Inglaterra surpreende e vence o Canadá Sevens. Brasil termina em 10º

ARTIGO COM VÍDEOS – A hegemonia australiana foi quebrada. Pela quarta (penúltima) etapa da Série Mundial de Sevens Feminina, em Langford, no Canadá, a Inglaterra quebrou a sequência de títulos da líder Austrália e subiu no lugar mais alto da etapa apenas pela segunda vez em sua história no circuito – a primeira desde Houston 2013. O título elevou as inglesas ao terceiro lugar na temporada, ultrapassando o Canadá, que voltou a decepcionar jogando diante de sua torcida. A Austrália, derrotada nas semifinais, se reergueu e garantiu o terceiro lugar no torneio, suficiente para lhe garantir 12 pontos de frente sobre a vice líder Nova Zelândia na classificação geral, com apenas uma etapa para o fim – em Clermont, na França, nos dias 28 e 29 de maio. Com isso, a Austrália será campeã do circuito sem depender de outros resultados caso termine em sétimo lugar na etapa final.

 

O Brasil também esteve em campo e conquistou o 10º lugar. Para as Tupis, o Canada Sevens foi o último grande torneio antes dos Jogos Olímpicos, uma vez que as brasileiras não jogarão como convidadas em Clermont. A despedida se deu com triunfo sobre a Irlanda e derrotas para Rússia, Austrália, França e Fiji.
Brasil sofre com jogo duro e termina em último

O Brasil encarou a Rússia em sua primeira partida do dia, e as russas abriram o placar com dois minutos de jogo em boa jogada pela esquerda, vencendo a marcação de Mari Ramalho, e pouco depois, Khamidova ampliou. As Yaras demoraram para entrar no jogo e encararam o jogo físico das russas, jogando mais fechado em um lado do campo, o que facilitou o trabalho defensivo adversário. No último lance a Rússia ampliou, fechando a etapa inicial em 17 a 0. O Brasil equilibrou as ações no segundo tempo, levou o jogo para o campo de ataque, e anotou dois tries, com Amanda e Mariana Nicolau, mas a margem conquistada no primeiro tempo deu tranquilidade para a Rússia colocar seu ritmo de jogo e vencer a partida.

 

Na sequência, o Brasil enfrentou as líderes da Série Mundial, a Austrália, e apesar de fazer um jogo bom, com posse de bola e agressividade, não conseguiu parar o jogo envolvente dos novos talentos australianos, com destaque para a grande forma de Penitani e anotou apenas um try. Claudinha anotou o try solitário do Brasil.

 

A última participação do dia para as Yaras reservou um duro embate contra a França. Totalmente dominadas, o Brasil atacou muito pouco e com um jogo pouco característico do seven, utilizando jogo de base e próximo dos rucks. A bola custou a chegar nas pontas e as francesas deram poucos espaços, mas quando atacaram colocaram muita velocidade e deram trabalho para nossas jogadoras que tiveram apenas dois minutos de real chance de colocar pontos no placar, sem sucesso, encerrando na última colocação.

 

Domingo com vitória para o Brasil

O Brasil abriu o domingo com uma suada vitória sobre a Irlanda. 10 x 5, pelas semifinais da Taça Bronze. As irlandesas abriram o placar com O’Flynn quebrando o tackle brasileiro pelo meio e disparando para o try. Mas, após o susto, as Tupis controlaram por completo as ações. Edninha empatou a partida antes do intervalo, tirando a bola do scrum e explorando o espaço deixado pelas verdes. Mari ainda perdeu um try feito, não conseguindo apoiar a bola no in-goal, por conta de uma mão irlandesa no meio do caminho. No segundo tempo, o que se assistiu foi um jogo de muitos erros dos dois lados, mas o Brasil controlou a posse de bola e foi premiado com o try da vitória no finzinho, com Júlia, depois de bela troca de passes dentro das 22.

 

A despedida do Brasil foi conta Fiji, na Final Bronze, e o placar foi até esperado: vitória de Fiji, que vem apresentando cada vez mais um rugby envolvente e ganhando atributos físicos que até pouco tempo não possuía. As fijianas 17 x 0 no primeiro tempo, dominando por completo as ações e envolvendo a defesa brasileira. Vodo fez 2 tries e Naiobasali mais 1. No segundo tempo, o Brasil esboçou a reação, com Raquel fazendo belo try após lateral. Mas, Fiji deu o troco e acabou com a reviravolta brasileira, com Cumu fazendo o try final da partida. 24 x 7, que fizeram o Brasil se despedir do circuito de 2015-16 com um 10º lugar.

 

Inglaterra derruba Austrália

As quartas de final largaram com Austrália e Nova Zelândia prevalecendo, como esperado, sobre Espanha e Rússia, respectivamente. Mas, o terceiro duelo foi decepcionante para a torcida local, com o Canadá, um dos favoritos, caindo por 14 x 12 contra a França, em jogo de final emocionante. Tremouliere fez o try do empate já nos acréscimos e a virada foi garantida com a conversão certeira. A Inglaterra, por sua vez, passou com contundência pelos Estados Unidos, 29 x 7, com Watmore mostrando porque seu retorno foi tão comemorado, fazendo 2 tries.

 

Nas semifinais, foi a vez de Austrália e Inglaterra se encontrarem, com as inglesas derrubando as australianos com vitória por 15 x 5, com tries de Scarratt, Watmore e Brown para as inglesas – e um try incrivelmente perdido Murphy, derrubando a bola no in-goal. Na sequência, a Nova Zelândia despachou a França por 12 x 7, com Portia Woodman, artilheira de Langford, fazendo o try decisivo.

 

Nas finais menores, o Canadá se recuperou da eliminação precoce conquistando a Taça Prata, ao passo que a Austrália não deu chances à França no terceiro lugar. E na grande final, a Inglaterra fez um jogo impecável, não deixando dúvidas sobre seu melhor momento e negando às neozelandesas o primeiro título na temporada. 31 x 14, com Fisher e Robertson fazendo 2 tries cada e Watmore deixando o seu.

 

SWS 2015-16 logo

Canada Sevens – 4ª etapa da Série Mundial de Sevens Feminina 2015-16 – em Langford, Canadá

Grupo A: Austrália, Rússia, França e Brasil

Grupo B: Nova Zelândia, Estados Unidos, Fiji e Espanha

Grupo C: Canadá, Inglaterra, Japão e Irlanda

 

Sábado, dia 16 de abril

Inglaterra 29 x 05 Irlanda

Canadá 38 x 00 Japão

Austrália 12 x 07 França

Rússia 31 x 10 Brasil

Nova Zelândia 26 x 05 Fiji

Estados Unidos 07 x 10 Espanha

 

Inglaterra 28 x 24 Japão

Canadá 26 x 00 Irlanda

Austrália 28 x 07 Brasil

Rússia 12 x 17 França

Nova Zelândia 31 x 07 Espanha

Estados Unidos 24 x 12 Fiji

 

Inglaterra 00 x 05 Canadá

Irlanda 21 x 14 Japão

Austrália 21 x 07 Rússia

França 26 x 00 Brasil

Nova Zelândia 19 x 07 Estados Unidos

Espanha 10 x 15 Fiji

 

Grupo A: 1 Austrália (9p, +40) 2 França (7p, +26) 3 Rússia (5p, +2) 4 Brasil (3p, -68)

Grupo B: Nova Zelândia (9p, +57), 2 Estados Unidos (5p, -3) 3 Espanha (5p, -26) 4 Fiji (5p, -28)

Grupo C: 1 Canadá (9p, +69) 2 Inglaterra (6p, +23) 3 Irlanda (5p, -43) 4 Japão (3p, -49)

 

Domingo, da 17 de abril

Quartas de final

Austrália 28 X 00 Espanha

Nova Zelândia 43 X 00 Rússia

Canadá 12 X 14 França

Estados Unidos 07 X 29 Inglaterra

 

Semifinais Taça Bronze (Bowl)

Brasil 10 X 05 Irlanda

Japão 10 X 33 Fiji

 

Semifinais Taça Prata (Plate)

Espanha 14 x 12 Estados Unidos

Canadá 27 x 00 Rússia

 

Semifinais Ouro (Cup)

Austrália 05 x 15 Inglaterra

Nova Zelândia 12 x 07 França

 

11º lugar

Irlanda 12 x 05 Japão

 

Final Bronze (Bowl)

Brasil 07 x 24 Fiji

 

7º lugar

Estados Unidos 15 x 10 Rússia

 

Final Prata (Plate)

Espanha 05 x 21 Canadá

 

3º lugar

Austrália 19 x 12 França

 

Final Ouro (Cup)

Inglaterra 31 x 14 Nova Zelândia

 

SeleçãoPontuação geralEtapa 5 (França)Etapa 4 (Canadá)Etapa 3 (Estados Unidos)Etapa 2 (Brasil)Etapa 1 (Emirados Árabes)
Austrália941816202020
Nova Zelândia801618181612
Canadá742012141810
Inglaterra741420160816
França601214081214
Rússia420406100418
Estados Unidos461008121402
Fiji360804061008
Espanha260610020206
Brasil*120003000603
Japão120101030304
Irlanda110302040101
Quênia*020200000000
Colômbia*010000010000
* seleções convidadas
EtapaCampeão
Etapa 1 (Emirados Árabes)Austrália
Etapa 2 (Brasil)Austrália
Etapa 3 (Estados Unidos)Austrália
Etapa 4 (Canadá)Inglaterra
Etapa 5 (França)Canadá

– Pontuação: 1º lugar, 20 pontos / 2º, 18 pts / 3º, 16 pts / 4º, 14 pts / 5º, 12 pts / 6º, 10 pts / 7º, 8 pts / 8º, 6 pts / 9º, 4 pts / 10º, 3 pts / 11º, 2 pts / 12º, 1 pt.

 

Brasil:

Amanda Araújo – Niterói

Bruno Lotufo – Band Saracens

Cláudia Teles – Niterói

Edna Santini – São José

Haline Scatrut – Curitiba

Júlia Sardá – Desterro

Juliana Michele – Curitiba

Luiza Campos – Charrua

Mariana Ramalho – SPAC

Raquel Kochhann – Charrua

Mariana Nicolau – São José

Taís Balconi – Desterro

 

Comentários