O Brasil recebeu o Uruguai em Volta Redonda (RJ) para o primeiro de dois amistosos nesse fim de ano, que marcam o início do trabalho de Rodolfo Ambrosio à frente dos Tupis. Do outro lado, um time de desenvolvimento do Uruguai, todos querendo mostrar serviço para o treinador Pablo Lemoine na reta final para o Mundial 2015 e tentando um lugar no forte grupo dos Charruas que vai para a Inglaterra. Com pouco treino e muito nervosismo, o Brasil acabou derrotado e segue a marca de cinquenta anos sem superar seus vizinhos do Sul no Rugby.

 Os Tupis começaram bem, dominando o scrum, mas com muitos erros de handling, que viriam pontuar toda partida, mataram os avanços do Brasil. As equipes se revezaram nas posses de bola, mas o jogo saiu truncado no começo. A primeira boa oportunidade do Brasil veio com Pedro Lopes, em corrida pela direita, mas que não teve continuidade, o apoio demorou a alcançar o jogador. Mesmo assim, na sequência, Pedro di Pilla recebeu a bola no fundo e armou um lindo drop goal quase do meio de campo, abrindo o placar. Os Charruas não se abateram e em seu ataque seguinte, viraram o jogo, com Ardao anotando seu primeiro try do dia recebendo bom passe de Serrato, depois de escapar da marcação adversária.

O Brasil cometia muitos penais sobretudo nas formações móveis, e o Uruguai apostava nos lineouts para avançar. E assim saiu o segundo try, depois da bola percorrer a linha até a ponta e Soto apoiar no ingoal. Os chutes do abertura Blengio não entraram e manteve o Brasil próximo no placar, com Rodox diminuindo com um penal bem cobrado. O jogador que atuou de ponta (no Desterro é abertura) ainda desperdiçou um segundo penal dessa vez quase do meio de campo que incendiaria a partida. Assim como no primeiro tento uruguaio, o troco não demorou e depois de muita pressão nos forwards, com direito a um scrum na linha de 5m e um try incorretamente anulado pelo árbitro, Ardao fez o seu segundo do dia,  após Blengio abrir rapidamente até a ponta onde haviam espaços para subir, fechando a etapa inicial.

- Continua depois da publicidade -

O calor forte que fazia na cidade fluminense impactou o desempenho dos atletas que diminuiram o ritmo na segunda etapa. O Uruguai estava melhor fisicamente e usou isso ao seu favor para ampliar. após um lineout, os Charruas fizeram um grande maul e empurraram os Tupis para dentro do ingoal, fazendo 20 a 6, novamente com Soto. O excesso de infrações cometidas pelo Brasil deixou o abertura uruguaio irritado, e após contestar o árbitro, foi justamente punido com cartão amarelo. O Brasil não conseguiu aproveitar a superioridade numérica, pois minutos depois, Pedro Rosa recebeu a mesma punição por mais um penal.

Já com os jogadores de volta, o Brasil teve sua melhor chance no segundo tempo, com boa subida de Beukes e Rodox, tirando o jogo da intermediária até os 5m finais. O pack brasileiro era melhor, mas não conseguiu manter a posse e os Tupis não conseguiram converter mais um ataque. O Uruguai por sua vez, voltou ao ataque, e com calma trabalhou bem a bola e Rodrigo Silva, habilidoso fullback, fintou o marcador e apoiou no ingoal, fazendo 25 a 6, dando números finais a partida.

“Hoje foi um dia de muitas novidades para nosso time, com novo técnico, e foi bom para entendermos o que precisa melhorar. Precisamos trabalhar duro, faltou um pouco de físico, já que criamos muitas oportunidades, cinco, seis chances de fazer try, mas não conseguimos finalizar”, definiu Beukes Cramer, sul-africano naturalizado brasileiro, após a partida.

Com apenas dois treinos, o novo treinador Rodolfo Ambrosio pôde experimentar alguns jogadores, alguns até em posições diferentes das que atuam em seus clubes, e suas missões de curto prazo consistem em melhorar o setor defensivo do Brasil, e corrigir os fundamentos técnicos dos jogadores. Erros excessivos como os vistos nessa partida não podem ocorrer no alto rendimento se o Brasil tiver ambições de fazer um bom papel no Sul-Americano em 2015.

O Portal do Rugby elegeu Diego Ardao como melhor jogador da partida.

 

 (06) 06versus copiar25 (15)

Arbitragem: Henrique Platais; Marcel Santo e Braz Magaldi (auxiliares); e Marcelo Toscano (vídeo) 

Estádio Raulino de Oliveira – Volta Redonda, RJ

 

Brasil

Penal: Rodox

Drop Goal: Pedro di Pilla 

 

Uruguai

Tries: Ardao (2), Soto (2), Silva

Brasil: 1 Chabal, 2 Nativo (capitão), 3 Jardel, 4 Rosa, 5 Bruxinho, 6 Diogo, 7 Ilha, 8 Nick, 9 Beukes, 10 Di Pilla, 11 Rivaldo, 12 Pedrinho, 13 Duka, 14 Rodox, 15 Coghetto, 16 Luan, 17 Vitão, 18 Monstro, 19 Ige, 20 Grilo, 21 Bruno Silva, 22 Estrela, 23 Manteigão.

Uruguai: 1 De Mula, 2 Kessler, 3 Arboleya, 4 Soto, 5 Dotti, 6 Ardao, 7 Beer, 8 Braun, 9 Lijtenstein 10 Blengio, 11 Pena, 12 Román, 13 Serrato, 14 Misso, 15 Silva, 16 Gattas, 17 Sanguinetti, 18, Gimenez, 19 Zerbino, 20 Etcheverry, 21 Segredo, 22 Klappenbach, 23 Arata.