Amanhã tem Yaras! Entre a sexta a noite e o domingo de manhã, o Brasil estará em campo no Japão para a quarta (antepenúltima) etapa da Série Mundial de Sevens Feminina, com a cidade de Kitakyushu recebendo o torneio que marca a passagem o início da segunda metade do circuito. O palco é o recém inaugurado Mikuni World Stadium, que capacidade para 15 mil fãs que verão o melhor do seven-a-side feminino mundial.

 

As Yaras sabem do desafio, pois, apesar de terem já obtido grandes resultados sob o comando do técnico Reuben Samuel, ocupam hoje o último lugar entre as 11 seleções fixas do circuito, sendo que quem terminar em último será rebaixado ao final da temporada, perdendo a condição de seleção central. Por outro lado, no topo da classificação, a briga está esquentando pelo título, com Nova Zelândia, Austrália e Canadá separados apenas por 10 pontos.

 

- Continua depois da publicidade -

O torneio poderá ser assistido ao vivo pelo Facebook do World Rugby.

 

O que esperar de Kitakyushu?

O Brasil caiu no Grupo A e irá encarar Austrália, Fiji e Irlanda na fase de grupos, exatamente os mesmos adversários da segunda etapa do circuito, em Sydney, quando o Brasil acabou derrotado pelos três times. Os dois primeiros colocados de cada grupo e os dois melhores terceiros colocados avançarão às quartas de final e, com isso, qualquer vitória pode ser preciosa. A favorita à chave é a atual campeã olímpica Austrália, que tem sobre suas costas o incômodo peso de ainda não ter vencido nenhuma etapa desde o Rio 2016. As australianas foram ao Japão com um time jovem, com o técnico Tim Walsh usando 2016-17 par renovar o elenco. O Brasil nunca venceu a Austrália, mas a troca de gerações das Pearls pode significar espaço para uma surpresa brasileira, assim como ocorreu contra as inglesas em Sydney.

 

Fiji e Irlanda cresceram demais na atual temporada. As fijianas estão no excelente quarto lugar geral e são um time muito mais completo que a equipe de 2015 que pela última vez perdeu para o Brasil. Já a Irlanda deu um salto de qualidade nas primeiras etapas do ano, mas segue sendo a seleção que as Yaras poderão ter mais chances de derrotarem, em jogo que promete ser decisivo. Reuben Samuel chamou uma equipe brasileira que mescla experiência e juventude, também mostrando que o trabalho brasileira é de colocar em andamento o necessário processo de renovação do elenco. Novidade como Aline e Milena se somam a jovens talentosas como Bianca e Cleice, apoiadas na experiência de nomes como Paulinha e Baby, que carregam o legado de uma geração campeã, além de destaques olímpicos como Raquel, Luiza e Edninha. Mistura interessante que poderá alavancar as Yaras na reta final do circuito, o que será sentido em Kitakyushu.

 

O Grupo A tem a seleção líder da temporada, a Nova Zelândia, como grande favorita, e munida de grandes nomes como Portia Woodman, Sarah Goss e Kelly Brazier, mas também passando por renovação. Foram 2 títulos em 3 etapas para as Black Ferns, que vem crescendo desde os Jogos Olímpicos. Rússia e França são as seleções que correm para alcançar as kiwis, com favoritismo para as russas, que vem fortes no quinto lugar geral. As francesas, por outro lado, são incógnita, pois não largaram bem a temporada e perderam jogadoras para a seleção de XV, de olho no Mundial de agosto. O convidado Japão fecha a chave e pode surpreender, pois, além de serem o time da casa, as Sakuras triunfaram no torneio da segunda divisão e serão seleção central a partir da próxima temporada.

 

No Grupo C, o Canadá, campeão da etapa de Sydney, encabeça a chave, chega forte ao Japão e precisa do título para reduzir a diferença de 10 pontos para as Black Ferns na classificação para seguir sonhando com o título geral. Porém, as Canucks lamentaram a perda por lesão para o restante das etapas da artilheira Kayla Moleschi. Os Estados Unidos são, no papel, a segunda força, tendo um vice em Sydney no currículo de 2016-17, mas a Inglaterra chega ao torneio com sede de recuperação, contando com alguns nomes fortes, como Wilson-Hardy, Fisher e McLean, apesar de ter perdido alguns nomes para a seleção de XV. A Espanha, concorrente direta do Brasil na luta contra a zona de rebaixamento, fecha o grupo.

 

Brasil: Aline Furtado (USP), Beatriz “Baby” Futuro (Niterói), Bianca Santos (São José), Cláudia Jaqueline (Niterói), Cleice Lopes (São José), Edna Santini (São José), Haline Scatrut (Curitiba), Isadora Cerullo (Niterói), Luiza Campos (Charrua), Maíra Bravo (SPAC), Mariana Nicolau (São José), Milena Mariano (São José), Paulinha Ishibashi (SPAC), Raquel Kochhann (Charrua).

 

SWS 2015-16 logo

Kitakyushu Sevens – 4ª etapa da Série Mundial de Sevens Feminina

Grupo A: Nova Zelândia, Rússia, França e Japão

Grupo B: Austrália, Fiji, Irlanda e Brasil

Grupo C: Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Espanha

 

*Horários de Brasília

Sexta-feira, 21 de abril / Sábado, dia 22 de abril

22h30 – Estados Unidos x Espanha

22h52 – Canadá x Inglaterra

23h14 – Fiji x Irlanda

23h36 – Austrália x Brasil

23h58 – Rússia x França

00h20 – Nova Zelândia x Japão

 

01h14 – Estados Unidos x Inglaterra

01h36 – Canadá x Espanha

01h58 – Fiji x Brasil

02h20 – Austrália x Irlanda

02h42 – Rússia x Japão

03h04 – Nova Zelândia x França

 

03h58 – Espanha x Inglaterra

04h20 – Canadá x Estados Unidos

04h42 – Irlanda x Brasil

05h04 – Austrália x Fiji

05h26 – França x Japão

05h48 – Nova Zelândia x Rússia

 

Sábado, dia 22 de abril/Domingo, dia 23 de abril

22h30 – Quartas de final

22h52 – Quartas de final

23h14 – Quartas de final

23h36 – Quartas de final

23h58 – Semifinal pelo Challenge Trophy

00h20 – Semifinal pelo Challenge Trophy

 

01h14 – Semifinal pelo 5º lugar

01h36 – Semifinal pelo 5º lugar

01h58 – Semifinal pelo Ouro

02h20 – Semifinal pelo Ouro

02h42 – Decisão do 11º lugar

03h04 – Final do Challenge Trophy

 

03h58 – Decisão do 7º lugar

04h20 – Decisão do 5º lugar

04h42 – Decisão do Bronze

05h07 – FINAL Ouro

 

SeleçãoPontuação totalEtapa 1Etapa 2Etapa 3Etapa 4Etapa 5Etapa 6
Nova Zelândia116201620202020
Austrália100181418161618
Canadá98102016181816
Rússia661681012128
Fiji6612121214412
Estados Unidos622181481010
França60810861414
Inglaterra3714331061
Irlanda34466486
Espanha19324334
Brasil13142222
*tabela com somente as equipes fixas
- 4 melhores entre Austrália, Inglaterra, França, Rússia, Fiji, Brasil e Irlanda irão à Copa do Mundo de Sevens de 2018;
- Rebaixamento para o 11º colocado;

- Pontuação: 1º lugar, 20 pontos / 2º, 18 pts / 3º, 16 pts / 4º, 14 pts / 5º, 12 pts / 6º, 10 pts / 7º, 8 pts / 8º, 6 pts / 9º, 4 pts / 10º, 3 pts / 11º, 2 pts / 12º, 1 pt.

 

Foto: World Rugby