses), 10 Nuno Penha Costa (CDUL), 9 Francisco Pinto Magalhães (c) (CDUL), 8 Pedro Rosa (Direito), 7 Sebastião Villax (CDUL), 6 Maxime Vaz (Clermont, França – intermédia), 5 Gonçalo Uva (Direito), 4 João Lino (CDUL), 3 Franciso Bruno (Direito), 2 Duarte Diniz (Direito), 1 Bruno Medeiros (CDUL);

Suplentes: 16 João Vasco Corte-Real (CDUP), 17 Duarte Foro (CDUL), 18 José Conde (Cascais), 19 José Fino (Belenenses), 20 Miguel Macedo (CDUP), 21 João Belo (CDUL), 22 Manuel Vilela Pereira (Direito), 23 Duarte Marques (Técnico);

 

Brasil

Tries: Felipe Sancery e Moisés Duque

Conversões: Moisés Duque (2)

Penais: Moisés Duque (1)

15 Daniel Sancery (São José), 14 Robert Tenório (Pasteur), 13 Felipe Sancery (São José), 12 Luan Smanio (Desterro), 11 Stefano Giantorno (Niterói), 10 Moisés Duque (São José), 9 Beukes Cremer (Poli), 8 Nick Smith (c) (SPAC), 7 João Luiz “Ige” da Ros (Desterro), 6 Matheus “Matias” Daniel (Jacareí), 5 Gabriel Paganini (Band Saracens), 4 Lucas “Bruxinho” Piero (Desterro), 3 Flávio Chuahy (Madison United, Estados Unidos), 2 Yan Rosetti (CUBA, Argentina), 1 Alexandre “Texugo” Figueiredo (Desterro);

Suplentes: 16 Daniel “Nativo” Danielewicz (Desterro), 17 Jonatas “Chabal” Paulo (Band Saracens), 18 Caique Silva (Niterói), 19 Cléber “Gelado” Dias (SPAC e Wallys), 20 Joabe de Souza (Band Saracens), 21 Bruno Garcia “Bruninho” (Jacareí), 22 Mateus Estrela (Niterói), 23 Guilherme Coghetto (Desterro);

Foto: CBRu – Facebook

1 COMENTÁRIO