ARTIGO COM VÍDEO – Mais um tabu caiu. Pela primeira vez na história, a Seleção Brasileira derrotou o Chile em solo chileno, em duelo dramático neste sábado na primeira rodada do Americas Rugby Championship no Estadio de La Pintana, em Santiago. Os Tupis foram superiores, complicaram-se no fim, mas asseguraram um triunfo importante por 16 x 14, que deverá colocar o Brasil acima do Chile no Ranking Mundial – a ser confirmado na segunda-feira.

As equipes fizeram um jogo bem equilibrado em seu início. O Brasil marcava bem e pressionava o Chile. Mas, em um contra-ataque, aos 9′, Josh Reeves comete penal para evitar que o Chile anotasse seu primeiro try. A arbitragem marcou penal try de Josh e o Chile saiu na frente por 7 x 0.

Aos 16′, os Tupis aproveitaram uma oportunidade que exigiu bem da habilidade de chutes de Josh Reeves: um penal ainda no campo de defesa do Brasil que o chutador do Brasil não desperdiçou, reduzindo a 7 x 3. O Brasil passou a acumular volume de jogo, usar chutes táticos e ganhar território, mas os Cóndores se mantiveram sólidos atrás. Em um contra-ataque de Laurent e Moisés, o Brasil ficou próximo da linha de ingoal do Chile. E, logo depois, aos 30′, em em jogada iniciada num lateral, Jardel Vettorato anotou o primeiro try do Brasil na partida. Com a conversão de Josh Reeves. Tupis na frente no intervalo, 10 x 07.

- Continua depois da publicidade -

O segundo tempo começou perfeito para o Brasil, com Josh arrematando certeiro penal aos 44′, abrindo 13 x 07 no marcador e impondo aos andinos a necessidade do try. O volume de jogo brasileiro cresceu, com os Tupis levando superioridade nas formações e no jogo de conta. Aos 54′, a linha brasileira funcionou, com bola troca de passes, levando os Tupis até o campo ofensivo, resultado em precioso penal ganho. Josh foi perfeito e o Brasil abriu mais de um try de frente, que se provaria crucial ao final do embate.

 

Contudo, os Cóndores estavam ainda dando seus voos. Aos 63′, a linha vermelha funcionou com a entrada de seus reservas. Pizarro quebrou a linha brasileira e serviu com offload Vergara, que apoiou bem e entregou para Garafulic finalizar o try chileno. 16 x 14, com os donos da casa vivos.

Entretanto, os Tupis provaram maturidade. O Brasil, com um forte trabalho físico, soube manter o nível até o fim, não diminuiu sua intensidade e conseguiu se manter firme defensivamente. O lance central veio aos 71′, com Buda arrancando um turnover em momento no qual o Chile parecia crescer. O Brasil manteve a bola no campo ofensivo e arrancou um último penal com o tempo encerrado. Josh chutou para fora, mas o lance já não importava, pois o tempo estava encerrado, sem chances de vitória chilena. Brasil 16 x 14!

Na sexta-feira que vem, os Tupis receberão no Pacaembu o Uruguai, ao passo que o Chile irá à Argentina.

 

14versus copiar16

Chile 14 x 16 Brasil, em Santiago

Árbitro: Pablo de Luca (Argentina) / Assistentes: Tomás Fernández (Chile) e Tomás Covarrubias (Chile) / TMO: Marcelo Pilara (Argentina)

Chile

Try: Penal try e Garafulic

Conversões: Ianiszewski (1)

15 Tomás Ianiszewski, 14 Mauricio Urrutia, 13 José Ignacio Larenas, 12 Francisco de la Fuente, 11 Italo Zunino, 10 Santiago Videla, 9 Juan Pablo Perrotta, 8 Benjamin Soto, 7 Alfonso Escobar, 6 Javier Richard, 5 Mario Mayol, 4 Nikola Bursic, 3 José Tomás Munita, 2 Tomás Dussaillant, 1 Vittorio Lastra;

Suplentes: 16 Ignacio Guajardo, 17 Sebastián Otero, 18 Marco Díaz, 19 Manuel Dagnino, 20 Nicolás Garafulic, 21 Beltrán Vergara, 22 Benjamín Pizarro, 23 Lucca Avelli;

 

Brasil

Tries: Jardel

Conversões: Josh (1)

Penais: Josh (3)

15 Lucas “Zé” Tranquez, 14 Lucas Muller, 13 Felipe Sancery, 12 Moisés Duque, 11 De Wet Van Niekerk, 10 Josh Reeves, 9 Laurent Bouda-Couhet, 8 André “Buda” Arruda, 7 Cléber “Gelado” Dias, 6 Arthur Bergo, 5 Lucas “Bruxinho” Piero, 4 Gabriel Paganini, 3 Jardel Vettorato, 2 Yan Rosetti (c), 1 Lucas Abud;

Suplentes: 16 Angelo Marcucci, 17 Michel “Vanzinha” Olimpo, 18 Wilton “Nelson” Rebolo, 19 Diego Lopez, 20 Matheus “Matias” Daniel, 21 Will Broderick, 22 Robert Tenorio, 23 Ariel Rodrigues;

EquipeApelidoPJVED4+-7PPPCSP
Estados UnidosEagles14330020913358
ArgentinaArgentina XV113201211014655
UruguaiTeros932011082811
CanadáCanucks6310220847212
BrasilTupis43102003986-47
ChileCóndores130030139118-79
- Vitória = 4 pontos;
- Empate = 2 pontos;
- Derrota = 0 pontos;
- Anotar 4 ou mais tries = 1 ponto extra;
- Perder por 7 pontos ou menos de diferença = 1 pontos extra;

Foto: Brasil Rugby

6 COMENTÁRIOS

  1. O Mais importante é a consistência, que vem crescendo lentamente, mas jogo a jogo. Bela vitória, belo trabalho. A seleção precisa continuar nessa linha de trabalho e a CBRu a pensar em estratégias para criar campeonatos mais fortes e competitivos. Dai chegaremos ao nível do Uruguai muito mais rápido. Valeu tupizada!

  2. Tudo é uma questão de processos. Aos poucos, o Brasil está crescendo dentro da América do Sul. É importante que o Brasil comece a “fixar” vitórias contra o Chile para, depois disso, almejar o mesmo nível do Uruguai, algo que é bom já se planejar para os próximos 10 anos (outro processo). Temos que ser cautelosos. Não podemos pular etapas. Naturalmente vamos crescendo no cenário internacional e alcançando melhores posições no ranking mundial. Ainda é cedo para dizer que o Sudamericano Mayor A está no mesmo nível do Six Nations B.