Brasil contra a Inglaterra no Canada Sevens. Foto: Mike Lee - KLC fotos for World Rugby

Chegou a hora! Cinco anos depois de sua última edição, a Copa do Mundo de Rugby Sevens volta com São Francisco, nos Estados Unidos, recebendo entre sexta (dia 20) e domingo (dia 22) a 7ª edição da agora segunda mais importante competição de sevens do planeta – abaixo apenas dos Jogos Olímpicos. O palco será o estádio de beisebol AT&T Park, do San Francisco Giants, que viverá as emoções de um torneio totalmente remodelado, com formato novo – mata-mata do início ao fim!

As prévias do Portal do Rugby começam hoje com o torneio feminino, que terá participação das Yaras – é o Brasil pela terceira vez na Copa do Mundo! – e será disputado na sexta e terá sua grande final no sábado, dia 21.

Na terça-feira será a vez de passar a limpo o torneio masculino, que será jogado da sexta ao domingo, dia 22.

Onde o torneio será transmitido? A informação será confirmada ao longo da semana.

- Continua depois da publicidade -

 

Formato novo!

Mais simples impossível:

  • O Torneio Feminino da Copa do Mundo terá 16 seleções e começará na fase das oitavas de final;
  • As equipes vencedoras das oitavas de final avançarão às quartas de final – e assim por diante;
  • As equipes perdedoras das oitavas jogarão as quartas do Challenge Trophy, a competição pelo 9º lugar;
  • E o que ocorre em caso de empate? Prorrogação com ponto de ouro! São 5 minutos por tempo extra;

 

Favoritismo?

O mata-mata direto não deixa qualquer margem a erros. Com isso, as surpresas poderão acontecer, já que para ser campeão é precisa vencer apenas 4 jogos. Mas, dentro da normalidade, quais os prognósticos?

  • Nova Zelândia (atual campeã da Copa do Mundo e dos Jogos da Commonwealth e vice campeã da Série Mundial de Sevens 2017-18) e Austrália (campeã olímpica de 2016 e atual campeã da Série Mundial de Sevens) só poderão se encontrar na final;
    • As duas seleções decidiram entre si 3 das 5 etapas da última Série Mundial, além do Rio 2016 e da última Copa do Mundo;
    • Nos confrontos recentes, no entanto, a Nova Zelândia conquistou uma sequência impressionante de vitórias, vencendo os últimos 4 confrontos. A última vitória australiana foi em casa em janeiro;
  • No caminho da Nova Zelândia à final estão Estados Unidos (5ª do mundo), Rússia (6ª), Inglaterra (8ª) e Irlanda (10ª);
    • Jogando casa, os Estados Unidos são reais candidatas a irem a uma final, ainda mais com um percurso acessível até as semifinais. As Águias oscilaram ao longo da temporada, mas tiveram um vice em Dubai 2017 animador;
    • O duelo com a China na largada não será fácil para os EUA, pois as chinesas estão em ascensão após ganharem o Hong Kong Sevens;
    • A Rússia é concorrente dos EUA. Apesar de ter vivido queda livre na temporada por causa de desfalques, o time que irá ao Mundial é forte, com a volta de Khamidova;
    • A Inglaterra também não fez boa temporada, mas pode surpreender em tiro curto;
  • No caminho da Austrália à final estão França (3ª do mundo em 2018), Canadá (4ª), Espanha (7ª) e Fiji (8ª), além do Brasil;
    • Canadá e França se confirmaram como as seleções mais capazes de derrubarem australianas ou neozelandesas;
    • As canadenses viveram oscilações ao longo da temporada e não têm mais a mesma força de 2016, quando foram bronze no Rio;
    • Já as francesas estão em plena ascensão e aparecem como a terceira força do mundo;
  • Os elencos são baseados nas atletas utilizadas na Série Mundial de Sevens 2017-18. Olhos para:
    • Portia Woodman e Michaela Blyde na Nova Zelândia, artilheira e vice artilheira de tries, melhores do mundo nos últimos dois anos.
    • Charlotte Caslick, líder da campanha olímpica australiana, e Emma Tonegato, artilheira da Austrália na Série Mundial;
    • Camille Grassineau, da França, Chiharu Nakamura, do Japão, Alena Mikhaltsova, da Rússia, Alev Kelter, dos EUA, e Lucy Mulhall, da Irlanda, que estiveram entre as melhores no Ranking de performance da Série Mundial, liderado por Michaela Blyde;

 

E o Brasil?

Sobre as Yaras, falaremos mais na quinta-feira. Porém, com um elenco mesclando jovens atletas promissoras com veteranas, o time ainda não alcançou seu potencial máximo, por falta de calendário para tal. No mata-mata, tudo pode acontecer e uma vitória sobre o Canadá já resultaria no melhor resultado da história do rugby brasileiro. É um jogo para entrarem na história. Será?

 

Tabela

*Horários de Brasília

Sexta-feira, dia 20 de julho

Oitavas de final

14h00 – Fiji x Espanha

14h22 – França x Japão

14h44 – Rússia x África do Sul

15h06 – Canadá x Brasil

15h28 – Austrália x Papua Nova Guiné

15h50 – Nova Zelândia x México

16h12 – Inglaterra x Irlanda

16h34 – Estados Unidos x China

 

Quartas de final pelo Challenge Trophy

20h02 – Perdedor México/Nova Zelândia x Perdedor Irlanda/Inglaterra (1)

20h24 – Perdedor Espanha/Fiji x Perdedor Papua Nova Guiné/Austrália (2)

20h46 – Perdedor Japão/França x Perdedor Brasil/Canadá (3)

21h08 – Perdedor China/Estados Unidos x Perdedor África do Sul/Rússia (4)

 

Quartas de final pelo Ouro

21h30 – Vencedor Nova Zelândia/México x Vencedor Inglaterra/Irlanda (5)

21h52 – Vencedor Fiji/Espanha x Vencedor Austrália/Papua Nova Guiné (6)

22h14 – Vencedor França/Japão x Vencedor Canadá/Brasil (7)

22h36 – Vencedor Estados Unidos/China x Vencedor Rússia/África do Sul (8)

 

Sábado, dia 21 de julho

Semifinais pelo 13º lugar

13h30 – Perdedor Quartas 1 x Perdedor Quartas 4

13h52 – Perdedor Quartas 2 x Perdedor Quartas 3

 

Semifinais pelo Challenge Trophy

14h14 – Vencedor Quartas 1 x Vencedor Quartas 4

14h36 – Vencedor Quartas 2 x Vencedor Quartas 3

 

Semifinais pelo 5º lugar

14h58 – Perdedor Quartas 5 x Perdedor Quartas 8

15h20 – Perdedor Quartas 6 x Perdedor Quartas 7

 

Semifinais pelo Ouro

15h42 – Vencedor Quartas 5 x Vencedor Quartas 8

16h04 – Vencedor Quartas 6 x Vencedor Quartas 7

 

Decisão de 15º lugar

21h10

 

Decisão de 13º lugar

21h32

 

Decisão de 11º lugar

21h54

 

Decisão do Challenge Trophy

22h16

 

Decisão pelo 7º lugar

22h38

 

Decisão de 5º lugar

23h00

 

Decisão de Bronze (3º lugar)

23h22

 

FINAL – Decisão de Ouro

23h47