Sábado o Brasil irá encarar pela primeira vez em sua história a Romênia, seleção que jogou todas as edições da Copa do Mundo até hoje. O jogo será no estádio Arco do Triunfo, a casa do rugby romeno, em Bucareste, e encerrará os amistosos de meio de ano dos Tupis. O desafio é grande, pois os Stejarii (“Carvalhos”, como são conhecidos os romenos) ´são os atuais campeões do Rugby Europe Championship (o “Six Nations B”) e ocupam hoje o 16º lugar no Ranking do World Rugby, ao passo que o Brasil está em 29º.

Após a grande vitória brasileira sobre Portugal no último dia 10, o comentário no estádio do Pacaembu era de que se o Brasil quer ir à Copa do Mundo em 2023 ele precisa desde já ter uma rotina de jogos contra seleções que estão sempre nos Mundiais, saindo apenas dos jogos dentro das Américas. Para os romenos, o comentário na coletiva de imprensa foi de cautela, com o técnico galês do país Lynn Howells deixando claro que está ciente das vitórias recentes dos Tupis sobre Estados Unidos e Canadá.

Para o desafio em Bucareste, o técnico Rodolfo Ambrosio escalou um elenco dos Tupis forte e experimentado, com 21 jogadores que derrotaram Portugal. No XV titular, foram somente 4 trocas com relação ao jogo contra os Lobos lusos. No pack, Blade deixou a camisa 3 para Pedrinho Bengaló, ao passo que Nick foi para o banco, com Ige voltando à titularidade, mas na asa. Será Bergo que vestirá a 8 que foi de Nick. Já na linha, as duas pontas foram mudadas, com as saídas de Zé e Stefano para as entradas de De Wet e Laurent.

Os Stejarii, por sua vez, venceram o Canadá em solo canadense por 25 x 09 no sábado passado e chegam embalados para o duelo com o Brasil. O time mescla atletas que atuam no rugby francês e jogadores do campeonato local, que é já 100% profissional e inclui atletas das Ilhas do Pacífico naturalizados romenos para reforçarem a linha do país, tradicionalmente o ponto fraco da seleção, famosa por seu poderoso pack de forwards e pelo jogo de muito contato físico.

- Continua depois da publicidade -

O XV titular da Romênia teve 2 trocas na linha, com a saída do excelente abertura Florin Vlaicu, chutador mais perigoso do time e do ponta Dumitru para as entradas do fullback Marius Simionesuc e do ponta inglês Jack Cobden. O neozelandês Luke Samoa, que jogou de 15 contra o Canadá, será o abertura desta vez. Já no pack, o asa Gorcioaia, do Massy, campeão da 3ª divisão francesa, ocupará o lugar de Lucaci, ao passo que Antonescu, do Colomiers, da segunda francesa, entrará na segunda linha no posto de Poparlan. Por fim, o hooker Tusashvili dará lugar a Radoi. Trata-se de um elenco forte da Romênia, que não parece subestimar o Brasil para a partida.

A preocupação brasileira será jogar de igual para igual com o pack romeno, que neste mesmo ano foi capaz de se igualar aos georgianos e vencer o poderoso oponente. Será uma verdadeira prova de fogo para os Tupis, que, por outro lado, após o brilhante fim de jogo contra Portugal, sabem que têm um jogo de mãos capaz de levar muitos problemas para os Carvalhos. A vitória passará por um jogo perfeito do Brasil e, se ocorrer, será talvez a maior da história dos Tupis.

 

romêniaversus copiar

13h00 – Romênia x Brasil, em Bucareste – Brasil Rugby TV AO VIVO

Árbitro: Dan Jones (Gales)

Romênia: 1 Ionel Badiu (Carcassonne, França/2ª divisão), 2 Andrei Radoi (Timisoara Saracens), 3 Andrei Ursache (Carcassonne, França/2ª divisão), 4 Johannes Van Heerden (Stiinta Baia Mare), 5 Marius Antonescu (Colomiers, França/2ª divisão), 6 Andrei Gorcioaia (Massy, França/3ª divisão), 7 Vlad Nistor (Albi, França/2ª divisão), 8 Mihai Macovei (C) (Colomiers, França/2ª divisão), 9 Florin Surugiu (Steaua Bucuresti), 10 Luke Samoa (Stiinta Baia Mare), 11 Jack Cobden (CSM Bucuresti), 12 Sione Fakaosilea (Stiinta Baia Mare), 13 Paula Kinikinilau (CSM Bucuresti), 14 Fonovai Tangimana (Timisoara Saracens), 15 Marius Simionesuc (Timisoara Saracens);

Suplentes: 16 Ovidiu Cojocaru (CSM Baia Mare), 17 Constantin Pristavita (Stiinta Baia Mare), 18 Alexandru Gordas (CSA Steaua), 19 Valentin Poparlan (Timisoara Saracens), 20 Viorel Lucaci (Steaua Bucuresti), 21 Tudorel Bratu (Dinamo Bucuresti), 22 Florin Vlaicu (Steaua Bucuresti), 23 Ionut Dumitru (Steaua Bucuresti);

Brasil: 1 Jonatas “Chabal” Paulo (Band Saracens), 2 Yan Rosetti (C) (CUBA, Argentina), 3 Pedro Bengaló (Desterro), 4 Cléber “Gelado” Dias (Poli), 5 Gabriel Paganini (Band Saracens), 6 João Luiz “Ige” Da Ros (Desterro), 7 Arthur Bergo (SPAC), 8 André “Buda” Arruda (Desterro), 9 Lucas “Tanque” Duque (São José), 10 Josh Reeves (Jacarei), 11 Jacobus De Wet (Poli), 12 Moisés Duque (São José), 13 Felipe Sancery (São José), 14 Laurent Bourda-Couhet (Band Saracens), 15 Daniel Sancery (São José);

Suplentes: 16 Endy Willian (Curitiba), 17 Lucas Abud de Andrade (Poli), 18 Matheus “Blade” Rocha (Jacarei), 19 Matheus Wolf (Joaca), 20 Nick Smith (SPAC), 21 Matheus “Matias” Daniel (Jacarei), 22 Robert Tenorio (Pasteur), 23 Guilherme Coghetto (Desterro);

 

Foto: FRR