ARTIGO COM VÍDEO – Na última terça-feira, a Confederação Brasileira de Rugby realizou sua tradicional reunião anual com os patrocinadores, aberta sempre à imprensa, onde ela faz o balanço de seu último ano e apresenta seus planos futuros.

A entidade apresentou desta vez seu plano de criar ainda no ano que vem uma franquia brasileira para disputar a Currie Cup, o Campeonato Sul-Africano. A proposta é seguir os passos feitos pela Argentina, que teve uma equipe, o Pampas XV, embrião dos atuais Jaguares, disputando a Vodacom Cup sul-africana entre 2010 e 2013 (sendo campeão em 2011).

A entrada brasileira não está certa ainda, com as negociações em andamento, de acordo com Agustín Danza, CEO da CBRu, mas já é uma possibilidade real de acontecer para 2018.

No ano passado, a CBRu já havia revelado sua intenção de pleitear a entrada brasileira no Super Rugby.

Metas para Tupis e Yaras seguem

- Continua depois da publicidade -

A CBRu ainda reiterou suas metas para as seleções nacionais, que seguem as apresentadas no ano passado. São elas: alcançar a classificação à Copa do Mundo de 2023 para o XV masculino, e retornar à elite da Série Mundial de Sevens e se classificar aos Jogos Olímpicos de 2020 para o sevens feminino. A seleção de sevens masculina não foi comentada.

 

Resultados no M20 não são meta

Sobre a Seleção Brasileira M20, a CBRu deixou claro que não tem metas quanto aos resultados da equipe, não tendo como objetivo prioritário se classificar para o Mundial da categoria. O investimento no M20 segue, mas para a entidade o objetivo do M20 é formar atletas para a seleção adulta, mantendo essa filosofia no trabalho junto da categoria.

 

A Currie Cup

A Currie Cup é uma competição profissional que está abaixo do Super Rugby (e agora do PRO14) na hierarquia do rugby sul-africano. Trata-se da competição mais antiga da África do Sul, iniciada em 1892, e envolve as seleções provinciais do país, as quais se tornaram equipes profissionais em 1996.

Até 2015, a África do Sul dividia sua temporada entre o Super Rugby, no primeiro semestre, envolvendo os melhores atletas do país, e a Currie Cup, no segundo semestre, envolvendo os jogadores do Super Rugby e atletas profissionais que não disputaram o Super Rugby, excluindo apenas os jogadores convocados pelos Springboks para a disputa do Rugby Championship, jogado em paralelo à Currie Cup.

No primeiro semestre, era disputada a Vodacom Cup, pelas mesmas equipes que disputam a Currie Cup, mas sem os atletas do Super Rugby, servindo de laboratório para os atletas que aspiravam chegar à Currie Cup. Em 2016, a Vodacom Cup foi extinta e substituída em 2017 pelo Super Challenge, uma competição de desenvolvimento com a mesma função.

Hoje, a Currie Cup conta com 15 equipes separadas em duas divisões, disputadas em julho a outubro. A primeira divisão é a Premier Division, tem as 7 melhores equipe do país, ao passo que a First Division, com 8 times (incluindo uma equipe da Namíbia), é a segunda divisão. O modelo de disputas para 2018 não foi ainda anunciado, uma vez que poderá sofrer alterações. Isso porque a África do Sul passou a contar com 2 equipes no PRO14 (Cheetahs e Kings), competição europeia disputada de setembro e maio.

 

Vídeo e foto: José Guilherme Taveira